terça-feira, 10 de junho de 2014

Resumo do dia

A Visitação
                                                               Ghirlandaio Domenico
Consta que foi assim

Quem se limpa a estes guardanapos?



A Renova criou estes guardanapos de papel com as caras de Felipe VI e Letízia. Não sei se os espanhóis vão querer limpar-se a esses guardanapos reais, mas aproveito para fazer uma sugestão a esta criativa empresa portuguesa. Porque não criarem uma gama de papel higiénico com algumas figuras republicanas portuguesas? Se não estão a ver quem, escrevam-me que eu dou umas sugestões. Mas aviso desde já que quero percentagem nas vendas...

Do fanico de Cavaco ao hemorroidal de Coelho

Há minutos, a Martinha telefonou-me a perguntar se eu sabia alguma coisa sobre o fanico do Cavaco. Eu, que até estava lá, esclareci-a que  Cavaco não teve nenhum fanico, mas sim uma reacção vagal.
A Martinha disse que eu estava maluco, porque quando uma pessoa desfalece é porque está sem reacção e, visivelmente incomodada, escarneceu sobre a minha condição de jornalista que, mesmo estando em cima do acontecimento, ainda sabe menos do que ela, que viu tudo na televisão.
" Foi mesmo um fanico, porque eu vi bem o que se passou na televisão!" - estrebuchou ela 
 Não insisti mais com a reacção vagal do presidente e disse à Martinha para ter em atenção as palavras daquele militar que falou à multidão que protestava e exigia respeito pelas Forças Armadas.( Não pelo presidente)
A Martinha, que ainda não percebeu nada do que se está a passar em Portugal perguntou-me se o Cavaco era militar e, sem esperar a minha resposta, afivelou-me outra pergunta:
- Olha lá Carlos, e qual foi o problema com o Passo Coelho?
- Não sei, não vi problema nenhum...
- Pois, vocês não vêem nada, são como os comentadores de futebol que depois de nós termos visto que não havia fora de jogo,  ficam à espera de 20 repetições para confirmarem que o árbitro tinha razão.  Mas eu, que vi tudo pela televisão, também te posso dizer que o Passos estava com um ataque de hemorroidal. Bastava olhar para a cara dele, para se perceber logo, mas vocês, jornalistas, que estão em cima do acontecimento, não vêem nada! Não estranharam que ele tenha cantado o hino de boca fechada? Aquilo eram as dores do hemorroidal, que não lhe permitiam abrir a boca, Carlos! Da próxima vez tens de me levar contigo, para eu te ajudar a perceber as coisas.
- Olha Martinha, tá bem, da próxima vez eu faço a cobertura dos acontecimentos do 10 de Junho diante do televisor, como fez um dia um camarada meu que fez a reportagem dos 21 dias da Volta à França, para um jornal, sem nunca ter saído de Paris.
- Esse teu camarada é que a sabia toda! Devias ter aprendido alguma coisa com ele.
- Tá bem, Martinha. Olha, agora vai buscar o cachecol e a bandeira, planta-te em frente ao televisor e começa a torcer por Portugal, porque hoje à noite há jogo e o mundial começa já na quinta-feira. Estas coisas do 10 de Junho não interessam nem ao menino Jesus. 
E foi assim que me desenvencilhei das inconveniências da Martinha e empreendi a viagem de regresso ao Porto.

Vamos ao circo?

Guarda em dia de nevão
Hoje há palhaços e canitos amestrados.