quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Nós, os ricos

França e Itália  são a segunda e terceira economia da zona euro e vivem um eríodo de grandes dificuldades. Pediram mais flexibilidade e mais tempo para reduzir o défice para 3%. O governo francês adianta mesmo, que só em 2017 estará em condições de atingir aquela meta. 
Portugal, país rico, economia pujante, não quer.

AR inaugura Feira Popular em S. Bento




A AR começou hoje a instalar uma Feira Popular,  nos Passos Perdidos, para que os deputados se possam distrair quando as sessões plenárias estiverem muito chatas ( o que é quase sempre...).
A primeira barraquinha de diversões a ser instalada foi a do "Oh freguês, vai um tirinho?" ( siga link para mais informações)
Segundo o CR apurou, a próxima barraca vai ser de Farturas e será explorada por Pedro Passos Coelho. " Todos os deputados precisam de comer enquanto se divertem e creio que será um investimento rentável, que me permitirá equilibrar o orçamento de homem remediado que sou e sempre fui"- disse PPC ao CR
Albino Azevedo Soares, com a aquiescência de Assunção Esteves e da Comissão de Educação já aprovaram o lançamento de concursos para outras diversões como o "Comboio Fantasma" ( em homenagem a Cavaco Silva) "O poço da Morte" ( Pedro Filipe Soares), " Carrinhos de Choque "(Paulo Portas) , carrossel ( António José Seguro) e uma banca de rifas (Heloísa Apolónia)
Assunção Esteves queria que Jerónimo de Sousa apadrinhasse  a Montanha Russa, mas o líder do PCP recusou, alegando que está fora de moda e só aceitaria apadrinhar uma Montanha da Coreia do Norte.
Esta tarde, durante a inauguração da Barraquinha de Tiro, os deputados entretiveram-se a atirar com bolas de pano aos bustos de Américo Tomás  e Carmona. A diversão acabou quando chegou Catarina Martins. Ao ver a infantilidade dos deputados que  tentavam atingir bustos de bronze  com inofensivas bolas de pano, a deputada do BE  disse:
- Isso assim não tem piada nenhuma. Vou ali buscar umas barras de ferro e já volto!

É só para lembrar...




Assinala-se hoje o Dia do Idoso ( e também o Dia da Água)
Pareceu-me oportuno lembrar os direitos dos idosos consagrados na Constituição Portuguesa e na Carta dos Direitos Fundamentais da UE.
Só para avivar a memória dos governantes tugas...

Direitos do Idoso na CRP 
Artº 72º
1. As pessoas idosas têm direito à segurança económica e a condições de habitação e convívio familiar e comunitário que respeitem a sua autonomia pessoal e evitem e superem o isolamento ou a marginalização social.
2. A política de terceira idade engloba medidas de carácter económico, social e cultural tendentes a proporcionar às pessoas idosas oportunidades de realização pessoal, através de uma participação ativa na vida da comunidade.

Direitos do Idoso na União Europeia
A UE reconhece os idosos como consumidores potencialmente vulneráveis.
Na Carta dos Direitos Fundamentais  da UE há duas  referências explícitas aos consumidores idosos

Artigo 21.º  ( alínea i)— Não discriminação
Proíbe-se qualquer tipo de discriminação baseada em qualquer razão — incluindo incapacidade e idade.
Artigo 25.º 
A União reconhece e respeita o direito dos idosos de viver uma vida de dignidade e independência, e de participar na vida social e cultural.

Caderneta de cromos (43)




Caro dr.Azevedo Soares:
Sei que está ofendido comigo, mas  quero que saiba que só ainda não o coloquei na prestigiada caderneta de cromos do CR, por manifesta falta de tempo, já que tive de dar a tenção a outras questões mais relevantes para o país.
Mais vale tarde do que nunca e hoje aqui estou a redimir-me da minha falta.  
Não compreendo que tenha admitido, por um só minuto, que eu seja uma pessoa injusta e capaz de o privar de entrar nesta galeria exclusiva, por qualquer embirração pessoal.  A atitude de esconder o passado do seu pm, mentindo ao país com uma desfaçatez e falta de vergonha inqualificável, é suficientemente asquerosa para uma entrada nesta caderneta. E, para me redimir do atraso, comunico-lhe que entra directamente para a secção "Invertebrados", onde só uma reduzida élite tem entrada.
Eu sei que jurou cumprir com lealdade o cargo em que foi empossado  e, precisamente por isso, escolhi a fotografia do momento em que estava a tomar posse como secretário geral da AR, mas quero lembrar-lhe que "cumprir com lealdade as funções que lhe foram confiadas" não é baixar as calças perante o líder do seu partido, mas sim servir o país com honestidade  e recusar-se  a ludibriar a verdade, para ocultar as vigarices do "chefe".