segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Esmolas não são incentivos,ó palhaços!


Pedro Mota Soares faz-me lembrar uma hiena. Ri-se muito, mas ninguém percebe porquê.

Nos últimos tempos, o papa hóstias da Vespa tem sido o maior protagonista na tomada de medidas demagógicas com que o governo pretende aliciar o voto dos eleitores desempregados em ano de legislativas.
Entre as medidas está o programa REATIVAR  que tem como objectivo promover estágios para desempregados com mais de 30 anos.
Sendo uma boa medida para as empresas - contratam trabalhadores pagos pelos contribuintes- não me parece assim tão aliciante para desempregados qualificados e com uma ou duas décadas de trabalho, cujo estágio já terá sido feito no início da sua carreira profissional.
Os estagiários vão receber uma "bolsa" entre 419 e 675 €, dependendo da sua qualificação profissional ( e eu, burro, a pensar que o objectivo dos estágios  era  qualificar profissionais no início de carreira...) mas, em determinadas circunstâncias- vítimas de violência doméstica e ex-reclusos, por exemplo- a bolsa pode ser majorada.
Eu gostava que o Pedro lingrinhas me explicasse em que medida é que este programa vai ajudar ao crescimento mas, como nem ele sabe, adiante...
O outro programa anunciado com grande alarido pelo papa hóstias não tem nome específico, mas assentar-lhe-ia bem uma coisa do género " Vá para fora cá dentro", já que se trata de um programa de incentivo à mobilidade dos trabalhadores dentro do território nacional.
Registo, com agrado, que este governo começou o seu mandato a mandar os portugueses emigrar e termina convidando-os apenas a migrar. Uma espécie de "ratinhos dos tempos modernos", com a diferença que estes não vão apanhar azeitona.
Realço ainda o facto de em termo do mandato o governo pagar as viagens de quem se pretenda deslocar de Lisboa para Bragança, por exemplo. Magnânimo, 
 o Motinha da Vespa oferece um subsídio para viagem no valor de 102,75€, se o trabalhador levar a família. Caso contrário, o candidato que pague a viagem do seu bolso.
Mas atenção! Se o trabalhador se deslocar para um local que fique a mais de 100 quilómetros da sua residência, ainda recebe um magnífico subsídio de 219€ durante...quatro meses! 
O governo,em uníssono, chama  a isto " incentivo à mobilidade". Convém lembrar ao homem da Regisconta Tecnoforma e seus acóliotos que esmolas não são incentivos. 

2 comentários: