terça-feira, 17 de junho de 2014

Passos Coelho manda e Cavaco obedece

Pedro Passos Coelho lembrou-se agora que é melhor o PR mandar os diplomas do governo para fiscalização preventiva do Tribunal Constitucional. Segundo as suas próprias palavras, " o governo não sabe bem até onde pode ir em matéria constitucional e isso prejudica a acção do governo e deixa as pessoas na incerteza".
É lamentável que só ao fim de três anos o pm reconheça a sua incompetência e admita que, por força dela, os portugueses - especialmente pensionistas e funcionários públicos-têm andado em constante sobressalto.
Não deixa igualmente de ser surpreendente que tenha de ser o governo a alertar o PR para ter mais cuidado com os diplomas que envia para promulgação, porque podem ser inconstitucionais. 
Apesar de tudo, o PR não merecia ser tratado como um zombie pelo governo.
Parece-me óbvio que Cavaco vai obedecer a Coelho, mas fica por esclarecer algo importante: agora é o PR que obedece ao governo? Há aqui qualquer coisa que me faz lembrar o Estado Novo. Nesse tempo, o Cabeça de Abóbora também fazia tudo o que o Botas mandava. Sem tugir, nem mugir. Agora é o Thomaz das Alcagoitas a amouxar quando o Coelho das Botas  lhe dá ordens. Só mudaram os nomes
Não é que esta inversão de poderes seja  surpreendente. Eu já previra a hipótese de o árbitro estar comprado. 
Mas lá que custa assistir a esta degradação do regime,  issocusta...

Noite de insónia



Antes de me deitar, liguei finalmente a televisão. Em má hora o fiz. Não vi notícias sobre o mundial da bola, mas vi imagens horripilantes sobre as execuções  perpetradas pelos jihadistas no Iraque. Imagens  chocantes  que as televisões passaram, porque a barbárie não pode ser varrida para debaixo do tapete, só para aliviar as nossas consciências. Ou fazer esquecer que há um português  co-responsável por  este holocausto. Chama-se Durão Barroso, é presidente da Comissão Europeia há 10 anos e não desdenharia ser presidente de Portugal,  no caso de a Merkel não lhe arranjar coisa melhor lá por fora.
As imagens, repito, são aterradoras e não as reproduzo aqui ( quem quiser vê-las, sugiro que  váaqui).
Abro apenas uma excepção para esta acima onde se vê um jovem xiita, envergando a camisola de Nani , a ser encaminhado para o local onde vai ser executado.
As imagens não me deixaram dormir toda a noite.  
Já Durão Barroso, apesar de ser co-responsável por tudo o que aconteceu e está a acontecer no Iraque, dormiu muito tranquilamente. Quando acordou, nem  viu as mãos cheias de sangue de vítimas inocentes. Tomou o pequeno almoço e foi fazer uns telefonemas  para saber qual o seu destino, quando abandonar  o lugar que lhe foi oferecido como recompensa por ter avalizado a invasão do Iraque, depois de servir de anfitrião ao acordo entre Bush, Blair e Aznar, e ter jurado  que tinha visto armas de destruição maciça! 
Os canalhas gostam sempre de se vangloriar que dormem o sono dos justos.


Uma democracia moderna

Ontem, depois de tomar a bica nocturna a horas tardias*, peguei nos jornais da manhã que ainda não tivera oportunidade de ler. 
Já ando farto dos noticiários televisivos prenhes de notícias da bola, esquecidos que há mais mundo para além de um campo de futebol. o mundo que, felizmente, ainda vem nos jornais e nos informa de coisas a que devíamos dar mais atenção. Como, por exemplo, o corte do fornecimento de gás à Ucrânia, ordenado por Putin. Temo, a propósito, que se Merkel insistir em ligar o esquentador ( Juncker) a Bruxelas, a falta de gás nos gasodutos europeus provoque uma explosão de grandes dimensões. 
Mas a notícia que me levou a escrever este post vem de Israel. 
Três jovens israelitas que pediam boleia na estrada que conduz a Hebron, desapareceram na tarde de domingo.  As causas poderão ter sido várias mas o radical pm israelita, Benjamim Netanyahu, não teve quaisquer dúvidas. Tem a certeza que os jovens foram raptados e  acusou de imediato o Hamas pelo desaparecimento. Vai daí, como a justiça israelita é rápida e eficiente, em menos de duas horas foram presos oitenta palestinianos suspeitos de envolvimento no alegado rapto. Provas? Não há. Em Israel bastam as suspeitas fundadas no ódio para prender palestinianos e libertar soldados israelitas autores de crimes bárbaros. 
Não ouvi, nem li, notícia de uma reacção do Ocidente face à actuação do governo de Israel. Não sei se tal se deve ao facto de estes casos serem tão banais, que já nem merecem reparo, ou se os governos ocidentais continuam a pensar que Israel é uma democracia. Moderna e ao gosto dos mercados, certamente...
Também não vi notícia sobre as meninas nigerianas raptadas pelo Boko Haram, nem sobre as diligências que estão a  ser efectuadas por EUA e UE para as resgatar. 
O futebol funciona como uma esponja limpa vidros. Não retira a porcaria, mas dá a sensação de que o vidro ficou lavado.

 *Depois do desastre de S. Salvador, nem liguei a televisão para não ter de ouvir os comentadores que andaram com Paulo Bento ao colo durante meses, a zurzirem no seleccionador, culpando-o pela derrota e por ter insistido numa selecção de velhos, onde alguns notoriamente não têm lugar, por ser muito conservador, blá, blá, blá.

De pequenino se traça o destino...

Ontem, no Goethe Institut em Lisboa, uma criancinha portuguesa chorava copiosamente, enquanto os alemães festejavam a vitória com litradas de cerveja.
Ao ver a cena, lembrei-me de um outro episódio ocorrido sexta-feira, no Biergarten, em Cascais. Enquanto  os holandeses celebravam a copiosa vitória  sobre Espanha, uma criancinha espanhola colocou-se em frente às câmaras de televisão e gritou a plenos pulmões:
" Y Viva España!"
Pois é..."de pequenino se traça o destino"- como diz a sabedoria popular

É isso mesmo!