segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Peru pouco auspicioso


Foto JN/ Enrique Castro Mendivil/ Reuters


É verdade  que na cimeira do clima realizada no Peru se alcançaram consensos. Mas do consenso à tomada de medidas vitais para refrear o aquecimento global, vai uma enorme distância.  O que aconteceu foi, apenas, adiar por mais um ano decisões concretas, nomeadamente no corte de emissões de CO 2, ou na aprovação de um documento que substitua o Protocolo de Quioto.
Apenas se conseguiu  um rol de intenções que se arrasta há mais de duas décadas e, invariavelmente, redundam em fracasso.
Mal, também, andou a Greenpeace. Os seus protestos foram longe demais, provocando danos irreparáveis numa região que é Património Cultural da Humanidade. 
Pedir desculpas - ainda por cima de forma mais ou menos leviana - não os exime às responsabilidades por um atentado que deveria ter sido evitado e não se pode repetir, sob pena de apenas contribuir para o crescente descrédito da organização.

O aborto

Os ataques a Miguel Poiares Maduro vieram do seio da própria maioria. Marques Mendes e Morais Sarmento  dizem que o CGI está morto e enterrado e a solução de Maduro é um aborto.
Só que, neste caso, não se trata de aborto espontâneo. Os responsáveis são um ministro feito à pressa e o seu adjunto Lomba, que ainda não conseguiram, desde o início do seu mandato, tomar uma medida consensual. Lembram-se do desastre dos briefings, apontados como exemplo de inovação e transparência, que desapareceram mergulhados em contestação externa e no próprio seio do governo?  

O ópio do povo

No culminar de uma semana em que o futebol exaltou muito fervor clubístico e ocupou o centro das discussões, sobrepondo-se ao debate político,  pareceu-me oportuno recuperar este cartoon de  Rodrigo de Matos, publicado há tempos no Expresso.
Vencedor do Press Cartoon Europe, retrata a forma como o apuramento de Portugal para o Mundial de futebol do Brasil distraiu as pessoas da grave situação económica e social que o país atravessa(va).
Agora que o Benfica já pode encomendar as faixas de campeão, é tempo de as pessoas se concentrarem no que é realmente importante para o país.