sexta-feira, 26 de junho de 2015

Coisas que me deviam surpreender...

...mas não surpreendem.
A forma acutilante como o PCP ataca o PS, em contraste com a delicadeza com que critica o governo.

20 comentários:

  1. É bem melhor não se surpreender, Carlos!

    ResponderEliminar
  2. O Sr devia preocupar-se mais com os que, nas sondagens, vão à frente do PS e não com os que vão atrás. Estes não lhe fazem sombra, mas os primeiros fazem e não é pouca.
    Mª Glória Santos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É preocupante para o PS os ataques do PCP e do BE — embora até seja uma atitude compreensível — porque quem beneficia são os partidos da direita.

      O PS precisa da maioria absoluta para se libertar dos partidos de esquerda.

      Eliminar
    2. Peço mil perdões, Maria Glória Santos, mas o seu comentário revela alguma miopia política e, provavelmente, poucas visitas a este Rochedo.

      Eliminar
    3. A Ematejoca também não está a ver bem a coisa: não é o PS que se quer libertar dos partidos de esquerda, é precisamente o contrário.
      Essa união da esquerda que não quer governar, mas mantém a ilusão de que um dia há-de lá chegar, faz-me lembrar certas seitas religiosas que propagandeiam a vida austera e vivem no meio do fausto.
      Mas há uma lição a tirra dessa postura:se os partidos de esquerda não querem governar com o PS e, manifestamente, nunca conseguirão ter maioria para governarem sozinhos, para que raio se vai desperdiçar um voto nesses partidos?

      Eliminar
    4. Até fazem culigações...

      Eliminar
    5. Eu sei muito bem, Carlos, que o PS precisa do apoio dos partidos da esquerda para formar um governo, porque o PS NUNCA obterá a maioria absoluta, mas é compreensível que o PCP não queira apoiar um partido como o PS.

      A miopia política é uma doença que atinge muito boa gente.

      Eliminar
  3. Deviam surpreender, por uma questão de lógica política.
    Mas há muito se diz que 'a lógica é uma batata'.
    Logo, o que é estranho tende a tornar-se normal.
    É um erro por parte do PCP e do BE. Esse erro vai pagar-se caro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Além de ser um erro estão a enganar os trabalhadores.

      Eliminar
    2. O PS é que sempre enganou os trabalhadoes; NUNCA O PARTIDO COMUNISTA.

      Eliminar
    3. o PcP NUNCA SE PREOCUPOU COM OS TRABALHADORES. sÓ TEM CONTRIBUÍDO PARA DESTRUIR OS PAÍS. tUDO O QUE FEZ NAS AUTARQUIAS FOI ESTRANGULAR financeiramente e criar mais problemas. Só querem é ganhar votos para ter poleiro, mas não participar nas opções que é necessário tomar para não perder votos. Ele sabe que se isso acontecesse desapareceriam como os outros pc's europeus, porque essa doutrina não pasa duma reles utopia e todos sabem, ou deviam saber o que se passou na URSS (o que é possível saber).

      Eliminar
    4. Pois, pois Ematejoca. E por isso que o PC grego apela A abstenção no referendo de domingo. Andam a enganar quem?

      Eliminar
  4. O mundo da oposição ao contrário!

    ResponderEliminar
  5. O partido comunista,mesmo quando se traveste de Bolchevique nunca deixa de ser Stalinista.Partido dos trabalhadores,dos descamisados,dos desvalidos da vida?Leiamos a História com olhos de ver e mente de entender.A direita institucional,sempre teve no PCP e seus apêndices/ml, um aliado de facto nos seus combates contra a força politica(PS) que,mesmo com todos os defeitos(e são muitos)intrínsecos a uma organização composta por milhares de pessoas,lutando e avançando puxou Portugal para patamares de desenvolvimento social,económico e civilizacional de dimensão incomparável com o país em que eu e a geração a que pertenço nascemos e crescemos.Obviamente que o PS,não esteve sozinho no fazer desta realidade.Muita gente de convicção social-democrata e democrática-cristã estiveram e lutaram no mesmo lado da barricada para que hoje Portugal seja,indiscutivelmente,uma realidade distante daquela que o Fascismo Europeu Ocidental e o Social-Fascismo da Europa de Leste produziram e arrastaram no tempo no decurso do seculo passado.


    O PC,só sobreviveu até aos dias de hoje porque,para nossa infelicidade colectiva,Salazar e o seu estado velho,deixou um lastro de analfabetismo e de obscurantismo cujos efeitos ainda estão bem presentes na sociedade portuguesa.Assim não fosse,o miserável governo que temos,neste momento,à frente do nosso destino colectivo, há já muito tempo seria cadáver politico enterrado com direito a extrema unção e missa de sétimo dia .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Análise perfeita. Eu já não tenho calma, nem conhecimentos para fazer uma análise correcta. Mas fica alarmada e espantada como há tanto fanatismo e tanta maldade em quem diz que defende os trabalhadores. Os social-fascistas mataram mais trabalhadores do que muitas guerras. A elite caviar também só quer ganhar curriculo e notoriedade pois sabe que certas políticas são impossíveis de aplicar, neste país e neste mundo globalizado.

      Eliminar
    2. De um modo geral concordo com a sua análise. No entanto discordo de duas coisas:

      1.ª A direita, se a tomarmos pelo PSD e CDS, combateu tanto ou mais o PCP que o PS, por isso não entendo como pode dizer que e passo a citá-lo: «A direita institucional, sempre teve no PCP e seus apêndices/ml, um aliado de facto nos seus combates contra a força politica(PS)».
      São espaço políticos e ideológicos opostos, nem sequer tacitamente houve esse aproveitamento político.

      2.ª «O PC, só sobreviveu até aos dias de hoje porque, para nossa infelicidade colectiva, Salazar e o seu estado velho, deixou um lastro de analfabetismo e de obscurantismo cujos efeitos ainda estão bem presentes na sociedade portuguesa».

      Aqui não concordo consigo. Quando se deu o 25/4/74 havia seguramente mais de 30% de analfabetos, hoje serão só 5%, e as pessoas tem uma mentalidade mais aberta, logo por aí esta sua teoria cai pela base.
      Depois, embora esteja numa área política quase oposta à do PCP, tenho que tirar o chapéu ao PCP por se ter sabido renovar em termos de estruturas, quadros e até deputados, trouxe caras novas para a política na casa dos 20/30 anos, ao ponto de ser o partido nacional que fez o melhor trabalho de casa nestes campos. É sobretudo este último factor que explica o facto do PCP sobreviver até aos dias de hoje.

      Eliminar
  6. Mais um mito urbano que o PS usa para a sua propaganda. Eu ouvi umas 3 vezes em 3 iniciativas o Jerónimo do principio ao fim em que na parte da critica aos outros foi distribuida cerca de 80% ou mais para o PSD/CDS e 20% ou menos para o PS. O que a TV passa é outra coisa. Mas o que não é outra coisa é um programa de economista que é de direita ou governações que nas questões económicas essenciais não foram de esquerda.

    ResponderEliminar
  7. Sr Carlos Barbosa não tem que pedir perdão pois tem direito à sua opinião que é tão respeitável como a dos outros. Na verdade vejo mal porque os anos não perdoam e as cataratas atacaram forte e feio. Mas não sofro de miopia política. Reconheço que o PCP, nestes 41 anos de democracia, cometeu muitos erros históricos mas o PS não lhe ficou atrás. Rebobine as “velhas cassetes” do PC e escute o que os comunistas diziam, por exemplo, sobre a nossa adesão ao euro ou às famigeradas privatizações. O PS nunca teve disponibilidade para ouvir o que os comunistas diziam.
    Quanto às visitas ao seu Rochedo pode crer que são diárias. Nunca falham, nem que sejam às 4 da manhã. Porém admito que por vezes ando distraída do mundo mas aqui são os anos que já me pesam.
    Mª Glória Santos

    ResponderEliminar
  8. «A forma acutilante como o PCP ataca o PS»

    A explicação é simples: Disputam o mesmo espaço político, apenas isso. Não é no espaço político do PSD e do CDS que o PCP vai ganhar votos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É ums explicação é simples, Paulo Lisboa, mas os socialistas portugueses ainda não compreenderam isso.
      Claro que os espaços políticos e ideológicos dos dois partidos são similäres, daí a rivalidade.

      Eliminar