terça-feira, 22 de abril de 2014

Os tolinhos também se riem das desgraças



Anda o governo a proclamar aos sete ventos os seus feitos históricos;
Andam os ministros munidos do instrumento a martelar números que embelezem a realidade;
Vai um fulano à televisão armado em pm e diz a um capanga que se presta a desempenhar o papel de jornalista e entrevistador, que o seu governo foi o que mais reduziu o défice e... a realidade decide contrariá-lo 
O governo, porém, continua feliz com os números alcançados. Como os tolinhos que se riem das desgraças...

Alta Definição

As primeiras horas de gripe deixam-me num estado de letargia estúpido. Não consigo ler, não me apetece falar com ninguém, tenho dificuldade em concentrar-me. A única acção possível, enquanto me aninho debaixo dos lençóis à espera que a gripe passe,  é fazer zapping.
Foi assim que, na tarde de sábado, dei por mim a ver  o “Alta Definição”, programa de que fujo como o diabo da cruz. Só que no sábado o convidado era Otelo Saraiva de Carvalho e deixei-me ficar a ouvir os últimos minutos da entrevista.  Muito útil para alguém mais distraído que não tenha identificado estas personagens.

Bolhas de ar


Em média um homem precisa para sobreviver, em condições ditas normais, de cerca de um quilo de alimentos e mais de 1 litro de água por dia. Compreende-se, pois, que haja uma grande preocupação com a qualidade dos alimentos que ingerimos ou da água que bebemos. Mas precisamos também de 25 quilos de ar!
Todos sabemos que ninguém vive apenas de ar... no entanto, a  sua importância para a nossa sobrevivência é tão determinante, que se estivermos apenas alguns minutos sem respirar morremos, mas poderemos sobreviver alguns dias sem nos alimentarmos ou sem beber qualquer líquido.
A má qualidade do ar urbano é um dos maiores problemas que se depara aos responsáveis políticos das grandes cidades, principalmente naquelas cujo desenvolvimento tem acarretado um aumento exponencial do tráfego.
Nos últimos anos é recorrente falar das cidades chinesas como exemplos de metrópoles cujo desenvolvimento as tornou irrespiráveis. Apesar da poluição insuportável, Pequim não é a cidade com piores condições atmosféricas na China. No entanto, o facto de ser a capital tem levado as autoridades chinesas a preocuparem-se especialmente com a melhoria da qualidade do ar.
A boa notícia, neste Dia da Terra, é que uns cientistas inventaram umas bolhas que podem contribuir para atenuar um problema que afecta todo o mundo: a deterioração da qualidade do ar.
Normalmente, quando se fala de bolhas, adivinha-se logo uma crise qualquer. Neste caso, porém, é diferente. Estas bolhas podem ajudar a tornar o ar mais respirável.

Não era precisa uma sondagem...


...para chegar a esta conclusão, mas ver Cristiano Ronaldo na lista é um bocadinho deprimente.

Sem palavras






Hoje é Dia da Terra. Este ano não escrevo nenhum texto. Deixo-vos apenas este conjunto de imagens e uma pergunta: é esta a Terra que queremos deixar aos nossos filhos?