sábado, 7 de março de 2015

Recordando a globalização

Eu sei que isto é muito velho, mas às vezes é bom recordar

Pergunta:
Qual é a mais correta definição de Globalização? 

Resposta: 
A Morte da Princesa Diana... 

Pergunta: 
Porquê? 

Resposta: 
Uma princesa inglesa com um namorado egípcio, tem um acidente de carro dentro de um túnel francês, num carro alemão com motor holandês, conduzido por um belga, bêbado de whisky escocês, que era seguido por paparazzis italianos, em motos japonesas. A princesa foi tratada por um médico canadiano, que usou medicamentos americanos. Este post foi escrito por um português, usando tecnologia americana (Bill Gates) e provavelmente, está a ler o mail num computador genérico que usa chips feitos em Taiwan com um monitor coreano montado por trabalhadores do Bangladesh, numa fábrica de Singapura, transportado em camiões conduzidos por indianos, roubados por indonésios, descarregados por pescadores sicilianos, reempacotados por mexicanos e, finalmente, vendido a ti por chineses, através de uma conexão paraguaia. 

Isto é GLOBALIZAÇÃO! 


E EU, QUEM SOU? 



Nesta altura da vida já não sei mais quem sou... 
Vejam só que dilema! 
Na ficha de qualquer loja sou CLIENTE, no restaurante FREGUÊS, quando arrendo uma casa sou INQUILINO, nos transportes públicos e em viatura particular sou PASSAGEIRO, nos correios REMETENTE, no supermercado (e lojas também) sou CONSUMIDOR. Nos serviços sociais sou UTENTE. 
Para o estado sou CONTRIBUINTE, se vendo algo importado fugindo aos impostos sou CONTRABANDISTA. Se revendo algo, sou VIGARISTA, se não pago impostos sou CORRUPTO se descubro uma maneira de pagar um pouco menos, sou SONEGADOR. Para votar sou ELEITOR, para os sindicatos sou MASSA SALARIAL, em viagens TURISTA, na rua caminhando PEDESTRE, se passeio, sou TRANSEUNTE, se sou atropelado ACIDENTADO, no hospital PACIENTE. Nos jornais viro VÍTIMA, se leio um livro sou LEITOR, se ouço rádio OUVINTE. A ver um espectáculo sou ESPECTADOR, a ver televisão sou TELESPECTADOR, no campo de futebol sou ADEPTO. Na Igreja católica, sou IRMÃO. 
E, quando morrer... uns dirão que sou... FINADO, outros... DEFUNTO, para outros... EXTINTO, para o povão... MAIS UM QUE DEIXOU DE FUMAR... Em certos círculos espiritualistas serei... DESENCARNADO, os evangélicos dirão que fui... ARREBATADO... 
E o pior de tudo é que, para os governantes, sou apenas um IMBECIL


E pensar que um dia quis ser EU. 


SIMPLESMENTE... 


2 comentários:

  1. E se tiver um acidente , venho nas notícias ..." uma idosa ...."
    M.A.A.

    ResponderEliminar
  2. Não conhecia a pergunta, nem a resposta. Já agora aproveito para pôr em leilão uma caixa , cheia com o chá original, que foi comprada em Londres, em 1981, como souvenir do casamento de Carlos e Diana, onde estão as fotografias dos nubentes e de St Paul's Cathedral,
    Quanto à segunda parte só prova a riqueza da nossa língua, que tão mal tratada tem sido, ultimamente. Às vezes sinto vontade e saudades de ler aqueles livros traduzidos, pelos nossos grandes escritores, que o fascismo não deixava publicar, e tinham de viver de traduções, entre outras coisas. Até as notas de rodapé eram esclarecedoras.
    Depois da globalização somos apenas um #número.

    ResponderEliminar