segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

SMS para António Costa

Nada tenho contra o SL Benfica, mas o perdão de 1,8 milhões de euros ao clube e a concessão de um período especial para legalizar edifícios construídos à margem da lei parece-me uma mensagem clara aos portugueses.
Ao defender que a medida vai ao encontro do que foi seguido em relação a outros clubes, António Costa está a dizer que, sendo primeiro ministro, seguirá a prática do "direito consuetudinário"? Então estamos muito mal e percebe-se melhor a razão de o PS não descolar nas sondagens.

9 comentários:

  1. Não estou bem dentro deste assunto, mas ponha lá o seu
    fanatismo portista de lado, porque nada do que cá tem sido feito se compara ao dono do FCP. Que eu saiba não há nenhuma ilegalidade. E muitas vezes o Direito consuetudinário, é das melhores fontes, e das que provoca menos injustiças. Não vá na onda, não vê que já estão a querer queimar o homem? Acho mais injusta a medida em relação à idade dos carros. Gerir Lisboa é um bico de obra. Talvez um terramoto ajudasse a organizar as coisas. Só que agora não há marqueses de Pombal, nem outro como Duarte Pacheco. Há um imbecil na AR, com este nome, mas se é da família degenerou muito. Já agora faço-lhe esta pergunta: como é que o Carlos regularizava todos os bairros e construções de génese ilegal, como passaram a ser eufemisticamente chamados. Então aqui nos arrabaldes onde moro, vieram para aqui todos os para-quedistas, que não tinham poiso nas suas terras e construíram de tal maneira, que há sítios onde nem dá para passar um carro, nem para fazer saneamento e outras infraestruturas? E a maioria deles não pagou, nem quis participar nas despesas. Só passando pelas situações é que se toma um bocadinho de conhecimento das situações.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há fanatismo nenhum, porque também critiquei a CM do Porto. Lembro é que esta é a terceira vez que presidentes de câmara dão benesses fiscais ao SLB, como também já deeram ao SCP.
      Não há ilegalidade, é certo, mas também não há moralidade.
      Quanto à medida dos carros, até apoio. Apenas com uma ressalva: o trânsito automóvel deveria ser simplesmente proibido no centro da cidade. E não só em Lisboa. Ah, é verdade, também sou a favor das portagens nas cidades...
      Quanto à legalização dos bairros ilegais é outra história. Até porque envolve pessoas e não instituições. Já escrevi vários artigos sobre a (in) sustentável vida nas cidades em jornais e revistas especializadas. É um tema que tem sido varrido para debaixo do tapete, mas que terá de ser encarado de frente a médio prazo.

      Eliminar
    2. Estava mesmo à espera de resposta. Eu também sou contra os carros nos centros das cidades, como acontece em muito lado civilizado. Sou é contra a discriminação por datas. Quem precisa de utilizar um carro velho, será porque faz parte do seu negócio, ou por necessidade esporádica e porque não tem dinheiro para um novo. As grandes máquinas, que por aí se vêem, poluem muito mais do que um velho que tem de ir todos os anos à inspecção. Como sempre é o pobre mexilhão que se lixa. Também é preciso arranjar transportes públicos à altura. Quem mora em Lisboa não sabe o que sofre quem tem de ir trabalhar todos os dias, os desgraçados que foram escorraçados para as periferias, porque não aguentavam as novas rendas em Lisboa, sem esquecer os felizardos de certas avenidas que tinham casas enormes, com rendas de miséria. Quanto aos bairros de lata, aqui nesta zona, por se encontrarem junto ao mar, na altura do PER, os terrenos foram permutados com um grande industrial da construção civil, que construiu urbanizações de luxo, em troca de casinhas, lá para os cus de Judas e a rendas nada baratas. também houve quem se candidatasse a casas da Câmara, para depois as alugarem, pela porta do cavalo, porque já tinham habitação, só que não em seu(deles) nome.

      Eliminar
  2. Carlosamigo

    Daqui de Goa (e com uma perna ao peito, o que é uma porra!) venho acompanhar-te no alerta ao António Costa. E como é sabido, sendo eu PS, com estas e outras não vamos lá...

    Oxalá estejam melhores as sondagens quando voltar a Lisboa. E é já no dia 21 de Abril..

    Abç (um tanto desanimado)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Posso dar-lhe uma ferroada no gesso, só para lhe desejar as melhoras?
      As sondagens não atam nem desatam. Mantém-se tudo na mesma, mais décima menos décima, por isso é que eu não alinho na campanha que já vai sendo urdida. É que a campanha eleitoral já começou...
      Desculpe a intromissão, mas não desanime; nem imagina o frio que tem feito por aqui que é de cortar à faca e as pessoas a morrerem nos hospitais à espera de serem atendidas, nas urgências, horas e horas...

      Eliminar
    2. Olá, HenriquAmigo
      Respeitei o teu pedido e não te enviei um mail para saber se estavas melhor. Infelizmente parece que isso não acontece, mas espero que rapidamente se inverta a situação e ainda possas dar uns mergulhos nessas belas águas de Goa.
      Quanto ao teu comentário, obrigado pelo apoio que confirma a proximidade de perspectivas que temos.
      Grande abraço e arriba, pá! Não estou habituado a ver-te desanimado.

      Eliminar
  3. Pois é, Carlos, com estas e com outras, Costa começa a deixar a imagem de same same but diferent.
    Não era isso que se queria dele, não era isso que se pensava dele.

    ResponderEliminar
  4. Como benfiquista poderia ficar muito feliz e grato por esta atitude de António Costa, que é um bom benfiquista. Mas a coerência obriga-me a dizer que esta medida é completamente eleitoralista. António Costa tenta desta forma captar o voto dos benfiquistas. Mas esta medida não é moralmente justa, sobretudo numa câmara que está em falência técnica. Também tal medida deixa sem argumentos se o Sporting, os Belenenses, o Atlético, o Oriental e o Futebol Benfica vierem bater à porta da câmara de Lisboa a pedir o mesmo tipo de favores. É que aí António Costa não terá argumentos para dizer que não, e isso será desastroso em termos de gestão camarária.

    ResponderEliminar