terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Começou a caça às bruxas?

Nunca tive grandes dúvidas sobre as motivações de Carlos Alexandre e Rosário Teixeira, quando decretaram a prisão preventiva de Sócrates: humilhá-lo e exibi-lo à opinião pública como trofeú que avalizasse o bom funcionamento da justiça.   (Ainda estou para perceber  se em matéria de troféus  foram Carlos Alexandre e Rosário Teixeira a aprender com Maria Luís Albuquerque e Passos Coelho, ou o contrário, mas isso agora pouco importa). 
Por outro lado, a credibilidade da ministra estava de rastos depois do Citius e da reforma(?) da justiça. A contestação dos advogados,  funcionários judiciais, procuradores e alguns juizes   à  actuação  de Paula Teixeira da Cruz não parava de aumentar, mas a promessa de um aumento dos salários dos juízes  merecia uma recompensa. Afinal não tinha sido a ministra a dizer que a impunidade tinha acabado? Carlos Alexandre estava disposto a demonstrá-lo e, sem qualquer relutância, terá escrito que se a prisão preventiva pecava, era por defeito. ( Não explicitou o juiz qual a medida que considerava justa, mas isso agora também não interessa nada)
Quando a advogada de Carlos Santos Silva escreveu um artigo demolidor no Boletim da Ordem dos Advogados, em que põe a nu as irregularidades e  arbitrariedades na detenção de Sócrates ( recordo que esteve 5 dias sem direito a tomar banho ou mudar de roupa) não merecendo qualquer reacção dos visados, tornou-se para mim ainda mais claro que havia outros objectivos na prisão de Sócrates. Responder ao artigo poderia levantar ondas e isso não convinha minimamente aos interesses da acusação.
Mas se dúvidas ainda me restassem, a entrevista de Maria José Morgado dissipou-as. Toda a gente percebeu que as fugas de informação são selectivas, canalizadas sempre para os mesmos meios de comunicação social que sempre se destacaram na propaganda contra Sócrates e tendo como objectivo criar a ideia, junto da opinião pública, de que Sócrates é culpado. No entanto, Maria José Morgado conseguiu dizer, com aquele ar sonso que todos lhe conhecemos, que as fugas de informação favorecem sempre a defesa. Não se tratou de corporativismo. Foi lata e falta de vergonha!
Hoje, logo pela manhã, ainda antes de ser comunicada a decisão de Carlos Alexandre aos advogados de defesa, já o Pasquim da Manha noticiava que Sócrates ia ficar mais três meses na cadeia.
 Pela tarde, ficamos a saber que a decisão sobre o recurso apresentado pela defesa de Sócrates foi adiada. Numa decisão que não é inédita, mas muito rara ( segundo afirma a defesa) o Tribunal da Relação pediu um parecer ao Ministério Público, o que permitirá adiar pelo menos por mais 20 dias a decisão.
Finalmente, dando por verdadeira uma notícia publicada no Jornal de Notícias, a investigação do processo Marquês está a ser alargada a outros membros do governo de Sócrates. Chegado a este ponto começo a interrogar-me, de forma ainda mais fundamentada, se  a prisão de Sócrates não é de mais amplo espectro e pretende, além de incriminar o ex-primeiro ministro, minara credibilidade do Partido Socialista, apresentando-o à opinião pública como um viveiro de corruptos. Em ano de eleições, com o PSD e o CDS em risco de serem varridos do poder, a perseguição da justiça ao Partido Socialista é uma dádiva inesperada. Assim como um penalty inventado pelo árbitro para favorecer a equipa do seu coração...
É óbvio que os juízes devem estar gratos a este governo que lhes aumentou os salários, quando todos os portugueses sofem cortes nos seus rendimentos, mas não acredito que  seja suficiente para que, em forma de agradecimento, seja desencadeada uma caça às bruxas, visando o PS. Outras intenções haverá certamente. Talvez um dia as consigamos descortinar.
Sócrates pode vir a ser julgado e justamente condenado pelos crimes de que é acusado. Não é isso que está em causa. O que é aterrador  é assistir passivamente à sistemática violação das regras da democracia, enquanto os agentes da justiça usufruem da impunidade dos seus actos, porque ninguém fiscaliza o seu "modus operandi".

16 comentários:

  1. Só gente mal intencionada, e há muita, pode duvidar que a prisão de Sócrates é um caso político.
    Enquanto o CM, o da manha, escrevia o que escreveu, o 'Público' informava outra coisa. Sobre a decisão que afinal não teria, ainda, existido.
    Poder-se-ia perguntar quem desta feita errou a pontaria e fez com que o tal da manha errasse. Não vale a pena perguntar, a resposta está bem à vista.
    Não será exagero dizer que o da manha teve o maior prazer em errar. Tratava-se de Sócrates e, ao que parece, o pasquim de Octávio Ribeiro vai a todas para fazer mal a Sócrates mas também à ética jornalística. Que se cuidem as andorinhas que preparam a sua aparição. Não tarda, estarão a ser investigadas pelo da manha e, quem sabe, a serem apontadas como testemunhas de qualquer coisa.
    Que tristeza de gente!!!

    ResponderEliminar
  2. Estamos entregues aos bichos! Espero que não seja irremediável, mas não tenho muita esperança!

    ResponderEliminar
  3. Estamos de facto entregues a uma bicharada tenebrosa...quando querem destruir , ou são ladrões , ou panascas , ou pedófilos, ou isto ou aquilo....Um dia , vamos todos ter de pagar a indemnização aos dois que estão presos e cujos juizes andam à procura de gambuzinos..É tudo muito indigno .
    M.A.A.

    ResponderEliminar
  4. Concordo com cada palavra que aqui escreveu, embora me sinta de coração apertado no fim da leitura. Aperta o coração ver que não há como confiar nesta "justiça" e nestes "justiçadores" da treta que se movem por vinganças e malquerenças como no tempo da ditadura - gente mesquinha, mal-formada e de cariz paroquial.

    Muito triste e assustador!

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Carlos,
    Vamos com calma.
    Nenhum de nós conhece os pormenores do processo para poder fazer afirmações tão assertivas e tão graves como as que vou vendo fazer.
    Sendo alguém que trabalhou no sector da Justiça, posso dizer-vos que aquilo que às vezes pode parecer um pormenor de somenos pode fazer afinal toda a diferença.
    E, mesmo com todas as fugas de informação (já mete nojo!!), os pormenores do caso, aqueles que são relevantes na tomada de decisão, são conhecidos de muito poucos.
    Precisamente aqueles que estão obrigados pelo segredo de justiça.
    O tempo, esse grande escultor, como escrevia Yourcenar, se encarregará de nos fazer perceber exactamente o que se está a passar e porquê.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que está em causa, Pedro é uma prisão manifestamente ilegal, como tem sido denunciado por pessoas tão insuspeitas como Marques Mendes, José Miguel Júdice, ou Bagão Félix ,
      A entrevista da PGR hoje ao Publico também admite vários erros do MP.

      Eliminar
    2. Mas qual prisão ilegal?
      Respondendo a um leigo: A prisão não foi feita por um gang ou uma tríade, foi feita pela polícia, logo nunca seria ilegal.
      Respondendo juridicamente: À resposta anterior acrescento que após a detenção, José Sócrates foi ouvido por um juiz de instrução (Carlos Alexandre) e por um Magistrado do Ministério Público (Rosário Teixeira). Tendo sido a sua prisão enquadrada pelo Código de Processo Penal.
      Por isso custa-me a acreditar que esses senhores doutores não tenham tido sequer o cuidado de consultar o referido código.

      Eliminar
    3. Paulo:
      Se leu o artigo da Paula Lourenço, no boletim da Ordem dos Advogados, deve ter percebido que está lá, preto no branco, que a prisão foi ilegal. E a verdade é que ninguém, até hoje, contestou o artigo.
      Por outro lado, também não acredito que as pessoas que citei, tendo responsabilidades, cometessem o erro de fazer as afirmações que fizeram.

      Eliminar
  7. A justiça está em roda livre. Ponto final.

    ResponderEliminar
  8. A justiça está em roda livre. Ponto final.

    ResponderEliminar
  9. A crença é uma força imbativel. Nem a ignorancia(podem ler toda a acusação no acordão da relação, aberto ao publico), nem o dinheiro gasto que nunca acaba fazem as almas que vèm altos quadros do estado e do partido do governo acusados e condenados repensarem a sua invencivel fé.

    ResponderEliminar
  10. A caça às bruxas acontece sempre que a direita está no poder; Já se esqueceram do que aconteceu quando o Durão e o Portas governavam? Lembram-se do processo Casa Pia e quem foi envolvido? Até o nome do presidente da república na altura, Jorge Sampaio foi envolvido, para não falar em Paulo Pedroso, também preso preventivamente e Ferro Rodrigues e outros socialistas.
    A quem interessou este processo? Quem ganhou com ele? Quem manipulou quem? Alguém foi julgado pelos erros cometidos quer na investigação quer na condução deste processo? E as fugas de informação também na altura, cirurgicamente utilizadas, quem foi apanhado? E a fantochada da condenação do Carlos Cruz? Veredicto saído para ir de encontro ao desejo popular que já o havia condenado, levado ao colo pela comunicação social que para isso foi manipulada. Tudo se repete de novo!
    No caso do Eng. Sócrates, com a agravante de que já tudo tentaram para o apanhar, vejam-se os casos que o tentam envolver. Ninguém se assusta com isto? Ninguém se assusta com esta justiça? Ninguém se assusta que hoje é ele, amanhã pode ser qualquer um? Quer dizer, qualquer um não, basta ser de direita para se estar livre deste pesadelo.
    Quem selecciona os "justiceiros"? Será que a conotação política é um critério de selecção? Gostaria de ver um trabalho jornalístico a sério sobre este tema.
    No caso Casa Pia, no Acórdão do Supremo tribunal de Justiça concluiu-se "Foi ainda indicado que «a prova produzida evidencia» que altas figuras do PS fizeram uma série de «diligências» que perturbavam o processo e pressionariam as testemunhas" e estes doutos Sr não detectaram mais nenhuma pressão? Nem quem estava por trás das fugas de informação?
    No mínimo assustador; Arrasaram com o PS na altura com uma investigação miserável, orientada num determinado sentido e no fim ainda concluem desta forma.
    Alguém ainda tem dúvidas sobre a quem estamos entregues???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, e já me esquecia da recente condenação de Maria de Lurdes Rodrigues; Alguém ainda tem dúvidas de que anda por aí uma caça às bruxas?
      Acautelem-se pessoal do PS, mais se seguirão.
      Pena que não se cace mas é os verdadeiros delapidadores do país; Banqueiros e companhia, mesmo com enormes rabos de fora. Veja-se o caso BES/submarinos ou o caso BPN e amigos; Quem foi apanhado? Quem investigou? Alguém foi condenado por erros ou falhas na investigação? Não? Então continuará tudo na mesma.

      Eliminar