sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Bibó Porto (14): Uma pérola genuína



Ao passar na Rua Formosa, é impossível ficar indiferente a esta fachada de azulejaria Art Nouveau. Não só pela sua beleza, mas também porque ainda antes de chegar à porta do nº 279, se começa a sentir um agradável perfume a café acabado de moer, proveniente do interior.
Se o aroma  a café não for coisa que o seduza, entre na mesma, porque na excelsa mercearia A Pérola do Bolhão”  encontra  preciosos produtos portugueses. Desde enchidos  ( com destaque para uma preciosa alheira)a queijo da serra, passando por caramelos vendidos a granel, vinhos, bolachas e frutos secos, ou pelo bacalhau (noutros tempos  de altíssima qualidade), que a minha mãe reservava um mês antes do Natal.
Fundada em 1917 por António Rodrigues dos Reis, “A Pérola do Bolhão” é um dos  mais antigos estabelecimentos comerciais da cidade do Porto. Começou por ser um local de venda de porcelanas e especiarias provenientes da Ásia ( especialmente do Japão), antes de se tornar uma “mercearia fina”, após a segunda guerra mundial.
No topo do painel estão escritas as palavras “Chá” e “Café”.  Se reparar com atenção, vai ver que as mulheres que ladeiam a porta seguram, no regaço, plantas de chá ( à esquerda) e de café (à direita). Nada foi deixado ao acaso na construção desta belíssima fachada, que atrai turistas curiosos.
Longe vão os tempos em que nas montras de “A Pérola do Bolhão” existiam dois moinhos que permanentemente moiam café ( daí o perfume que se sentia no exterior), mas a qualidade do café mantém-se  e, em Março deste ano, a revista Condé Nast Traveller elegeu-a  como um dos 20 melhores locais do mundo para comprar um bom café. 
Nesta casa que procura manter a tradição, quase todos os funcionários trabalham na casa há mais de  30 anos, sendo  informadores privilegiados dos turistas que ali entram e procuram informações sobre locais interessantes e pouco conhecidos do Porto, que merecem uma visita.
Mas se a sua onda, neste mês de Agosto, vai para a vida nocturna, o Porto também  tem uma oferta diversificada que não o vai desiludir, como pode constatar aqui. 

O Espírito Santo e a mitologia greco-romana

Depois de os Angeles mexicanos terem lançado uma OPA sobre a Espírito Santo Saúde, os americanos Apollo compraram a Espírito Santo seguros ( Tranquilidade)
O Espírito Santo passou definitivamente para a mitologia moderna, mas disso,  eu já suspeitava

O mistério da praia do Meco

Já aqui escrevi que não gosto de praxes, mas tive  sempre o cuidado de não opinar sobre o caso do Meco. Quando a tragédia aconteceu, lembrei-me imediatamente de um caso ocorrido na Boca do Inferno, nos anos 60, em que a imprensa  da época deu como certo um crime que, afinal, não foi mais do que um acidente estúpido.
Não sei se as vítimas do Meco morreram na sequência de uma praxe, se tudo foi um acidente. Parece, no entanto, bastante claro, que nenhuma delas estava lá obrigada. 
O processo foi arquivado, o "suspeito" deu uma entrevista à "Sábado" (que não li) e o caso parecia arrumado. As famílias é que não se conformaram com a decisão ( como eu compreendo a dor de quem perde um filho, ainda por cima naquelas circunstâncias...) e a TVI, ontem, ressuscitou o caso com dados novos. Muito preocupantes para quem se esforça por acreditar na Justiça.  
Se as dúvidas levantadas forem verdadeiras, o que se está a passar é muito grave e levanta uma questão: o que levou o Procurador a fazer aquela afirmação nos autos?

Primeiro estranha-se... depois entranha-se!

Tornou-se tão banal o aumento de impostos e o agravamento da austeridade, que isto já nem devia ser notícia. Sem  surpresa, o governo anuncia que vem aí mais austeridade e ajustamento fiscal.
Habituem-se!
Entretanto, a dívida pública continua a aumentar