quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Com papas e bolos...




Pedro Queiroz Pereira (PQP)  fez diversas declarações, na Comissão de Inquérito ao BES, que  podem ter tido efeitos muito popularuchos. mastresandaram a vingança, como  facilmente terá percebido quem assitiu à audição.
A determinada altura PQP  deu mesmo um tiro no pé,  ultrapassando os limites da razoabilidade. Ao divulgar que as oirmãs de Ricardo Salgado faziam bolos para restaurantes, sem que o DDT se preocupasse com isso, não terá produzido o desejado efeito na opinião pública. Em vez de denegrir Ricardo Salgado, denunciou-se. Não foi à CI para esclarecer a verdade, mas para se vingar de um homem que terá tentado traí-lo. 
Resumindo: uma zanga de comadres, que PQP pretendeu transformar num momento de vingança. 
Com papas e bolos se enganam os tolos mas o que PQP fez, foi tentar iludir a verdade, não tendo encontrado explicação mais razoável para o seu silêncio ( quando devia ter denunciado as irregularidades) do que "o medo de sofrer represálias da banca".

Nem sempre o que parece é...


A leitura da notícia desmente o título, chamariz de capa para leitores de primeiras páginas. O grave é que muita gente  se fica pela leitura do título e logo à noite em casa, ou amanhã à mesa do café, vai usar como arma de arremesso um título que não corresponde ao que se lê na notícia.
De qualquer modo, há uma pergunta que não posso deixar de colocar, já que a explicação dada pelo PCP não me convence: Por que razão o PCP  optou  pelo BES, em vez de contratar os serviços da CGD, que é o banco público?

.

O que nos separa do Brasil não é o Atlântico...

Estes só se diferenciam pela gravata


... é a mentalidade dos povos e o conhecimento da sua História.
O que nos separa do Brasil é a diferença entre a decência e a falta de vergonha.
Hoje, à hora do almoço, vi a presidente Dilma chorar quando recebia o relatório sobre a ditadura brasileira, de que ela foi uma das vítimas.
Por cá, temos um PR que além de ter declarado ( por escrito) que convivia bem com o Estado Novo, ainda teve o descaramento de conceder pensões a PIDES, enquanto as negava a Salgueiro Maia, um dos maiores símbolos da revolução de Abril, que nos devolveu a Liberdade.
No Brasil nenhum filho da puta tomaria esta atitude. Por cá, chegam a líderes de partidos do governo e cospem na mão de quem lhe deu de comer. Não fosse Mário Soares,  Paulo Portas, esse escroque abjecto, talvez estivesse neste momento a bater com os costados numa cela, ou com um tiro nos cornos. E não apenas por razões políticas...

Diz-me com quem andas...

Já sabíamos que  alguns dos maiores vigaristas deste país são amigos de Cavaco e foram por ele promovidos a membros do governo;
Já sabíamos que  pelo menos alguns desses amigos revelaram a sua gratidão, oferecendo a Cavaco umas acções, cujo valor disparou em tempo recorde;
Já sabíamos que Ricardo Salgado tinha financiado a campanha eleitoral de Cavaco em 2011;
Também já suspeitávamos, mas só agora se confirmou, que outros banqueiros- nomeadamente ligados ao grupo BES/GES - tinham  contribuído com generosos donativos para a campanha de Cavaco.
O que ainda não se sabia, é que José Guilherme- o homem que ofereceu uma prenda de 14 milhões de euros a Ricardo Slagado e está a ser investigado pela polícia- também foi generoso com Cavaco. Mas não só ele... também a mulher, o filho e outra familiar
Dirão alguns, perante as notícias sobre as  relações de amizade do PR, que vão sempre entrecruzar-se com  crimes financeiros, que Cavaco é como o algodão: não engana!
Dirá o povo na sua imensa sabedoria: diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és

O CR errou



Ontem escrevi  que Dilma e Cristina não tinham ido a Vera Cruz para não terem de  aturar a Maria, mas tenho de pedir desculpa aos leitores, porque lhes dei uma informação falsa.
Segundo fonte próxima da Casa Rosada, a ausência das presidentes da Argentina e do Brasil na cimeira ibero-americana teve outro motivo. Tiveram medo que Cavaco Silva, depois de ter falhado a tentativa de comer a mão de Letízia,  não falhasse na tentativa de comer as mãos delas.