quinta-feira, 2 de abril de 2015

O governador bipolar




Carlos Costa ordenou aos bancos que reflectissem as taxas Euribor nos créditos à habitação o que, traduzido em carcanhol, significaria que muitas famílias vissem a prestação do crédito das suas casas substancialmente reduzidas. 
Os  beneficiados com esta decisão do Banco de Portugal exultaram com a decisão, mas os festejos  não duraram muito. 
No dia seguinte, o mesmo Carlos Costa veio sugerir aos bancos que condicionem os créditos à contratação de produtos financeiros de risco. 
Há dias, na CPI ao BES, Carlos Costa indignou-se porque os lesados com papel comercial do BES lhe chamaram gatuno. " Nunca roubei nada a ninguém"- garantiu.
Pessoalmente, acredito, mas neste caso Carlos Costa aconselhou os bancos a vigarizarem os consumidores, aproveitando-se  da iliteracia financeira da esmagadora maioria da população portuguesa.
Como estamos em pleno período pascal, não resisto a comparar esta actuação de Carlos Costa com a do Bom e do Mau Ladrão. Em dois momentos, sobre o mesmo assunto, pronunciou-se  a favor e contra bancos e consumidores.  Com a particularidade de ter  aconselhado os bancos a lesar os consumidores, fingindo que os estava a defender. Não está ao alcance de todos...


6 comentários:

  1. NÃO, Carlos, NÃO está ao alcance de todos!!!

    ResponderEliminar
  2. Ele aconselhou mesmo isso? Pergunto, porque até parece mentira. Não foi no 1 de Abril?

    ResponderEliminar
  3. O António Costa diz ter de "servir Portugal e os portugueses"

    Que conversa fiada.

    ResponderEliminar
  4. Carlos Costa e António Costa apenas têm uma coisa em comum. O apelido.
    Fait la liaison.

    ResponderEliminar
  5. «Carlos Costa ordenou aos bancos que reflectissem as taxas Euribor nos créditos à habitação o que, traduzido em carcanhol, significaria que muitas famílias vissem a prestação do crédito das suas casas substancialmente reduzidas».

    Quanto a mim, esta é que podia ter sido a mentira de 1.º de Abril. Alguma vez os bancos vão perder dinheiro a favor da populaça? Nunca na vida.

    ResponderEliminar