quarta-feira, 8 de abril de 2015

O juiz decide?

Um despacho do secretário de estado do ensino superior, José Ferreira Gomes,  determina  que na sequência do processo da "licenciatura" de Miguel Relvas, a Universidade Lusófona  deve declarar, até 15 de Abril, a nulidade dos actos de creditação em 152 processos e proceder à cassação de diplomas e certificados  que tenham sido atribuídos, depois de ouvidos os interessados.
O "Público" noticia hoje que Miguel Relvas ainda não foi contactado pela Universidade. Em resposta a uma pergunta do jornal, Miguel Relvas  terá dito:
" Não sei de nada. O meu processo, como é público, está no Tribunal Administrativo e é a este que compete decidir. Já não é o ministério (da Educação) a decidir".
Confesso que estou um bocado baralhado. Então agora é a justiça a determinar a validade de uma licenciatura? E qual é o papel do ministério da educação? Fazer figura de parvo?

5 comentários:

  1. Das duas, uma. Ou ele não sabe o que diz porque é mesmo burro como uma porta ou este país está mesmo perdido!!!

    ResponderEliminar

  2. “O quinto império”
    ... nós somos púnicos, parecemo-nos comos mercenários de Amílcar e todos esses matreiros do mediterrâneo. Nós somos girinos... (49)
    Em português, as palavras são um simples meio de simpatia, ou o seu contrário. As pessoas perdem assim horas em conversas inúteis, só com o fim de garantir a sua estima recíproca (95)
    Uma das particularidades portuguesas: o gosto da pequena polícia, a que mantém relações sentimentais como povo. A sua arte de bisbilhotar, de procurar por trás, de inventar razões e causas, a um tempo teima de funcionário e regressão à inteligência infantil. Ou bem que os portugueses não fazem nada, ou bem que vão até ao último pormenor e, chegados aí, largam tudo como de costume (196)
    Cada cinquenta anos, o país sonha ser a primeira sociedade liberal avançada do mundo. Cada cinquenta anos, o libertário volta à superfície. Procura-se então um banqueiro ou um professor de economia capaz de casar meio século de bordel com O Espírito das Leis (223)
    Sem endereços e todos com o mesmo nome, obedecendo a dois ou três pequenos princípios, entre os quais o de inventarem títulos... (302)
    Dominique de Roux (1977, Paris)

    ResponderEliminar
  3. Se o caso foi remetido ao tribunal deve ser primeiro a instância judicial a decidir, Carlos.
    Depois da decisão judicial é que vem a administrativa.
    Está correcto.

    ResponderEliminar