segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Professor Bambo? Não! Professor Bimbo



Marcelo Rebelo de Sousa reconheceu, sem o admitir, que também foi “tocado” pelo espírito carnavalesco e sentiu a falta da tolerância de ponto. Na terça –feira de manhã  ficou a  gazetear trabalhar em casa e à tarde foi dar aulas  mas, talvez por se tratar de um dia especial, em vez de vir para Lisboa, pela A5, veio pela Marginal.  
E o que viu  o professor Marcelo nessa sua viagem à beira mar?  Praias a abarrotar de gente. Só que não era uma gente qualquer. Eram funcionários públicos que habilmente prolongaram a hora do almoço para se baldarem ao trabalho ( Malandros!)  e mitigar assim um pouco a perda da tolerância de ponto- asseverava ontem o professor na sua homilia dominical.
Ao idenfiticar as  centenas de pessoas nas praias da Linha, como  funcionários públicos, Marcelo quis dar uma de Professor Bambo, entrando na arte da adivinhação, mas comportou-se como professor Bimbo. 
Aquelas pessoas que estavam nos areais de Carcavelos não poderiam ser desempregados? funcionárioas autárquicos de empresas privadas e autarquias que não trabalharam?  Não! Marcelo garante que eram funcionários públicos. Identificou-os com a mesma perspicácia com que, servindo de guarda costas a Pedro Soares Martinez, na Faculdade de Direito, olhava para os colegas grevistas, enquanto o mestre(?) vociferava:
 “ Vocês vão arrepender-se! Eu fixo-vos a todos!” 
Marcelo  começa  a tornar-se ridículo. Para defender o governo das asneiras que semanalmente comete, diz repetidamente que o problema é a falta de estratégia de comunicação. Para o professor Bimbo, perdão, Marcelo, o problema do governo não é cometer erros, é não saber comunicar de forma correcta, de modo a  transformar os erros em medidas  fantásticas, junto da opinião pública.
Quem aprendeu a cartilha do Estado Novo, nunca esquece. Marcelo é a prova disso. No entanto, se mantém o desejo de ser candidato a Belém, também ele deve mudar rapidamente a estratégia comunicacional durante as homilias dominicais.  Começa a ser penoso ouvi-lo e, não tarda nada, ainda antes de se candidatar a Belém, já haverá muita gente a reclamar o que suplica em relação a Cavaco: alguém o ajude a terminar, com dignidade, a função de comentador.

8 comentários:

  1. Marcelo começa a tornar-se ridículo? Começa? Para mim sempre foi! Desde que mergulhou nas águas do Tejo para fazer campanha eleitoral para a CM de Lisboa contra Jorge Sampaio.... Penoso ouvi-lo? sim, muito. Por isso não o oiço. Nem à libelinha com carinha de carochinha infeliz...

    ResponderEliminar
  2. Há quem lhe chame génio !!! O que fez e faz ele de genial?

    ResponderEliminar
  3. Todos os funcionários públicos que conheci marcavam ponto. E, a partir de certa alguma, passou a ser electrónico para não haver rebaldarias, nem troca de identidades e com vigilância por perto. Agora na Câmara de Cascais até houve um presidente, de direita, como quase sempre, que pôs funcionários a trabalhar só meio dia. Se houvesse mais trabalho ganhavam horas extraordinárias. Agora também está entregue a um lambe-botas, que traiu Capucho e até pediu a sua expulsão do partido. Dá gosto viver num Concelho, onde vive gente rica, onde houve a maior abstenção e onde a direita teve a maior votação.
    O homem está mesmo a ficar senil. Faz observações do mais reles possível. E foge de qualquer compromisso.

    ResponderEliminar
  4. Eu oiço o trampolineiro para poder apanhá-lo nas contradições....o gozo que me dá quando dou pelas acrobacias...Este teste que faço a mim mesma , permite-me concluir que aquelas doenças da idade ainda não andam por aqui.
    M.a.A.

    ResponderEliminar
  5. Essa de ter servido de guarda-costas ao Soares Martinez diz muito! :)

    O facciosismo dele é tanto, que por vezes até me dá vontade de rir. Quando foi a cena dos sacos plásticos a 10 cêntimos até disse que acreditava que o governo estava bem intencionado. Pois!

    Enfim, mas ultimamente ele começa a falar e eu... adormeço! :D

    Beijocas

    ResponderEliminar
  6. Vai ver que os tipos traziam cartão de identificação, Carlos.
    Só pode :)))

    ResponderEliminar
  7. O Catedrático de espinha mole,politicamente,morreu antes de nascer e ninguém o avisou.Não há paciência, para tanto truca truca inconsequente.Paz à sua alma!!!

    ResponderEliminar
  8. Mais uma, apenas mais uma patetice de Marcelo. A roçar o obsceno.

    ResponderEliminar