quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Das prioridades deste governo

Este automóvel que o governo oferece todas as semanas, podia salvar a vida a um doente com hepatite C. 


Deixa-se morrer uma pessoa porque, alegadamente, não há 48 mil euros para comprar o medicamento que a salvaria, mas gastam-se todas as semanas 40 mil euros em sorteios de  automóveis para premiar os contribuintes.
Sabe-se depois que afinal o preço do medicamento passou a ser de 28 mil euros e que a farmacêutica disponibilizou, gratuitamente, tratamentos para 100 doentes. Só uma pequena parte deles foram utilizados.
A doente morreu porque o processo que lhe permitiria aceder ao medicamento andou em bolandas, emaranhado nas redes da burocracia.
Outros doentes estão condenados a morrer, se o medicamento não for disponibilizado, mas o governo continua a ser renitente, porque está em negociações com a farmacêutica, para baixar o preço.
As pessoas não podem ser joguetes no meio de uma página EXCEL em que a ministra das finanças e o ministro da saúde  se deleitam a fazer contas, sem cuidar de salvar vidas.
Viver num país em que de um dia para o outro se disponibilizam 4 mil milhões de euros para entregar a um banco, mas se esgrimem mil e um argumentos para poupar 28 mil euros que salvariam uma vida, é repugnante.
Isso não invalida que considere um crime o laboratório que produz o medicamento ganhar 5 mil por cento. 
Não há limites para o desaforo do mercado a funcionar, mas tem de haver limites a um governo que prefere oferecer automóveis, a salvar vidas.
Isso tem um nome e os responsáveis deveriam ser julgados. Mas o maior culpado não é Paulo Macedo. 

6 comentários:

  1. Um grito que rasga o silêncio dos dias em que os empossados dos votos brinca com a saúde dos mais pobres e doentes...

    ResponderEliminar
  2. Macedo é culpado na medida em que faz parte de um governo de celerados, mas não é ele, realmente, o principal culpado. Antes dele temos o Cavaco, o Coelho e o Portas. A ordem não é arbitária.

    ResponderEliminar
  3. Não é este governo que oferece carros de gama alta aos cidadãos?

    ResponderEliminar
  4. Eu acho Paulo Macedo um tipo decente, mas penso também que já se devia ter demitido...

    ResponderEliminar
  5. O Carlos põe o dedo na ferida - a farmacêutica é criminosa no preço leonino que pede pelo medicamento.
    Dito isto, enquanto se negociais com a dita farmacêutica NÃO PODE ficar UM SÓ doente sem tratamento

    ResponderEliminar