quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Negócios escuros, clarinhos como água

Ontem já aqui colocara as minhas dúvidas, mas ontem à noite o sr Feijó, presidente do CGPI ( Conselho Geral Putativamente Independente), fez questão de as dissipar em entrevista à RTP:
A demissão de Alberto da Ponte nada teve a ver com a sua qualidade profissional, nem com a fraca qualidade técnica do Plano. O próprio CGI, num desavergonhado flic flac à retaguarda, desmentiu o que meses antes dissera sobre Alberto da Ponte e prontamente corroborado por Poiares Maduro.
O que indignou o governo e por contágio directo o CGI, foi Alberto da Ponte ter querido recuperar a RTP com a compra dos direitos da Liga dos Campeões. Foi um inadmissível ataque às televisões privadas.
Descartado Alberto da Ponte, Feijó foi clarinho como água:
A  RTP  vai pode negociar a venda dos direitos dos jogos da Liga dos Campeões e das selecções nacionais com os canais privados.  TVI e SIC agradecem. Apesar de as transmissões desportivas da RTP ( nomeadamente o Euro 2004) terem sido consideradas pela FPF as melhores de sempre.
Esclarecida a motivação do  governo  CGI na demissão do Conselho de Administração da RTP, fica por esclarecer quais as motivações que levam o governo a querer destruir a RTP, mas não tardará muito até que o saibamos.
Esta mixórdia de gestores e governantes que vai destruindo o país entregando tudo o que é público ao privado ( sabe-se lá com que proveito próprio) e impedindo as empresas públicas de crescerem e se tornarem rentáveis, tem de ter um preço. Os contribuintes pagam-no e alguns ( os suspeitos do costume) metem ao bolso uns trocos.
Curiosamente, à mesma hora que Feijó  se escondia atrás do biombo e atirava para cima do próximo CA da RTP a responsabilidade dessa venda ( desejada pelo governo, por sua vez escudado no CGI) na TVI um tipo com apito na boca que, tal como o governo CGI, se proclama árbitro, mostrava a milhares de espectadores como roubar se tornou uma actividade tão banal como respirar.
Ainda há quem diga que não há coincidências...

N.E. - Não aconselho ninguém a perder tempo a ver a entrevista, mas sugiro a leitura  deste resumo do Expresso, bastante elucidativo.

4 comentários:

  1. Toda a gente sabe que o que se passava na RTP, além de outras coisas, o que interessava era o negócio do futebol. E também está satisfeito com esta notícia? Amigos, amigos, negócios à parte. A vida é mesmo um jogo e não um conto, contado por um idiota, como dizia o outro. http://www.dinheirovivo.pt/Economia/interior.aspx?content_id=4356926

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já se sabia que seria assim. A Merkel não ia dar coisas de borla, porque se existem contos de Fadas, ela é a bruxa má.

      Eliminar
  2. Carlos,
    Lembre-se de alguns casos sobejamente conhecidos, nos partidos do chamado arco da governação, e tem a resposta - criação de tachos para agarrar no final da carreira política.
    Não olhe a cor porque esta é uma regra sem excepção.
    As possíveis excepções não são resultado de convicção, são resultado de falta de oportunidades para poder fazer estas manobras.

    ResponderEliminar