sábado, 31 de janeiro de 2015

Podemos, mas não queremos

Ainda é cedo para saber quais serão os efeitos da vitória do Syriza mas a primeira semana tem sido de euforia. 
Hoje, em Madrid, o povo saiu à rua para pedir mudança de políticas e o fim da austeridade, numa das maiores manifestações de sempre na capital espanhola.
Por cá, algumas (poucas) centenas de pessoas- na maioria figuras públicas e trabalhadores da TAP- concentraram-se junto ao aeroporto em protesto contra a privatização da TAP.
Nem o roubo de uma empresa emblemática, por parte de um governo vendido aos interesses dos mercados e cobardemente vergado a Bruxelas, mobiliza os portugueses. 
Deixemo-nos de tecer loas à bravura do povo português e ao estoicismo com que aguentou a humiilhação de uma austeridade cega e selectiva, que teve como único objectivo aumentar as desigualdades, reduzir os salários e capitalizar os patrões.
Não espanta, por isso, que as pessoas reajam com indiferença quando o secretário de estado dos transportes diz, com toda a naturalidade, que o futuro da CP carga será aquele que a comissão europeia quiser.

A mulher catavento

Paula Teixeira da Cruz faz-me lembrar um ex colega de trabalho que se gabava de ter diariamente  uma IGD( Ideia Genial do Dia).
A loiraça justiceira pensa pouco sobre as coisas e reage aos impulsos ditados pelos sonhos.
A súa última IGD foi proibir os vereadores de exercer advocacia, mas não aplicar a mesma proibição aos deputados. No dia seguinte alguém lhe telefonou a perguntar se não achava melhor ser internada, porque a ideia revelava graves perturbações  e ela lá desistiu.
Venha a próxima IGD da Paula, para nos rirmos mais um bocado com esta mulher catavento.

Aponte aí, s.f.f.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Post para beatos e ratas de sacristia

A direita está indignada porque António Costa aplaudiu a vitória do Syriza e não se pronunciou sobre a derrota do PASOK, o seu partido irmão.
Alto e pára o baile! 
Já que clamais  fraternidade, tenho a dizer-vos uma coisa. Eu nunca defenderia um meu irmão que  humilhasse a minha família  aliando-se a um grupo de bandidos e condenasse inocentes à fome, para ficar com a herança. Foi isso que o PASOK fez, quando se aliou à direita. Ficou sem herança e sem poder e foi muito bem feito.
E vocês, beatos e ratas de sacristia, condoídos com o silêncio de Costa? Já lançaram uma petição para ilibar o Ricardo Salgado que roubou milhares de portugueses com falcatruas?

Com a boca no trombone

Às pinguinhas, Ricardo Salgado vai libertando informação sobre as reuniões que teve com políticos, por causa do BES. Vai  chamando os bois pelos nomes e, nesta segunda carta, já acrescentou o nome de Portas e corrigiu o número de reuniões que teve com membros do governo, Cavaco e Barroso.
As chocas estão, por agora, no redil, à espera de ordens para retirar o touro da arena.
Um dia destes, Salgado é bem capaz de por a boca no trombone, se Cavaco continuara fazer-se desentendido e a negar que alguma vez tenha falado sobre o BES.
O azar dele é que a memória não se apaga e as suas declarações em Julho, ficaram registadas para a posteridade.

Os contos de crianças explicados a um mitómano

A agência Bloomberg - em editorial intitulado Os esquerdistas malucos da Grécia têm uma boa ideia” – defende a recuperação económica da zona euro através do alívio da dívida dos países mais atingidos pela crise;
No  editorial - Greece's Agonized Cry to Europe- o New York Times avisa a Alemanha " e outros países europeus" que deve perceber a mensagem vinda das eleições gregas e persistir no erro será mau para a Grécia mas, sobretudo, perigoso para a União Europeia;
Ainda no New York Times, Paul Krugman escreve  um artigo (  Ending Greece's Nightmare) que o plano económico do Syriza é mais realista que o da troika  que classifica como "uma fantasia"  Krugman defende mesmo que o programa do Syriza devia ser mais radical;
Na Deutsche Welle, estação de rádio e televisão alemã, pode ler-se um artigo de opinião assinado por Jasper Sky ( Solidarity with Greece makes economic sense)que  aconselha a Alemanha a ser solidária com a Grécia e os países do sul e acusa a Alemanha de ser antidemocrática, por não aceitar o resultado das eleições gregas;
Também  o governador do Banco de Inglaterra critica a política de austeridade imposta pela troika  e alerta que a recusa de os países ricos em ajudarem os países pobres, arrisca mergulhar a Europa numa nova década perdida
Entretanto, por cá, o emérito economista Passos Coelho -que tirou um curso por correspondência aos 40 anos -  diz que o programa do Syriza é um conto de crianças. 
Para tornar tudo mais claro anuncia a recusa em participar numa conferência euopeia sobre renegociação da dívida, proposta por Tsipras, acolhida de imediato pela Irlanda e encarada como uma hipótese interessantes pela França e pela Itália.
 Já não se trata apenas de subserviência. É o reconhecimento  de que se vendeu à Alemanha e os portugueses são meros empecilhos que o atrapalham. 

Tão transparente que até cega

Na quarta-feira, a maioria impediu  o ex-presidente do IGFEJ de ir à AR contar a verdade sobre o que se passou com o Citius. ( Esta maioria adora a verdade e a transparência, desde que não colida com a SUA verdade, que é a que nos impinge diariamente).
No dia seguinte ( ontem) o PSD  exibiu um tempo de antena em que enaltece as reformas da justiça de Paula Teixeira da Cruz. 
Como é habitual no PSD, o tempo de antena contém uma série de inverdades e algumas mentiras. Na S. Caetano já expulsaram a palavra verdade do vocabulário interno.
Disse-me uma joaninha que Paula Teixeira da Cruz exigiu a realização desse tempo de antena, para não se demitir. Fizeram-lhe a vontade. 
Percebe-se assim, ainda melhor, a ida do ex presidente do IGFEJ à AR. Iria tirar brilho ao tempo de antena ficcionado do PSD e demonstraria que a protagonista afinal não só é incompetente, como para se livrar de responsabilidades não hesita em acusar outros.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Isto é como ir às putas, Martin!

Se lesses o CR não te espantavas, Martin. Há meses alvitrei a hipótese de a Grécia  mudar de parceiros. E devias lembrar-te que  não há muito tempo- ainda antes de rebentar a crise na Ucrânia- Putin se ofereceu para pagar a dívida da Grécia, mediante algumas condições.
A vida é assim mesmo, pá! Não percebo a razão do teu espanto. Quando ias  às putas, como fazias se não saísses de lá satisfeito? Procuravas outra, não era?
Em sentido figurado, é o que o Tsipras está a fazer. Se a Merkel for esquiva e não o deixar satisfeito, ele bate com a porta  e vai ao Putin.
Imagina só a alegria do Putin se vir  Tsipras a bater-lhe à porta! Ele conhece bem  os voluptuosos  atributos geo-estratégicos da Grécia. O Tsipras, por sua vez, sabe como pode fazer render esses atributos. É que ele tem lá em casa uns milhões de famintos a quem tem de dar de comer.  Essa é a sua primeira prioridade. Não se comporta como um coelho selvagem que se está marimbando e se os filhos tiverem fome deixa-os  morrer,  para agradar à namorada.
É essa a diferença entre um Homem e um bicho. Não te ensinaram isso na escola, Martin?

E se a Alemanha saísse do euro?

A hipótese foi levantada por João Ferreira do Amaral e parece-me ter alguma lógica.
Argumenta o economista, que, no caso de o Syriza conseguir algumas das suas pretensões, a Alemanha pode cansar-se e sair do euro, arrastando consigo alguns países do norte da Europa.
Vale a pena lembrar que a Alemanha nunca foi grande entusiasta da moeda única e só aceitou aderir, quando viu que poderia obter alguns benefícios.
Como  um  puto que não gosta de jogar Monopólio, mas se deixa convencer, perante a insistência dos amigos, Merkel acabou por se  entusiasmar, quando constatou que ganhava sempre.
Até que um dia perde um jogo e começa a irritar-se.
Quando está preste a perder o segundo, abandona o jogo e vai para casa amuado.
Depois de ter perdido o braço de ferro com o BCE e ver o Syriza ganhar as eleições na Grécia, Merkel vai enfrentar dois desafios que não pode perder : as eleições em Espanha e em Inglaterra. Se sofrer um revés e a hegemonia que sonha ter na Europa for posta em causa, é muito provável que abandone o jogo definitivamente.
Normalmente, estes meninos birrentos acabam por ter uma vida difícil quando chegam à idade adulta. Talvez seja o que vai acontecer à Alemanha. O problema é que, pelo caminho, vai fazer muitas vítimas e o jogo pode acabar mal.

Perguntem ao gajo !

Maior surpresa do que a candidatura de Figo à presidência da FIFA, é ver a surpresa dos   órgãos de comunicação social tugas.
A Paula Teixeira da Cruz devia ter-lhe telefonado imediatamente para saber como se evitam fugas de informação e aplicar o método para evitar fugas ao segredo de justiça. 

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Escuta, Zé!





Só te dedico este post, porque decidiste  vir para as páginas dos jornais defender a tua honra, na sequência das criticas que fizeram ao teu trabalho em Atenas. Concordo que algumas são exageradas, mas a verdade é que tal como o teu Benfica em Paços de Ferreira, também te puseste a jeito com as reportagens que fizeste em Atenas.
Conheço bem a Grécia e sei que é verdade o que dizes sobre os falsos paralíticos, os taxistas cegos, os médicos corruptos - meros exemplos da corrupção que mina a sociedade grega. Sei que havia muitos funcionários públicos que nem sequer iam trabalhar.  Limitavam-se a receber o vencimento. Conheci vários nessas condições. Mas tudo aquilo que conheço e critico na sociedade grega, não me confere o direito de generalizar e perentoriamente garantir que os gregos são corruptos e preguiçosos.
Terás  de reconhecer que não foste isento. Poderá ter sido azar meu, ou excesso de pontaria, mas nos apontamentos que fizeste de Atenas nunca te ouvi referir que os desempregados não têm subsídio de desemprego e que ao fim de três meses sem trabalho, as pessoas deixam de ter acesso aos serviços de saúde. Escondeste a miséria em que vive grande parte da população grega. Fizeste orelhas moucas e fechaste os olhos ao que não te interessava para a narrativa que querias impingir aos telespectadores da RTP.
Não o fizeste por incompetência. Foi  má fé ,  desonestidade intelectual ou, então, porque de tantos livros escreveres, já  confundes a tua profissão de jornalista com a de escritor ( na minha modesta opinião mauzinho, devo dizer) . O que reportaste desde Atenas, não foi a verdade. Foi a tua verdade. Aquela que impinges aos teus leitores ( com sucesso, devo reconhecer) nos teus livrecos de cordel. Prestaste um mau serviço aos portugueses mas, acima de tudo, à televisão que te paga o direito ao devaneio e, até por isso, devias respeitar.
Como cidadão, podes dizer tudo o que te apetece. Como jornalista, enviado especial de um canal de televisão ( ainda por cima público) deves limitar-te a dizer a verdade. Não “a tua” verdade.
Tu sabes bem que o Syriza não é um partido de extrema esquerda radical, mas não hesitaste em transmitir essa mensagem, estilo “ Maria vai com as outras”. No entanto, nunca te ouvi uma palavra de repúdio ao Aurora Dourada. E já agora que tens a dizer dos partidos que impuseram austeridade cega a gregos e portugueses? São moderados?
Chegaste a ser ridículo quando  expressaste o desejo de que  os gregos ainda tivessem um lampejo de bom senso de última hora e não votassem no Syriza. Isso não te dignifica nem um bocadinho. Bem pelo contrário.  Chegou a hora de te decidires se queres ser escritor ou jornalista, Zé. Não é que sejam actividades incompatíveis, tu é que as tornas incompatíveis na tua condição de Homem Duplicado. Se queres que te dê a minha opinião, penso que és melhor jornalista do que escritor, mas acredito que aufiras mais rendimentos dos livros do que do jornalismo, pelo que deveria ser fácil optares. Só que é o jornalismo que te fornece material para os livros que escreves, pelo que deixar o jornalismo seria secar a fonte em que te inspiras.
Azar teu! 
Não podes é continuar a ser cabotino e a desprestigiar o jornalismo.

Presumo que já estejas a preparar um novo livro para o Natal, que tenha como pano de fundo a Grécia. Podes começar a escrever o guião quando regressares a Lisboa num dos próximos voos. Mas vê lá se deixas de sonhar com sopa de peixe feita com leite de mamas ( que sonhos tens, Zé!) e consegues descrever uma relação sexual sem caires no ridículo. Já agora, se me permites um conselho, não te esqueças de trazer uma caixinha de bombons da free shop do aeroporto para a Cristina Esteves. É que a forma arrebatada como ela te defendeu, perante as críticas de José Manuel Pureza, merece uma recompensa.  

E se não for incompetência, mas sim vingança programada?

O DN de ontem noticiava que o juiz Carlos Alexandre escreveu, no despacho que determina a prisão preventiva de Sócrates," a medida aplicada , a pecar, não é por excesso".
Sinceramente, não acredito que isso seja verdade porque, a confirmar-se , quer dizer que Carlos Alexandre enlouqueceu ou, na melhor das hipóteses, é um canalha.
De qualquer modo, lamento o silêncio em volta desta suspeição. Porque não é só um juiz que está em causa. É a justiça no seu todo. Quando um juiz considera que a prisão de alguém baseada em suposições é uma medida demasiado branda, não estamos a regressar ao fascismo. Estamos perante o livre arbítrio nas decisões judiciais. Lamentável, por isso, que Carlos Alexandre não tenha reagido imediatamente e negado a veracidade da notícia. Deixar que a opinião pública formule a convicção de que um super juiz enlouqueceu, ou age por vingança, é demasiado grave para que ele se remeta ao silêncio.
Aqui chegado, não resisto a ser um pouco mais maquiavélico. E se o escândalo da colocação dos professores, o colapso do Citius, o descrédito da justiça no seu todo, as fugas de informação e o caos na Saúde não forem erros resultantes da incompetência dos ministros, mas algo programado que visa desacreditar o sistema democrático e empurrar o país para uma deriva totalitária?
A hipótese pode parecer maquiavélico mas analisando a actuação do PR neste segundo mandato ( é bom nunca esquecer que ele  declarou, por escrito, sentir-se bem no regime do Estado Novo) e o espírito de vingança sempre presente em Passos Coelho, nas medidas que toma para empobrecer e humilhar os portugueses, não me parece totalmente descabido acreditar  na sua veracidade. Como lembra a defesa de Sócrates no recurso para o Tribunal da Relação de Lisboa : " (Vivemos) Tempos perigosos em que um juiz se permite julgar insuficiente a prisão de um presumido inocente".

40 graus à sombra



Ainda faltam algumas semanas  para o dia de S. Valentim, mas a noite de 14 de Fevereiro promete ser tórrida, se as expectativas se confirmarem.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

A inversão de papéis numa Europa podre

Assinalam-se hoje 70 anos da libertação dos prisioneiros de Auschwitz. Estarão presentes muitos lideres europeus mas Putin, o presidente da Rússia cujo exército foi responsável pela libertação, não foi convidado. Ou seja : os carcereiros vão comemorar com os prisioneiros sobreviventes, mas quem os libertou não estará presente.  
Setenta anos depois os líderes europeus decidiram inverter os papéis, transformando os algozes em libertadores e o libertador em mau da fita, sem direito a ficar na fotografia. 
Uma Europa neste estado não augura nada de bom... Os selvagens que a lideram  são autistas sem memória, sem vergonha e sem respeito pelos cidadãos europeus.  Como diz Esther Mucznick, em muitas cabecinhas permanece o mesmo pensamento dos nazis. Eu acrescentaria que muitas dessas cabecinhas são lideres europeus.  
Entretanto, logo à noite, deve valer a pena ver o documentário "A noite cairá". É na RTP 1, às 23h30m. 

Qual é o espanto?

Está toda a gente muito admirada porque o Syriza se aliou com um partido de direita. Com o exagero do costume, alguns jornalistas e comentadores apressaram-se dizer que a Grécia vai ser governada por uma coligação entre um partido de esquerda radical, com outro de direita radical. Diria que são opiniões radicais. Mas adiante... 
O que eu não percebo é a razão de tanto espanto. Basta olhar para a nossa História recente e encontramos uma aliança espúria entre o Bloco de Esquerda e o CDS para derrubar um governo socialista e muitos dos comentadores e jornalistas que hoje se espantam com a aliança grega, estiveram na fila da frente a aplaudir a decisão.
Há uma grande diferença? Pois há. Por cá tivemos uma coligação negativa que prejudicou os portugueses. Na Grécia, mesmo que a aliança  dê mau resultado e não passe de um grande susto, vai obrigar a senhora Merkel e as instâncias europeias a rever as suas posições sobre a austeridade, com influência positiva no modus vivendi dos gregos.

Entretanto, em Portugal

Enquanto andavamos todos distraídos com as eleições gregas, a PT foi vendida aos franceses da Altice. 
Depois de ter sido privatizada, aquela que era uma das mais emblemáticas empresas portuguesas começou a cair a pique e, após Passos Coelho ter alienado a golden share, entrou em roda livre.
Ficou provado que os gestores privados são muito melhores do que os públicos e o liberalismo de Coelho e comandita é uma forma expedita de vender um país a grupos com interesses obscuros, sem que os governantes sejam responsabilizados por isso.
A privatização da PT deixa antever o destino, a breve prazo, de empresas como a TAP, os CTT ou a EDP.
Bem pode limpar as patas à parede, o coelho da Al(t)ice no País das Maravilhas.

Não acredito!

Ele era lá capaz de fazer uma coisa dessas! Portas mete girl no banco

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Deixa-te de tretas, Violetta

A reacção do governo e dos partidos que o apoiam foi unânime: não somos a Grécia. Não precisavam de perder tempo a explicar-nos. Já todos sabemos, há muito tempo, que Portugal não é a Grécia. 
Se Portugal fosse a Grécia, teria um governo três dias após as eleições;
Não teria um presidente a ameaçar que se os partidos não se entenderem, não haverá governo;
Teria um governo que se preocupasse com as pessoas e não um grupo de lambe botas que, seguindo o exemplo de Durão Barroso, está a tratar da sua vidinha e borrifando-se para o país;
Teria um governo que não vendesse o país a retalho o património do país a interesses privados;
Teria um povo que se revoltaria por estar a ser roubado e exigiria saber quem beneficia com as privatizações;
O pavilhão Atlântico, ou Meo, ou o raio que o parta, não se encheria de miúdos para ver a Violetta, porque não haveria famílias a pagar 500€ por um bilhete nas primeiras filas.

Pior do que cuspir na sopa

O lacaio de Merkel foi hoje à Universidade Católica dizer aos jornalistas  que "Grécia não pagar a dívida é conto de crianças".
Ainda ontem ouvi  Tsipras  dizer que queria pagar a dívida, pelo que devo concluir que Passos Coelho ou está de má fé, ou tem dificuldade de interpretação,  ou esteve a servir de porta-voz da Merkel.
A única consolação é que, dentro de meses, PPC vai engolir tudo aquilo que hoje disse mas, com a lata dos  badalhocos sem escrúpulos virá dizer, como disse em relação às medidas do BCE, que sempre defendeu a solução encontrada para aliviar a dívida grega.
Um pm como o que desgoverna, delapida o património do país, se curva perante a Alemanha e é um mentiroso compulsivo, mete-me mais nojo do que cuspir na sopa.

Bué de fixe

Prisioneiros tiram selfies na prisão e colocam-nas no FB. O ar bem disposto revelado por todos demonstra que a vida na prisão é bué de fixe. 
Não só se divertem, como ainda podem coordenar/programar actividades criminosas a partir da cadeia.
Já Sócrates, esse  criminoso de alto risco, não pode ter um cachecol do Benfica. Nem umas botas de cano alto ou um edredão. Compreende-se. Os presos devem ser tratados com equidade e obhjectos como um cachecol, umas botas ou um edredão além de serem um privilégio, põem em risco a segurança da prisão.



Perdoai-lhes senhor!

Roubado no FB

Segundo o deputado do PCP, Manuel Tiago, a burguesia infiltrou-se no Syriza e deu um novo balão de oxigénio ao capitalismo.
Sacanas dos burgueses! Sempre a fazer mal ao povo. Em vez de votarem no PC grego, que os poderia tirar do atoleiro em que a Grécia está, foram enfileirar o capitalista Syriza, remetendo os comunistas para o 5º lugar, atrás do Aurora Dourada e do recém criado Rio.
Depois  de José Rodrigues dos Santos nos ter esclarecido que os apoiantes do Syriza eram todos taxistas paralíticos, Manuel Tiago foi mais profundo: são paralíticos, mas  burgueses.
Afinal, a Grécia não está assim tão mal como nos fizeram crer. Um país com 36% de burgueses- mesmo  paralíticos-  a única coisa que tem de exigir à Europa é que o ajude a criar condições para melhorar o sistema de saúde.

domingo, 25 de janeiro de 2015

A Europa vai mudar?

Não tem outra alternativa. Pelo menos em relação à Grécia, vai ter de fazer algumas cedências. Se optar pelo braço de ferro e obrigar a Grécia a sair do euro, a Europa desmembra-se. Com todas as consequências que se adivinham e já conduziram a uma guerra mundial.
Mas se as coisas mudarem para a Grécia, não significa que melhorem em Portugal. Pelo menos enquanto tivermos este governo de lambe botas, nitidamente descoroçoado com a vitória do Syriza e a pedir à Europa mais vergastadas nos malandros dos portugueses  para que continuem a ser alunos obedientes e exemplares.

Viagem à Grécia entre Moussakas e Maranhos

Hoje, todas as atenções estão viradas para os resultados das eleições na Grécia. Dentro de poucas horas saberemos se no país berço da democracia se acende uma luz que ainda possa salvar a Europa do descalabro.
Estava eu nestas cogitações quando me lembrei de um almoço em Ponsul, com quatro Jovens JEEP ( Jovens Empreendedores de Elevado Potencial)  onde a  Grécia entrou à hora da sobremesa. Podem ler aqui.
No final, talvez  se interroguem como eu. Três anos depois ainda pensarão assim?

O sonho comanda a vida


Votos de bom domingo e que logo à noite esta canção ecoe pela Europa. 

sábado, 24 de janeiro de 2015

Ainda que mal pergunte




Na sequência do post anterior, aqui fica uma pergunta. Em vossa opinião, qual destas mães gerará filhos mais inteligentes?

Em defesa do Papa Francisco



Muita gente se indignou com as afirmações do Papa Francisco sobre a reprodução dos coelhos, mas ele está cheio de razão. Até porque as coelhas não têm rabos e ancas largas, nem são muito curvilíneas, por isso, não podem gerar filhos inteligentes.
Querem um exemplo para melhorar a qualidade dos governos? Só deviam ir para lá filhos de mães assim.

Passos Coelho descobriu a sua vocação

Foi à Feira do Fumeiro, em Montalegre, encher chouriços.
Afinal foi isso que ele fez toda a vida.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Bibó Porto (34): Já pensou dormir num mercado?

Se não pensou, tem agora essa oportunidade.
Em pleno mercado do Bom Sucesso ( de visita imprescindível para quem aprecia os mercados da Ribeira ou de Campo de Ourique)




Abriu o Hotel da Música




Pode apenas tomar um copo no Bar Pavarotti  e apreciar o lounge


Mas se quiser dormir num hotel com design diferente, pode escolher o andar 
 temático ( Soul, Fado, Pop e Música Clássica) e, quando entrar no quarto, talvez até tenha na parede os acordes da sua canção preferida.



Localizado na Boavista, a poucos metros da Casa da Música, o Hotel da Música proporciona uma experiência diferente.  Perto de uma estação de metro, em 7 minutos está na Baixa para entrar na "movida" dos Clérigos.
Tem bons restaurantes nas imediações, um centro comercial arejado e está a poucos minutos de automóvel do coração da Foz.

Cambalachos à grega




É um vale tudo para que o Syriza não vença as eleições na Grécia.
Mais de cem mil jovens  que fizeram 18 anos em 2014 estão impedidos de votar no próximo domingo, porque o governo recusou-se a fazer a actualização dos cadernos elitorais.
Juncker, Lagarde e Merkel têm feito ameaças mais ou menos veladas aso gregos, "avisando-os" que a vitória do Syriza pode obrigar a Grécia a sair do euro.
Ontem, quando o BCE anunciou que ia por as rotativas a funcionar para injectar dinheiro na economia , pensei que a data fora escolhida para dar apenas um sinal aos gregos, mas hoje percebi que Draghi também não se escusou a "molhar a sopa" ao anunciar  que, pelo menos até Julho, não haverá compra de dívida grega.
Se nada disto resultar, não me espantará  se no domingo houver um cambalacho à moda dos tempos do Botas, com mortos a votar na Nova Democracia.
Este desespero tem uma vantagem. Qualquer grego ( e europeu) inteligente perceberá que há realmente alternativa à política de austeridade e que a vitória do Syriza é a única possibilidade de mudar os caminhos da Europa.
Lá para o Outono, se as sondagens continuarem a colocar o PODEMOS como o partido mais votado em Espanha, assistiremos a um remake do que se está a passar agora em relação à Grécia e que obviamente influenciará as eleições em Portugal.
A Europa pretende  impedir a todo o custo a alteração do panorama partidário dos interesses instalados. Mas é uma questão de tempo. A mudança pode ser adiada, mas não tardará até que uma onda de indignação e revolta varra os protagonistas desta  selvajaria liberal. 

Uma denúncia grave



Ontem, na TVI, Manuela Ferreira Leite  acusou  Maria Luís Albuquerque  de colocar entraves à admissão de 200 novos médicos ( um processo que se arrasta há quase um ano) mas ser  célere a contratar funcionários para as Finanças. Segundo a comentadora da TVI, o processo de admissão de 1000 novos funcionários para o ministério decorreu em escassos dias.
A ser verdade a actuação de Marilú é de uma extrema gravidade. Não só porque confirma que o governo está mais preocupado em cobrar impostos, do que em salvar vidas, mas também porque demonstra que a ministra das finanças está a utilizar o cargo em benefício do ministério onde era funcionária, antes de ser nomeada ministra. Como já se percebera quando anunciou a criação de uma careira especial para 300 funcionários das Finanças.
Se Marilú é assim tão expedita no favorecimento do seu ministério, imagine-se como será quando se trata de favorecer empresas. As mentiras da ministra sobre as swaps, na comissão de inquérito da AR ajudam a perceber muita coisa. 


A canção da Primavera

Mário Draghi prometeu pôr as rotativas a funcionar e lá para a Primavera, vai ser injectado dinheiro na economia
Aventurados aqueles que acreditam que depois da austeridade que conduziu ao empobrecimento e à miséria virá o Eden  e com as medidas anunciadas pelo BCE  florirá um país próspero, moderno e mais justo  onde a riqueza será repartida com mais equidade.
É bom nunca esquecer que a única flor que floriu na apregoada Primavera Árabe, foi um monstro chamado ISIS.
Por cá talvez floresçam, pujantes, mais algumas Tecnoformas. e ONG paralelas, para satisfazer clientelas partidárias. 
A crise não se ultrapassa apenas com dinheiro. Embora seja importante, pouco mudará enquanto a Europa não adoptar um modelo social mais justo e solidário.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Negócios escuros, clarinhos como água

Ontem já aqui colocara as minhas dúvidas, mas ontem à noite o sr Feijó, presidente do CGPI ( Conselho Geral Putativamente Independente), fez questão de as dissipar em entrevista à RTP:
A demissão de Alberto da Ponte nada teve a ver com a sua qualidade profissional, nem com a fraca qualidade técnica do Plano. O próprio CGI, num desavergonhado flic flac à retaguarda, desmentiu o que meses antes dissera sobre Alberto da Ponte e prontamente corroborado por Poiares Maduro.
O que indignou o governo e por contágio directo o CGI, foi Alberto da Ponte ter querido recuperar a RTP com a compra dos direitos da Liga dos Campeões. Foi um inadmissível ataque às televisões privadas.
Descartado Alberto da Ponte, Feijó foi clarinho como água:
A  RTP  vai pode negociar a venda dos direitos dos jogos da Liga dos Campeões e das selecções nacionais com os canais privados.  TVI e SIC agradecem. Apesar de as transmissões desportivas da RTP ( nomeadamente o Euro 2004) terem sido consideradas pela FPF as melhores de sempre.
Esclarecida a motivação do  governo  CGI na demissão do Conselho de Administração da RTP, fica por esclarecer quais as motivações que levam o governo a querer destruir a RTP, mas não tardará muito até que o saibamos.
Esta mixórdia de gestores e governantes que vai destruindo o país entregando tudo o que é público ao privado ( sabe-se lá com que proveito próprio) e impedindo as empresas públicas de crescerem e se tornarem rentáveis, tem de ter um preço. Os contribuintes pagam-no e alguns ( os suspeitos do costume) metem ao bolso uns trocos.
Curiosamente, à mesma hora que Feijó  se escondia atrás do biombo e atirava para cima do próximo CA da RTP a responsabilidade dessa venda ( desejada pelo governo, por sua vez escudado no CGI) na TVI um tipo com apito na boca que, tal como o governo CGI, se proclama árbitro, mostrava a milhares de espectadores como roubar se tornou uma actividade tão banal como respirar.
Ainda há quem diga que não há coincidências...

N.E. - Não aconselho ninguém a perder tempo a ver a entrevista, mas sugiro a leitura  deste resumo do Expresso, bastante elucidativo.

Um conselho a António Costa

Buracos como este, especialmente  quando  escondidos pela água das chuvas são uma alegria para oficinas de automóveis e reboques


Depois das grandes chuvadas de Novembro, Lisboa tem sido poupada a intempéries e o Inverno corre ameno, apesar do frio. No entanto, andar em Lisboa de automóvel é uma aventura. Os buracos multiplicam-se  e, percorrer algumas ruas, remete-nos para uma paisagem marciana onde o perigo espreita constantemente. 
Raras vezes ando de carro em Lisboa mas no último sábado fui obrigado a fazê-lo durante a noite. Com a chuva que caiu durante o dia, muitos dos buracos estavam tapados e a fraca iluminação de algumas artérias torna ainda mais difícil adivinhar onde eles se escondem. Passei algumas horas a fazer autênticas gincanas para evitar cair nos buracos e dar cabo de um pneu, ou de uma jante, mas a mesma sorte não tiveram outros automobilistas. Vi dois, deseperados, por terem sido  apanhados na ratoeira das ruas esburacadas.
Perante este cenário marciano (ou será lunar?) atrevo-me a fazer uma sugestão a António Costa:
- Desbloqueie rapidamente uma verba para tapar os buracos de Lisboa porque, se não o fizer, corre o sério risco de perder muitos votos. Muitos eleitores pensarão que se o edil de Lisboa não é capaz de tapar buracos nas ruas, também não conseguirá tapar os buracos do país, muito mais profundos do que  os das ruas de Lisboa.

A TVI não para de surpreender

As televisões já não sabem o que hão-de inventar para manter os telespectadores agarrados aos seus  programas. A TVI tem sido a mais inovadora mas, depois do Big Brother e da Casa dos Segredos ensaiadas em várias modalidades, parecia não ser possível inventar nada de novo.
Só que a TVI é surpreendente e ontem apresentou um novo reality show tão escabroso como o BB e a CS, com a diferença de ser protagonizado apenas por homens  e não ter cenas de sexo. É certo que entre os concorrentes havia um ladrão careca, tarado sexual, que fez tudo para f..... onze dos participantes. Só que os vestidos de azul não estavam para aí virados e, comandados por um herói de amarelo vestido, reagiram com valentia a todos os ataques, embora ainda antes de a refrega ter chegado a meio se tivessem visto privados de dois dos seus, atingidos pela arma vermelha do careca com apito na boca.
O espectáculo foi uma vergonha e Braga, a cidade escolhida para apresentar este novo reality show, " O Ladrão do Apito", não merecia esta afronta.
No final do espectáculo, os jurados das três televisões foram unânimes em criticar a actuação do protagonista, classificado como "mau de mais" para continuara exercer o papel.
Apesar de tudo espera-se que o ladrão careca receba as insígnias da FIFA, seja condecorado pelo sr Gomes (ex-praça da Alegria) e , quiçá, convidado para ministro, pois em matéria de vigarice e incompetência tem o curriculum perfeito.

Somos Porto, carago!
Que se lixe o Machado

No domingo vamos enfrentar o Capela na Madeira e espera-se  outro roubo de Igreja. Mas gente aguenta. SOMOS PORTO!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Traquinas e o espermatozoide voador





O irrevogável Portas já percebeu que Passos Coelho se livraria dele de bom grado, se  encontrasse um pretexto consensual para o divórcio, dentro do PSD..
Vai daí, esqueceu as humilhações que lhe têm sido infligidas pelo pm e entrou numa fase de  auto-promoção, procurando tirar dividendos de medidas do governo pretensamente impostas pelo CDS/PP.  Presumo que tenha sido nessa onda que Adolfo Mesquita Nunes  tenha sido chamado  a desempenhar o papel de Cavaleiro da Triste Figura, naquela entrevista à RTP 2, em que atribuiu ao governo o sucesso pelo aumento do turismo no Porto e região Norte.
Ontem, Portas dizia que as pessoas iam sentir nos recibos de salários e pensões os sinais de recuperação da economia.
Portas esqueceu-se (?)  que a recuperação dos salários dos funcionários públicos e das pensões dos reformados foi imposta por uma decisão do Tribunal de Contas e não por iniciativa do governo mas, sendo esses esquecimentos seletivos do líder do CDS  uma característica da sua personalidade, relevo-lhe o lapso memorial e vou ao mais importante.
Mais grave é a denúncia feita pelo sindicato dos quadros técnicos do Estado, de que há trabalhadores da função pública  a receberem menos do que recebiam antes da “devolução” de 20% dos cortes, por força da carga fiscal. Noutros casos, há discrepâncias entre o valor que os funcionários deviam ter recebido e o que efectivamente estão a receber.
Resumindo: quando olharem para os recibos, muitos funcionários públicos vão perceber que Marilú foi suficientemente ardilosa para  recuperar, por via fiscal, as deduções que deveria devolver. Como de costume, Portas só saberá disso pelos jornais.  Será então que muitos funcionários públicos vão perceber que as declarações de Paulo Portas são  tão fiáveis como as destas jovens americanas e  brasileiras do Estado de Minas Gerais que acusam  um espermatozoide voador de as ter engravidado


"Se queres conhecer o vilão

... põe-lhe uma vara na mão".
Normalmente, quando uma pessoa que considero séria, cordata e civilizada se sujeita a fazer figura de parolo,ou se revela prepotente e zombeteiro, porque o poder lhe tirou o discernimento, recorro à sabedoria popular para tentar encontrar uma justificação. 
Vocês sabem de quem estou a falar... 

Ó p'ra mim tão desconfiado!

Hoje devo ter sonhado com coisas esquisitas, porque tudo o que leio me deixa desconfiado. Aqui ficam apenas dois exemplos
- Quando o indigitado futuro presidente da RTP dá uma entrevista em que esclarece que a RTP não deve fazer concorrência às privadas, não estará a anunciar que o objectivo do governo continua a ser a descridibilização da empresa, para depois a privatizar?
- Nos escaparates leio a capa do CM. Não há uma única notícia sobre Sócrates. Será que a PGR se viu obrigada a puxar as orelhas ao Octávio Ribeiro, por não ser nada discreto na divulgação da informação que lhe é fornecida por agentes da Justiça? Ou será que o artigo do Afonso Camões no JN revelou algumas verdades incómodas?



Paulo Portas vai ao Iemen

Quando soube que a popularidade de François Hollande tinha aumentado 21 pontos ( de 19 para 40) após os atentados ao Charlie Hebdo, Passos Coelho telefonou imediatamente a Paulo Portas:
- Paulo tens de ir ao Iemen com urgência
- Ao Iemen? Deves estar maluco, Pedro. Que é que vou lá vender?
- Não vais vender nada. Vais ganhar as eleições
- Ganhar as eleições no Iémen? Estás a sentir-te bem, Pedro? Liga mas é ao teu médico, porque deves estar com um esgotamento.
- Já vi que ainda não leste os jornais hoje, Paulo.
- Pois, ainda não tive tempo.
- Logo vi. Fica a saber que depois do atentado ao Charlie Hebdo a popularidade do Hollande subiu de 19 para 40%
- E daí? Nós aqui não corremos riscos de nenhum atentado.
- Por isso mesmo, pá! Estás mesmo bronco. Não temos atentados, mas podemos ter se tu fores ao Iemen.
- O quê? Estás a insinuar que eu vá ao Iémen para ser morto por aqueles fanáticos e no dia seguinte vir nas primeiras páginas dos jornais como mártir?
- Nada disso, Paulo. Mas nós temos terroristas portugueses no Iemen, estás a perceber?
- Parece-me que estou a começar a ver qualquer coisa...
- Então vais lá, falas com ele e combina uma coisita qualquer para eles fazerem cá. Que não magoe muito. De preferência sem mortes, mas se tiver de ser...
- Com mortes sempre tem mais impacto...
- Pois. E se fosse num Lar de Idosos ou num centro de emprego, sempre poupávamos em reformas e subsídios de desemprego para lhes podermos pagar o serviço.
- Vou pensar no assunto, Pedro. Daqui a bocado digo-te qualque coisa
- Posso mandar preparar o Falcon?

Talvez não acreditem...

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

É impressão minha...

... ou os sindicatos foram "comidos" pelo Pires de Lima no negócio da TAP?
É que o caderno de encargos publicado no DR não prevê a proibição de despedimentos, nem exige a manutenção da sede da TAP em Portugal.
Quem negoceia com gente sem palavra arrisca-se a ser vigarizado.

Notícia de Última Hora

Estão a ouvir rebentamentos aí pelo país?  Não se assustem! São funcionários públicos a abrir garrafas de champagne. Estão a festejar  a recuperação de 20% dos roubos no salário feitos por este governo.
Encontrei um, especialmente eufórico, porque este mês recebeu mais 11€, apesar de o corte do seu salário ter sido de cerca de 100.
Para onde foi o resto? - perguntei-lhe
Para a ADSE e para a taxa extraordinária- respondeu-me,  vibrante de orgulho, por estar  a contribuir para a recuperação do país 

Justiça sob suspeita

Ontem, o director do JN insinuava que o juiz Carlos Alexandre e o procurador Rosário Teixeira serão responsáveis pelas fugas de informação para a imprensa.
Conheço Afonso Camões e não acredito que ele faça essa afirmação gratuitamente. Ele  não correria o risco de ser desmentido, se não tivesse provas do que escreve.E a verdade é que até agora não houve qualquer reacção dos visados.
Todos desconfiamos da justiça, porque os seus agentes não se cansam de nos dar provas de que  não podemos confiar na isenção das suas decisões. Mais estranho é constatar que, dentro da justiça, haja quem também tenha sérias dúvidas sobre a imparcialidade das decisões tomadas pelos seus agentes. Pelo menos é a conclusão racional que se extrai, quando um jornal noticia ( sem desmentido do visado) que o procurador exige assistir ao sorteio de um juiz. Se faz essa exigência, é porque admite que há juízes que podem não cumprir a lei e decidir em função de outros factores.
Ora se eles duvidam uns dos outros, ainda mais razões temos para duvidar deles. 
E neste caso concreto, crescem as dúvidas: será a prisão de Sócrates uma vingança, uma encomenda ou simples exercício de humilhação?

À atenção das mulheres portuguesas

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Levanta-te e Ri!

 O Decreto-Lei 9/2015 publicado em DR de 15 de Janeiro , confere aos passageiros dos transportes rodoviários uma série de regalias como, por exemplo viajar sem título de transporte ( faça clique no documento para conhecer todas as regalias a que tem direito)

Fique também a saber que durante as viagens em transportes rodoviários deve deitar objectos pela janela fora, pedir esmola ( o diploma não esclarece se o montante recolhido reverte a meu favor ou do Estado) sair ou entrar do veículo em andamento ( comecem já a treinar, porque não é fácil...) e colocar os pés em cima dos estofos do vizinho da frente. Se não cumprir estes e outros deveres a que o DL 9/2015 o obriga, fica sujeito a uma coima.
Não entrem já em euforia. Trata-se de uma bacorada de um  grupo de miúdas  saídas directamente dos bancos da Universidade para  chefes de gabinete e assessoras  de um gabinete governativo ( quando uso o feminino sei do que estou a falar!), tendo como único predicado serem possuidoras de cartão do partido e não saberem ler nem escrever.  



As catraias também descobriram a forma de desmaterializar crianças até aos 4 anos pelo que estipularam (artº 10º)  que "as crianças de idade até quatro anos viajam gratuitamente, desde que não ocupem lugar".
Claro que não tardará até que alguém venha dizer que se tratou de  gralhas. Como se as pobres das gralhas fossem culpadas da ignorância de umas miúdas, avalizada pelo senhor pm Passos Coelho, a ministra Marilú ( que pelos vistos só sabe cobrar impostos) e pelo inefável Aníbal que assina qualquer coisa que lhe ponham à frente, desde que não lhe falem das acções do BPN. 
Talvez haja  outras alarvidades neste DL mas, se quiserem descobri-las, leiam o diploma  porque eu, farto de tanto rir, já não consigo transcrever mais nada.

A semana que pode levar a Europa a ver o mundo do outro lado do espelho

Muitas coisas se jogam e definem na Europa na semana que hoje começou.
Logo a abrir, esta segunda-feira, ministros dos negócios estrangeiros europeus discutem a introdução de medidas de combate ao terrorismo.  Tendo em consideração aquilo a que a Europa nos vem habituando, há razões para recear a diminuição da liberdade de expressão, um controlo mais apertado sobre as decisões que cada um de nós toma no seu dia a dia, uma maior vigilância sobre a Internet e eventuais restrições à liberdade de circulação que poderão passar por um retrocesso no acordo de Schengen, instrumento essencial para que nos possamos sentir cidadãos europeus.
Espera-se também, para hoje, uma reacção do Pegida e da extrema –direita francesa às proibições das manifestações anti- islâmicas, ordenadas por Berlim e Paris. 
Domingo é o dia mais ansiosamente aguardado por milhões de europeus que vêem na possível vitória do Syriza com uma maioria confortável para formar governo, a possibilidade de uma mudança que os liberte da escravatura austeritária a que a senhora Merkel condenou os países do sul da Europa.  Se, pelo contrário, for a Nova Democracia a vencer os europeus podem cair de novo em depressão. 
Resta ainda a esperança de o BCE anunciar, na quinta feira, a entrada em funcionamento das rotativas que irão permitir lançar mais dinheiro na economia e comprar dívida pública dos países europeus. A eficácia dessa medida dependerá em boa medida dos resultados das eleições gregas, pois uma vitória do Syriza obrigará a Alemanha a ser menos intransigente na sua política louca que conduziu a Europa à deflação.
No mesmo dia inicia-se em Davos mais um Forum Económico Mundial, marcado pelo relatório da Oxfam: em 2016, 1% da população mundial deterá mais de 50% da riqueza mundial ( em 1990, antes da globalização, essa percentagem era de 30% e em 2014 de 48%). A nova escravatura está a caminho. Dissimulada de globalização, o maior embuste que nos venderam os criadores destes Monopoly Games
O aumento das desigualdades talvez não preocupe demasiadamente os participantes nesta cimeira dos ricos, mas há outros problemas que estarão em cima da mesa e não deixarão de provocar dores de cabeça e divergências: a descida do preço do petróleo, a deflação na Europa,  a instabilidade no leste europeu, as questões ambientais ( Hélas! Os ricos começarem a preocupar-se com a sustentabilidade do planeta é uma boa notícia)  e, claro, o terrorismo. 
Dentro de uma semana pode abrir-se um novo ciclo na Europa. Que nos devolva a esperança e confiança em dias melhores. A alternativa poderá ser nova depressão colectiva o que, estou em crer, os mercados não desejam.
Por estes dias eles querem é paz e gente vergada às suas leis. A não ser que o medo do terrorismo os faça, uma vez na vida, ver o mundo do outro lado do espelho.

Esmolas não são incentivos,ó palhaços!


Pedro Mota Soares faz-me lembrar uma hiena. Ri-se muito, mas ninguém percebe porquê.

Nos últimos tempos, o papa hóstias da Vespa tem sido o maior protagonista na tomada de medidas demagógicas com que o governo pretende aliciar o voto dos eleitores desempregados em ano de legislativas.
Entre as medidas está o programa REATIVAR  que tem como objectivo promover estágios para desempregados com mais de 30 anos.
Sendo uma boa medida para as empresas - contratam trabalhadores pagos pelos contribuintes- não me parece assim tão aliciante para desempregados qualificados e com uma ou duas décadas de trabalho, cujo estágio já terá sido feito no início da sua carreira profissional.
Os estagiários vão receber uma "bolsa" entre 419 e 675 €, dependendo da sua qualificação profissional ( e eu, burro, a pensar que o objectivo dos estágios  era  qualificar profissionais no início de carreira...) mas, em determinadas circunstâncias- vítimas de violência doméstica e ex-reclusos, por exemplo- a bolsa pode ser majorada.
Eu gostava que o Pedro lingrinhas me explicasse em que medida é que este programa vai ajudar ao crescimento mas, como nem ele sabe, adiante...
O outro programa anunciado com grande alarido pelo papa hóstias não tem nome específico, mas assentar-lhe-ia bem uma coisa do género " Vá para fora cá dentro", já que se trata de um programa de incentivo à mobilidade dos trabalhadores dentro do território nacional.
Registo, com agrado, que este governo começou o seu mandato a mandar os portugueses emigrar e termina convidando-os apenas a migrar. Uma espécie de "ratinhos dos tempos modernos", com a diferença que estes não vão apanhar azeitona.
Realço ainda o facto de em termo do mandato o governo pagar as viagens de quem se pretenda deslocar de Lisboa para Bragança, por exemplo. Magnânimo, 
 o Motinha da Vespa oferece um subsídio para viagem no valor de 102,75€, se o trabalhador levar a família. Caso contrário, o candidato que pague a viagem do seu bolso.
Mas atenção! Se o trabalhador se deslocar para um local que fique a mais de 100 quilómetros da sua residência, ainda recebe um magnífico subsídio de 219€ durante...quatro meses! 
O governo,em uníssono, chama  a isto " incentivo à mobilidade". Convém lembrar ao homem da Regisconta Tecnoforma e seus acóliotos que esmolas não são incentivos. 

Tiros no pé

França e Alemanha proibem manifestações da extrema direita e do Pegida. Eles agradecem.

domingo, 18 de janeiro de 2015

Como se distingue um jornalista de um lacaio?



Este monte de estrume com carteira de jornalista não está apenas a dizer uma mentira, fruto da  ignorância. Está, deliberadamente, a tentar intoxicar os espectadores com mais uma inventona para denegrir Sócrates, fazendo assim a vontade à entidade patronal.
Mas este momento é exemplar pois permite-nos perceber, mais uma vez,o tipo de jornalismo que se faz no CM.Assente na mentira, na deturpação da verdade, na perseguição, no ódio e praticado por gente sem coluna vertebral nem pingo de seriedade.
José Carlos Castro é fruto de uma escola em que o fanatismo se sobrepõe à verdade e o dever de informar se submete à agenda do patrão.


Um centenário muito especial.




"As mesas do Café endoideceram feitas ar...
Caiu-me agora um braço... 
Olha lá vai ele a valsar
Vestido de casaca, nos salões  do Vice - Rei"

Mário Sá Carneiro
(estrofe de poema incluído  em "Indícios de Oiro" publicado na Orpheu nº1)



Assinala-se este ano o centenário da revista Orpheu, uma revista literária de vida efémera ( apenas se publicaram dois números)  mas que teve um extraordinário sucesso na época, pese embora a crítica lhe ter sido avassaladoramente adversa. 
Foi nas páginas da Orpheu  que  Fernando Pessoa, aliás, Álvaro de Campos publicou pela primeira vez a Ode Triunfal e a Ode Marítima
Mário Sá Carneiro, Almada Negreiros ou  Amadeo  Souza Cardoso foram outros grandes nomes ligados ao projecto vanguardista  da Orpheu, a primeira revista a promover a simbiose entre "as poesia e a pintura".


Nota do editor: este post foi inspirado na Agenda 2015 da Imprensa Nacional Casa da Moeda Na foto) este ano dedicado ao centenário da revista Orpheu.
Foi uma prenda de Natal que me fez sorrir como quando recebia presentes nos natais da minha infância.
Obrigado, Baixinha.

Em Beja, com barbas

Um homem chega à tasca da sua terra com a cabeça, um braço e uma perna em ligaduras.
Pergunta-lhe o amigo:
Então que te aconteceu a essa perna?
Diz ele:
- Foi uma girafa!

Em Beja?!! Sorrindo, pergunta-lhe o outro, então e o braço?
Ao que ele responde:
- Foi uma gazela!

 Em Beja?! Agora já toda gente a rir, o outro ainda lhe pergunta: Então e cabeça?
- Foi uma avestruz!

Aqui, em Beja?!
- Sim! Responde-lhe. ...

E se não param o carrossel, tinha morrido!

(Eu sei que esta história tem barbas, mas eu também tenho e não é por isso que amigos  que não me viam há anos deixam de me dar um sorriso e um abraço)

sábado, 17 de janeiro de 2015

Bibó Porto (33): São Flores, senhor!

No âmbito da revitalização do centro histórico, a Rua das Flores passou a ser mais um espaço pedonal de que  portuenses e  turistas em geral podem desfrutar. Foram quase dois anos de obras, mas o resultado final vaelu a pena.



Uma das mais antigas ruas do Port. Começa no lado oposto à estação de S.Bento



As varandas são uma das suas imagens de marca





Devolvida aos peões que agora podem demorar-se a percorrê-la e descobrir diversos símbolos incrustados nos edifícios que a ladeiam e fazem parte da  História da cidade.




Com o fim do trânsito automóvel  começaram a abrir esplanadas,  estabelecimentos de animação nocturna e lojas gourmet




A Igreja da Misericórdia é um dos edifícios mais emblemáticos, que merece uma visita atenta. Mas há mais espaços que justificam uma visita.

A Rua das Flores prolonga- se até ao Largo S. Domingos, a meio caminho para a Ribeira. Percurso que suscita outras paragens obrigatórias, como o Palácio da Bolsa ou o renovado mercado Ferreira Borges. A seu tempo lá chegaremos.

Descubra as as diferenças


O pai estava a ver televisão tranquilamente, quando o filho, que brincava à
sua frente, surge com uma pergunta:
Pai, qual é a diferença entre POTENCIALMENTE e REALMENTE?

O pai pensa um pouco e responde:

- Filho faz o seguinte; primeiro, pergunta a tua mãe se por 1 milhão de
dólares ela faria amor com o Richard Gere.
Depois, pergunta a tua irmã se por 1 milhão de dólares ela faria amor com
Brad Pitt.
E, finalmente, pergunta ao teu irmão se por 1milhão de dólares ele faria
amor com o Tom Cruise.
Quando me trouxeres as respostas, eu explico a diferença entre
potencialmente e realmente.
Horas depois, o filho voltou e descreveu ao pai as respostas:

- A mãe disse que nunca pensou em te trair, mas que por 1 milhão de dólares,
e com o Richard Gere, ela não pensaria duas vezes.
A mana respondeu que seriam dois sonhos realizados de uma só vez.
Dar uma com o Brad Pitt e ainda por cima ficar milionária.
- E, finalmente, meu irmão disse que por 1 milhão de dólares faria amor até
com o Passos Coelho, quanto mais com o Tom Cruise!

Então o pai respondeu:

Pois é isso, meu filho. POTENCIALMENTE, a nossa família tem condições de
ganhar 3 milhões de dólares.
Mas REALMENTE o que temos cá em casa são duas putas e um paneleiro.

( Mais uma  do arquivo do nosso  HenriquAmigo)