quarta-feira, 22 de abril de 2015

Uma questão de realismo

Sempre manifestei bastante descrença quanto à possibilidade de o FC do Porto eliminar o Bayern Munique e passar às  meias finais.
Nem o resultado (3-1) alcançado no Dragão me demoveu. Apesar de  permitir sonhar, o amarelo visto por Danilo nos minutos finais do jogo de quarta-feira  refreou-me  de imediato o ânimo. Ir a Munique jogar sem os dois laterais titulares tornava a tarefa ainda mais difícil. E, como se não bastasse, Lopetegui decidiu improvisar, fazendo entrar Reyes para lateral direito..
Alguns acusaram-me de ser pessimista. Estava apenas a ser realista, como hoje se confirmou. A minha paixão azul e branca não me cega e ainda me lembro do desastre de Sevilha na época passada onde ( aí sim...) tínhamos todas as possibilidades de ter êxito, se o treinador fosse outro.
O caminho faz-se caminhando e na próxima época os jogadores terão assimilado melhor as ideias de Lopetegui,  talvez nas mesmas circunstâncias deste ano eu  esteja mais optimista.
Nunca se digere bem uma derrota e uma eliminação na mais prestigiada e difícil competição do mundo entre clubes, mas esta custou-me menos por estar à espera dela. 
Além disso, o FC do Porto continua a ser a única equipa portuguesa que conseguiuivener o Bayern sendo que, uma delas, valeu a conquista  da Taça dos Campeões Europeus.
 Para ser sincero, digo-vos que trocava bem esta eliminação por uma vitória robusta no próximo domingo na Luz. Na qual até cheguei a acreditar, antes de saber que o jogo teria lugar cinco dias depois de Munique e um resultado desastroso na Alemanha poderia ser pernicioso para as nossas aspirações.  Agora é mais difícil mas não tão impossível, como era a tarefa perante os alemães.
BIBÓ PORTO!

4 comentários:

  1. Ser eliminado não era de todo inesperado, Carlos.
    Humilhado é que não.
    E o Lopetegui está a ter a sorte de ser estrangeiro, de ter caído em graça.
    Com os meios que lhe foram postos à disposição, humanos e financeiros, afastado de TUDO, muitas vezes por teimosia dele próprio, outro qualquer já tinha levado um chuto nos fundilhos.
    Quando é que vamos ter um guarda-redes a sério?
    Estão lá quatro e nenhum convence.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Pedro, que ser eliminado não era de todo inesperado, mas NUNCA tal resultado.

      Fiquei absolutamente destroçada.

      Eliminar
  2. Quando cheguei a casa o jogo já estava a 3:0.
    Quando chegou aos 5:0 apaguei a TV.

    Nem a pessoa mais realista/péssimista pensava em tal resultado!!!

    BIBÓ PORTO!

    ResponderEliminar
  3. Primeiramente quero fazer uma declaração de interesses: Sou benfiquista, mas isso já o Carlos sabia, os outros se não sabiam, ficam a saber. Porque digo isto?
    Porque na Europa torço sempre pelas equipas portuguesas, sejam elas quais forem, bem sei que a maioria dos benfiquistas, portistas e sportinguistas portam-se de maneira exactamente oposta, mas eu sou assim e é assim que gosto de ser.

    Por isso lamento que o FCP tenha sido eliminado da Champions, fundamentalmente, porque é uma equipa portuguesa, que até era a última em provas europeias, que deixa de estar presente. E também porque assim já não será possível melhorar o nosso coeficiente nas provas da UEFA.

    Quanto a mim o grande coveiro do FCP foi o Lopetegui que montou a equipa toda lá trás com 4 centrais e a jogar na retranca. Convidou o Bayern Munique a cair em cima do FCP e este não se fez rogado. Quando o FCP sofreu o 2.º golo, disse a um amigo meu portista que se o FCP não fosse para a frente, arriscava-se a ser goleado, infelizmente para o FCP, tinha razão. Por outro lado o Fabiano é um guarda-redes grande, mas não é de modo nenhum um grande guarda-redes. No 2.º e 4.º golos embora a culpa não seja só dele, duvido que por ex. o Helton sofresse aqueles golos e no último golo, foi demasiado lento, quando se fez à bola, já ela tinha beijado as redes.

    Agora pegando um pouco nas suas frases Carlos:

    «Nunca se digere bem uma derrota e uma eliminação na mais prestigiada e difícil competição do mundo entre clubes, mas esta custou-me menos por estar à espera dela».

    Sei mais ou menos o que isto é por causa dos 7:0 de Vigo, é um travo muito acre que fica na boca.


    «Além disso, o FC do Porto continua a ser a única equipa portuguesa que conseguiuivener o Bayern sendo que, uma delas, valeu a conquista da Taça dos Campeões Europeus»

    É verdade, e isso deve encher de orgulho todos os portistas, afinal são a única equipa portuguesa que venceu o Bayern Munique e isso é histórico e já ninguém tira ao FCP. Penso que isso pode ajudar os portistas a levantar rapidamente a cabeça, mas espero que não seja assim tão depressa, afinal no Domingo quero ganhar ao FCP.


    «Para ser sincero, digo-vos que trocava bem esta eliminação por uma vitória robusta no próximo domingo na Luz. Na qual até cheguei a acreditar, antes de saber que o jogo teria lugar cinco dias depois de Munique e um resultado desastroso na Alemanha poderia ser pernicioso para as nossas aspirações. Agora é mais difícil mas não tão impossível, como era a tarefa perante os alemães».

    A verdade é que em futebol não há impossíveis. O que aconteceu ao FCP foi o pior que lhe podia ter acontecido antes do jogo com o SLB. Esse jogo já de si seria muito difícil para o FCP: Joga fora de casa, está com menos 3 pontos. E agora está animicamente de rastos e mais cansado que o SLB. O previsível será o FCP perder outras vez, não será por 6:1, mas se o SLB ganhar por 1:0, isso chega e satisfaz-me. Mas em rigor tudo pode acontecer.

    ResponderEliminar