sábado, 18 de abril de 2015

Não culpem os jovens, por favor!

Já aqui escrevi sobre o espectáculo degradante que é ver nas noites de fim de semana jovens, muitas vezes ainda imberbes, completamente embriagados. 
Devo dizer, porém, que não é contra eles que me indigno, mas sim contra os desgraçados pais que têm.
Como me indigno contra um governo que, em vez de apostar na educação e na informação, opta pela via mais fácil do proibicionismo.

10 comentários:

  1. Os pais são os principais culpados sem dúvida mas o governo também a tem.
    beijinho e bom fim de semana amigo Carlos

    ResponderEliminar
  2. ~
    Sábias palavras, CBO.

    ~ ~ ~ Muito bem! ~ ~ ~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  3. Sem dúvida que os pais são os maiores culpados. Não é o governo que tem que dar educação. O governo deve propiciar meios de boa Instrução. A maioria dos pais de agora foram criados na rebaldaria do pós 25 de Abril, da liberdade e concubinato que passou a haver. Hoje os paizinhos vão buscar os filhos aos bares e discotecas, para eles não voltarem a conduzir, para casa, completamente bêbados (o que já não é mau, mas deve ser apenas com medo das multas). Se calhar em carros em que eles se endividaram para dar aos filhos imberbes. Depois para poderem pagar as dívidas não tem tempo, que seria bem mais barato, para dedicarem aos filhos. Não querem passar por duros. Põem-lhes computadores e TV no quarto e nem os vêem, nem sabem o que estão a fazer. Em vários países civilizados, há dezenas de anos, que é proibida a venda
    de álcool a menores. O governo tem de criar as leis, só que neste país não há quem
    fiscalize a sua aplicação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Inteiramente de acordo consigo!
      Podemos até nem culpar os jovens, porque de facto os maiores culpados são os seus país, que tem medo de ser país repressivos e então toca de satisfazer todos os caprichos dos petizes.
      Quanto ao governo, pode-se dizer que para a nossa cultura é algo exagerado este tipo de lei, pessoalmente lembro-me de beber algumas cervejas e copos de vinho antes dos 18 anos e não morri por isso. Mas vendo à distância, se não tivesse bebido tais bebidas, também não perdia nada. E verdade seja dita, por algum lado o governo tinha de começar, começou por aqui.

      Eliminar
    2. Já aqui escrevi sobre uma discoteca na Linha, para menores de 12 anos ( mas onde entravam jovens com mais de 18) que funcionava como uma espécie de baby sitter para os pais enquanto estes se iam divertir.

      Eliminar
  4. Acalme-se, Carlos!

    Dentro em breve temos os socialistas no governo, e então, os jovens deixam de beber e os pais dos ditos, deixam de ser desgraçados.

    Um domingo fabuloso com ou sem bebida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre com bebida, Ematejoca, mas eu já tenho mais de 18 anos :-)

      Eliminar
  5. Em cheio, Carlos!!
    Não é a lei seca que resolve o problema.
    Os pais é que têm que educar os filhos em vez de lhes encherem o bolso para eles encherem a cara.

    ResponderEliminar