quinta-feira, 23 de abril de 2015

O embuste low cost



Não deixa de ser surpreendente que um governo dito liberal tenha tomado a decisão de obrigar todos os postos de abastecimento a vender combustíveis low cost.
Como era de esperar, o resultado foi prejudicial para os consumidores. Em apenas três dias, os combustíveis low cost  aumentaram mais de 2 cêntimos  e atingiram o preço a que estavam os menos aditivados (95) há uma semana. A partir de hoje pagamos por combustíveis sem aditivos, o mesmo  que pagávamos pelos aditivados. E estes rapidamente se aproximarão dos preços dos combustíveis super aditivados (98) ou Premium.
Claro que a justificação será a do costume mas, a breve prazo, iremos perceber  a amplitude  do embuste. O aumento dos combustíveis low cost  irá reflectir-se  nos postos de abastecimento das cadeias de distribuição, reduzindo a diferença entre estes e os das gasolineiras tradicionais ( BP, Galp ou Repsol). 
Todos ficarão a ganhar, menos os consumidores.
Para compor o ramalhete o governo deu um forte contributo. Como não sabe legislar e faz tudo às três pancadas, "esqueceu-se" de  legislar sobre a informação aos consumidores. Quer isto dizer que as gasolineiras continuam a estar obrigadas  a exibir os preços dos combustíveis de forma visível( uma iniciativa do ex secretário de estado socialista Fernando Sarrasqueiro absolutamente inócua), mas o consumidor não tem informação sobre o tipo de combustíveis a que se referem os preços ( ver foto)
É no que dá tomar medidas - que até acredito serem bem intencionadas- sem  pensar nem prever as consequências. O governo, claro, dirá que é o mercado a funcionar.

3 comentários:

  1. Ainda não percebi o porquê desta medida governamental, que é tão contrária à política governamental. Não são eles que dizem que no que é privado não têm de meter o nariz?

    ResponderEliminar
  2. Saio de fininho porque não sei do que se trata....

    ResponderEliminar
  3. «Para compor o ramalhete o governo deu um forte contributo. Como não sabe legislar e faz tudo às três pancadas, "esqueceu-se" de legislar sobre a informação aos consumidores. Quer isto dizer que as gasolineiras continuam a estar obrigadas a exibir os preços dos combustíveis de forma visível (uma iniciativa do ex secretário de estado socialista Fernando Sarrasqueiro absolutamente inócua), mas o consumidor não tem informação sobre o tipo de combustíveis a que se referem os preços ( ver foto)».

    De acordo!
    A minha grande dúvida é mesmo essa, chego a um posto de combustível, seja «low cost» ou não, como sei se o combustível é aditivado ou não?
    É certo que os combustíveis das 4 principais petrolíferas em Portugal (Galp, Repsol, Cepsa e BP) se estivermos a falar de gasolina 98 e 95, é aditivado, porque essas 4 petrolíferas já o disseram, mas essa informação não está disponível nos postos. E em relação ao gasóleo, nada se sabe. Nos postos «low cost» não há informação rigorosamente nenhuma, é esta lacuna que tem que ser resolvida pelo legislador.

    ResponderEliminar