sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Diz-me como pensas, dir-te -ei quem és

Ontem ouvi Lobo Xavier, na Quadratura do Círculo dizer, em relação aos vistos gold, que não interessava de onde vinha o dinheiro e quem tiver dessas preocupações é porque é ingénuo.
Hoje, o secretário de estado dos transportes afinou pelo mesmo diapasão em relação à venda da PT. " O que interessa é o projeto, não a origem do dinheiro"- disse
Este desprendimento dos nossos governantes e respectivos apêndices em relação à origem do dinheiro esclarece muita coisa sobre a actividade deste governo e as pessoas que integram.
No meu tempo,  dizia-se que pessoas assim eram desonestas. Hoje, qualquer governante o pode dizer e ninguém se indigna.
O problema provavelmente é meu. Estou desactualizado e sou ingénuo.

Diário das coisas inúteis ( ou talvez não...)


O governo começou hoje a publicar os preços de referência para os combustíveis.
A partir de hoje poderemos obter diariamente essa informação, no site da Entidade Nacional para o Mercado dos Combustíveis.
Resta saber se essa informação tem alguma utilidade para quem tem de abastecer o automóvel. 
Se tivermos em consideração os preços de referência  para gasóleo e gasolina, no período entre 1 e 10 de Novembro (informação disponibilizada pelo regulador a título exemplificativo)  constatamos que era de 1,12€ /litro para o gasóleo e 1,32€/  litro para a gasolina.
Ora, na realidade, em Lisboa esses preços foram, em média, 19 a 20 cêntimos superiores e, no resto do país, a diferença foi sempre superior a 14 cêntimos. 
Mas, se esta informação é irrelevante para os consumidores, será importante para o governo. Como é sabido, a ANAREC estima que a Fiscalidade Verde vá aumentar,em média, 6 a 8 cts o litro da gasolina. 
Verificando-se uma discrepância tão acentuada entre os preços de referência ( que incorporam os custos de importação, gastos com transporte, custos de armazenamento e impostos) e os preços de venda ao público, o governo poderá sempre argumentar que a Fiscalidade Verde não é responsável pelo agravamento do preço dos combustíveis e que a margem de lucro dos combustíveis é demasiado elevada ( o que já todos sabemos). Mas, claro, o goveno nada pode fazer, porque é o mercado a funcionar. 

Rei Midas e a Rainha da Sucata




Quando Paulo Portas chega ao governo transforma-se num verdadeiro Rei Midas. Cada ideia que tem gera imediatamente à sua volta aumento de contas bancárias e suspeitas de corrupção  que acabam na Justiça. Foi assim  com os submarinos, quando era ministro de Barroso, está a ser assim com os Vistos Gold. Felizmente para nós- infelizmente para os beneficiados dos toques de Midas- Paulo Portas  só tem uma ideia em cada mandato.


Já Paula Teixeira da Cruz é a Rainha da Sucata ( embora tenha de disputar o lugar com Maria Luís Albuquerque, que já deu  provas de ter dotes para merecer o lugar)
A lata que PTC  revela na apresentação de argumentos para justificar a sua permanência à frente do ministério da Justiça, só é equivalente à lata com que diz  à comunicação social que as pessoas do seu ministério sob suspeita no caso dos vistos gold devem demitir-se. ( Mesmo que , formalmente, ainda não tenham sido acusados de nada, podendo ser tão inocentes como os funcionários da PJ que ela tentou incriminar para salvar a pele...)

Passos Coelho prometeu, durante a campanha eleitoral, transformar o país e cumpriu. Não nos tinha avisado é que Portugal passaria a ser uma monarquia, onde não faltam ministros com o rei na barriga e um Rei Bobo refugiado num palácio com marquise.
Há também pelo menos um príncipe consorte que não regateia esforços para defender a sua princesa, batendo-se galhardamente em duelos de SMS  com os adversários.
Neste novo Portugal monárquico há ainda uma imensidão de barões e baronetes mas o que há mais são mesmo duques.

O regresso dos CTT- TLP


Ironia do destino.
Se os CTT confirmarem a intenção de compra da PT e a sua proposta for vencedora teremos o regresso dos CTT/ TLP.