sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Os limites à liberdade de expressão

Todos aplaudem a liberdade de expressão, mas os aplausos cessam quando os interesses de alguns são beliscados.
Veja-se, por exemplo, o que se passou em Portugal no tempo de Sócrates quando duas dezenas de idiotas foram para a porta da AR protestar contra a falta de liberdade de expressão e em defesa de Mário Crespo e MMG.
Meses depois, alguns deles estavam no governo, outros em empresas e institutos públicos e uns quantos em gabinetes ministeriais .(Muitos deles, como se recordam eram jornalistas).
Entretanto Mário Crespo foi corrido da SIC e nem uma voz se levantou em sua defesa.
Depois da chacina no Charlie Hebdo, das manifestações em defesa da liberdade de expressão e da moda Je suis Charlie, temos assistido à mais vergonhosa onda de auto censura de que me recordo na Europa.
Finalmente, hoje,  ficamos a saber que os patrões e accionistas do "Le Monde" acusam os jornalistas que divulgaram o caso Swissleaks de delatores, por terem divulgado o resultado de uma investigação.
A compra dos meios de comunicação social por poderosos grupos económicos e a governamentalização de canais públicos de televisão está a transformar aliberdade de expressão num mito. Cada vez haverá mais jornalistas a fazer auto censura, com medo de represálias. Outros estão a optar pela política. 
Em breve, os jornalistas serão funcionários públicos ou empregados de empresas que se limitarão a cumprir ordens dos patrões.
O jornalismo precisa urgentemente de uma revolução que lhe devolva a dignidade e...a liberdade de expressão.

5 comentários:

  1. «Depois da chacina no Charlie Hebdo, das manifestações em defesa da liberdade de expressão e da moda Je suis Charlie, temos assistido à mais vergonhosa onda de auto censura de que me recordo na Europa».

    Carlos, infelizmente sou forçado a concordar consigo. A auto-censura é a mais baixa e vergonhosa censura, que já existia antes da matança no Charlie Hebdo, mas agora está demais.

    ResponderEliminar
  2. A liberdade de expressão traz perigos, sim... mas... a implementação do lápis azul (vulgo censura) traz perigos muito muito maiores!

    ResponderEliminar
  3. Discordo da sua tese. Está seguro que todos os que constam na lista de nomes divulgada praticaram ilegalidades ? Como sintetizava o F Fernandes há dias, a questão é esta: tem dinheiro no Banco, " Sim, mas ela fez o quê? ". Quando não respeitam este pressuposto de inocência que é elementar numa sociedade civilizada e se atiram de cabeça para julgamentos morais na praça pública, os jornalistas prestam um péssimo serviço à sociedade.

    JRodrigues

    ResponderEliminar
  4. «Em breve, os jornalistas serão funcionários públicos ou empregados de empresas...»
    Pergunta que se impõe: em breve?

    A liberdade de expressão é, sabemos, um pau de dois bicos. Acreditemos que um dia um dos bicos se quebre.

    ResponderEliminar