segunda-feira, 15 de junho de 2015

O facto da semana




Esta semana Cavaco condecorou a troika por intermédio de Teixeira dos Santos e assim avalizou, ainda que inadvertidamente, a política do governo de Sócrates que ele próprio ajudou a derrubar. Mas estas incoerências de Cavaco não são o facto mais relevante desta semana em que Pedro Passos Coelho foi ao Portugal dos Pequeninos fazer a figura triste que a foto documenta de forma exuberante. 
As inúmeras críticas a Carlos Alexandre ( Marcelo Rebelo de Sousa e Pacheco Pereira incluídos) pela decisão de manter Sócrates em prisão preventiva só podem surpreender quem não preza os valores da democracia e considera normal que um cidadão seja preso preventivamente para ser investigado.
O grande facto da semana também  não foi a publicação, pela revista Sábado, de um interrogatório de Sócrates. O segredo de justiça tem sido tão vilipendiado em Portugal, que já ninguém se espanta. O que foi verdadeiramente surpreendente, foi ter-se sabido, durante o Eixo do Mal e na homilia dominical de Marcelo, que a direcção da revista Sábado confirmou que a divulgação do interrogatório foi do conhecimento do ministério público. Mais... a transcrição do interrogatório foi oferecida a vários órgãos de comunicação social.
A Procuradora Geral da República diz que vai investigar. Mas investigar o quê? Não é ao MP que compete garantir e proteger o segredo de justiça? Então é muito fácil encontrar responsáveis, não é? O problema é que a PGR  não está nada interessada em encontrar os responsáveis. Este sistema serve na perfeição aos propósitos do MP de fazer julgamentos em praça pública. Seja no caso de Sócrates,  no de Leonor Cipriano, ou qualquer outro caso mediático em que seja necessário encontrar um culpado para saciar a sede de vingança da "populaça".
Como ontem escrevia Pedro Marques Lopes ( outro insuspeito de ser apoiante de Sócrates) no DN, " quando perceberem que não é de Sócrates que se está a falar, mas dos direitos de todos nós, é capaz de ser demasiado tarde".

6 comentários:

  1. Em Portugal,vive-se num Estado de Direito?Consequência do silêncio, imensamente ruidoso, que se vai ouvindo,parece que sim.Um destes dias,pela calada da noite começam,de novo,a vir-nos buscar ao calor do nosso leito,com os filhos pequenos a assistir,para,arrastados,sermos conduzidos a uma qualquer masmorra,para,delicadamente,nos ensinarem a comer comida Gourmet de faca e garfo.Nessa altura,levantar-se-ão,de lágrima no canto do olho,todos aqueles que hoje,perante o esbulho dos direitos,liberdades e garantias a que vimos a ser sujeitos,vivem mergulhados num silêncio ensurdecedor em que a omissão é o alimento supremo do caminho taticista a favor do objetivo "maior".

    Lembrando José Mário Branco:"Que há-de ser de nós?"

    ResponderEliminar
  2. Este país apodreceu rapidamente. Não por obra e graça do Espírito Santo - nem do tal - mas por obra e desgraça de quem diz que governa e de quem diz que é justo.

    ResponderEliminar
  3. Absolutamente de acordo: estou farta de repisar, se acontece com Sócrates ser preso preventivamente sem qualquer acusação e ficar a mofar mais de 6 meses na prisão,mais ainda acontecerá com qualquer um de nós. Repare-se: não é preciso fazer nada para isso, porque suspeitos de um crime podemos ser todos, basta estar no local errado na hora errada...

    A justiça, tal como o Portugal ilustrado na foto caricata do PM, está a minguar a olhos vistos... ;)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  4. Acho que tens razão na escoha, pois é o Estado de direito que está em causa.

    ResponderEliminar
  5. Acho que tens razão na escoha, pois é o Estado de direito que está em causa.

    ResponderEliminar
  6. A bufaria é tal que não sou capaz de encontrar inocentes, Carlos.
    Já começo é a ficar enojado desta porcaria toda.

    ResponderEliminar