terça-feira, 3 de junho de 2014

Das duas uma...

... ou o governo não estava mesmo à espera dos chumbos do TC e confirma-se que ali reina a incompetência;
ou  decidiram arriscar sabendo que estavam a pisar o risco e agora fazem toda esta teatralização dramática, no intuito de virar a opinião pública contra o TC e ganhar espaço para exigirem ao PS a revisão da Constituição.
Em ambos os casos, estamos na presença de um grupo de aventureiros. Paulo Portas, aliás, fez questão de confirmar publicamente que é um aventureiro e um irresponsável, numa  conversa pública que teve com Miguel Esteves Cardoso no último domingo ( sobre esse momento esclarecedor, escreverei um post noutra oportunidade).

Paulo Portas telefona a Seguro!

Portas telefonou a António José Seguro, por causa das primárias no PS. O CR estava à escuta
- Ó Tó Zé! Não te lembre de marcar as primárias para o Verão, porque no governo e no CDS  todos queremos votar em ti, pá!  O Nuno Melo está preocupado, porque tem férias marcadas entre 1 de Julho e 30 de setembro, mas garantiu-me que se for necessário fará os possíveis para vir a Portugal  votar! 
- Então e o PSD? Não vota em mim?
- Sabes como são esses tipos da S. Caetano, pá! Estão sempre muito divididos. Claro que a malta que está nos gabinetes garante-te o voto, mas há por ali uns tipos amuados com o Pedro que são capazes de ir votar no Costa, por isso, o melhor é não contares muito com o PSD. Põe-te fino e conta mas é connosco.
- Obrigadinho, Paulo! Quando eu for primeiro-ministro não me esquecerei de ti
- Primeiro ministro? Mas tu acreditas que vais ser primeiro ministro? Mantém-te mas é aí pelo Rato a fazer o teu trabalho. Depois das legislativas o Pedro telefona-te. Ciao!

Seguro e a Lei da Concorrência

Seguro foi vária vezes humilhado pelo amigo Passos Coelho. Reagiu sempre com indignação, mas nunca o vi apresentar propostas alternativas consistente. Os portugueses expressaram nas urnas o seu descontentamento com a passividade do lider do PS, que parecia cada vez mais conformado ( quiçá agradado) com a necessidade de governar em coligação com o PSD.
Eis senão quando um camarada decide ir à luta e Seguro eriça-se. Remoça-se. Reage com violência, como se de uma afronta se tratasse. E- pasme-se!- apresenta finalmente propostas. Estapafúrdias, mas propostas. Não para governar o país. Apenas para não ser apeado do partido por um camarada. 
Seguro confundiu a Lei da Concorrência. Ela fomenta a competitividade entre entre empresas concorrentes, não a concorrência dentro da própria empresa. Essa tem outro nome. 
Quando é que Seguro revê a matéria dada, para perceber o erro que está a cometer, não convocando o Congresso?

Uma proposta interessante!

Com amigos destes, quem precisa de inimigos?
Morais Sarmento propõe que se atire o governo pela janela!

Boa notícia?

A forma desbragada como Marco António Costa, Passos Coelho, Arnault ou Portas reagiram à decisão do TC,  seria  uma boa notícia, se o governo arrepiasse caminho. Já se viu, porém, que não o vai fazer.O governo reagiu assim, porque está de cabeça perdida e precisa de alibis para justificar a sua incompetência para governar e preparar a opinião pública para um novo aumento de impostos.
Conhecendo os bichos, é de admitir que reajam com a cegueira habitual e castiguem impiedosamente os portugueses ( particularmente funcionários públicos e reformados), numa fuga em frente. Perdidos por 10, perdidos por 100. Os portugueses e o país que se lixem.
Entretanto, o cherne e o Rehn também se deram ao luxo de lançar farpas ao TC. A troika afinal não se foi embora. Continua a andar por aí ... mascarada.