quarta-feira, 7 de maio de 2014

Maravilhoso mundo novo!

A saída limpa que tanto entusiasmou Cavaco- o primeiro a desconfiar que tal fosse possível, sublinhe-se- está a ser anunciada como prenúncio de um mundo novo para o país. A aproximação das eleições europeias a isso obrigam, reconheço, mas pelo sim pelo não, o melhor é os portugueses verem um exemplo daquilo que se esconde por trás de tanta limpeza

Ele sabe do que fala...



Passos Coelho sabe do que fala quando acusa o PS de ter um discurso "quase esquizofrénico"
De igual modo falou com conhecimento de causa quando, incomodado com uma pergunta colocada por Catarina Martins, respondeu "a senhora deputada anda a ouvir vozes"
Pedro Passos Coelho não recorre a este tipo de insinuações sobre os adversários, apenas por falta de argumentos para os contrariar. Faz estas afirmações peremptórias sobre os problemas mentais dos seus  adversários com conhecimento de causa. 
Por isso mesmo Passos Coelho devia ser mais comedido quando faz estas insinuações. É que um dia destes o feitiço pode virar-se contra o feiticeiro.
Aliás, descodificar aquele sorriso de Pedro Passos Coelho, sempre que fala na necessidade de aplicar mais medidas de austeridade, é um exercício interessante. Só lhe falta babar-se!

Retratos da Europa (2)






Escute os meus conselhos, Marilú!

Ao quinto (e último) dia por terras algarvias, continuo à espera do primeiro restaurante onde me perguntem se quero factura. Pior ainda. Continuam a olhar-me de soslaio quando a exijo.
O episódio mais caricato aconteceu na sexta feira.  No restaurante onde fui jantar, o proprietário  inglês- espantado por lhe ter pedido factura com nº do contribuinte- lembrou-me, em tom irónico, que  estava a dar importante informação à ministra das finanças, que talvez se interrogasse se não estaríamos ambos a viver acima das nossas  possibilidades.
Poupo-vos à conversa acesa que se seguiu...  Limito-me a relembrar e  fazer mais uma  vez um apelo à Marilú: as finanças ainda têm muito sítio onde sacar dinheiro, antes de aumentarem os impostos a quem  vive exclusivamente do seu trabalho. E nem sequer precisam de chatear a banda do  Cavaco& Friends...