sexta-feira, 7 de março de 2014

Mulher do ano




Escolhi Maria Cavaco Silva para mulher do ano. É uma escolha tardia, eu sei,  porque sempre que abre a boca,- especialmente lá fora- Maria Cavaca deixa milhões de portugueses  envergonhados, feito que não está ao alcance de qualquer um e já devia ter sido devidamente destacado.
Permitam-me que me penitencie pela escolha retardada, invocando outra das características de Maria que  fazem dela uma mulher única no panorama feminino nacional. Não, não são as suas escolhas de vestuário, nem o facto de denegrir todo e qualquer estudo que registe um aumento da pobreza em Portugal. Sobre isso, já escrevi aqui.
O que faz de Maria Cavaco uma mulher única é ter conseguido a proeza de andar desde 1986 a correr mundo e a trazer lembranças para os filhos e netinhos, à custa dos contribuintes portugueses. Maria não se pendura no marido - coitado, o homem tem a mania de que é presidente da república e ela já desistiu de o contrariar - mas, em contrapartida, também deixou de lhe pedir dinheiro para viajar.
Maria  limita-se a acompanhar um senhor de fato azul em viagens com grandes comitivas e a tirar umas notinhas que, um dia mais tarde, verterá para um  livro de sucesso assegurado, graças às críticas extremamente favoráveis de Maria João Avillez e de um séquito de jornalistas contemplativos que, ao contrário dos jornalistas do CM, nunca são sujeitos a controlos de alcoolemia durante as viagens presidencias do senhor Aníbal. Estão isentos porque, em declaração assinada e reconhecida em notário,  aquiescem em tratar Aníbal como "senhor presidente". E  D. Maria, como primeira dama (cof!cof!cof!)

Se calhar estou a ser ingénuo...

...mas não resisto a fazer uma perguntinha:
Quando sucedem situações destas, ninguém é responsabilizado?

Sabem qual é a diferença entre Relvas e uma hiena?


Olha que dois!


É simples. Nunca um cientista conseguiu encontrar explicação plausível para o riso da hiena. Já para explicar o riso de Relvas, bastou a jornalista Sónia Sapage escrever um artigo na “Visão” par ficar tudo muito  bem explicadinho.
Apesar de algumas truncagens e erros ortográficos, o artigo – onde não falta uma alusão sibilina mas não inócua ao blog Delito de Opinião-  é esclarecedor. Ficamos a conhecer (ainda) melhor Relvas, a perceber a sua idoneidade – presidente de uma organização que nem sequer existe-  e os objectivos de Passos Coelho quando decidiu recuperá-lo para a vida partidária.
Eu já sabia  que PPC era um homem honesto e explicara aqui as razões do regresso de Relvas à vida activa. Mas eu sou ingénuo e fiquei muito aquém da realidade. Relvas é um verdadeiro artista no circo da dupla Coelho/Portas.

Pedro Lomba apresentou proposta para aumentar natalidade

Pedro Lomba, o ajudante que ficou sem funções depois de lhe terem cortado os b(r)iefs, ficou circunscrito ao seu gabinete, onde passa os dias a pensar em ideias novas. Nos intervalos, o grande arquitecto injustamente esquecido pela academia sueca, vai-lhe dando a  visibilidade possível. Depois desta entrevista ao Sol, Lomba regressou ao seu gabinete apostado em encontrar uma solução para aumentar a natalidade. Na terça-feira de Carnaval, enquanto ministros e colegas adjuntos se mascaravam de matrafonas, Lomba ficou no seu gabinete a representar o governo e, ao final da tarde,  teve  finalmente uma IGD ( Ideia Genial do Dia).
Entusiasmado, telefonou logo a Maduro para lhe apresentar a proposta: vamos importar bebés talento e mulheres parideiras certificadas, pá!- atirou entusiasmado
Maduro prometeu pensar no assunto e na melhor forma de apresentar a proposta em conselho de ministros.