quarta-feira, 5 de março de 2014

Não me parece ter sido boa ideia...

Apresentar o cabeça de lista às europeias em quarta feira de cinzas não me parece ter sido uma boa ideia. A não ser que se trate de uma alegoria ao esturricanço de Assis no dia 25 de Maio.

Corrupção má e corrupção boa

A corrupção é como a moeda. Há a boa e a má ( pelo menos na douta opinião das autoridades europeias, presididas pelo cherne caniche Barroso).
A UE apressou-se a congelar as contas dos membros do governo ucraniano, que se encheram de guito enquanto geriram os destinos da Ucrânia. Não me consta, porém, que a UE tenha tomado idêntica medida em relação à  impoluta democrata Yulia Timoschenko.
Não tenho quaisquer dúvidas que Barroso, Merdel, o BCE e toda a tralha de eurocratas tem a certeza absoluta que Yulia Tomoschenko foi uma pessoa muito séria quando dirigiu os destinos da Ucrânia. Qual o fundamento para esta crença? Simples... É que quando Timoschenko chegou ao poder tinha apenas uma conta no exterior de cerca de 100 mil euros e, quando foi presa, o montante da sua conta bancária depositada em países europeus e off shores ascendia "apenas" a 49 milhões de euros.
Só tenho uma dúvida: a UE pensa que Timoschenko roubou pouco os ucranianos,  acredita que aquela fortuna foi ganha à custa do seu trabalho, ou reconhece que é o pagamento justo a uma amiga da Europa?
Em tempo: confirma-se o que já era previsível, mas a baronesa apenas acha isso um bocado chato.
Sigam o link, mas não se deixem iludir pelo título..

Notícias do regabofe: um caso exemplar

Uma das muitas mentiras de Passos Coelho durante a campanha eleitoral, foi que iria acabar com o "regabofe". 
Ao fim de três anos não há notícia de ter tomado uma única medida que moralizasse a administração pública. Pelo contrário, PPC empobreceu os funcionários públicos enquanto paga ordenados principescos a jovens turcos sem qualquer experiência, cuja única missão é abanar as orelhas cada vez que o chefe fala.
O recente encerramento da Loja do Cidadão dos Restauradores é outro bom exemplo do conceito que PPC tem de regabofe. Se bem se lembram, o governo justificou o encerramento de um serviço que era do agrado geral da população com o pretexto de a renda ser muito elevada. Realmente parece que era, mas o  governo podia, no mínimo, ter cumprido a promessa de abrir uma Loja do Cidadão noutro local, para evitar a saturação da Loja das Laranjeiras, a rebentar diariamente pelas costuras.  Os cidadãos mereciam mais respeito ( só que o governo sabe que os cidadãos não se dão ao respeito, por isso, faz o que lhe dá na real gana, como no caso que se segue).
Ficámos hoje a saber que, afinal, as rendas só são excessivas quando se trata de servir a população. Quando se trata de manter mordomias da máquina do estado ( nomeadamente quando estão em causa serviços cujo objectivo é reprimir os cidadãos- embora o seu dever fosse protegê-los) PPC e a sua  loira já não regateiam preços

Putin e o Nobel



O Nobel da Paz só será atribuído em Outubro, mas já abriram as bolsas de apostas, depois de se perfilarem os primeiros candidatos. Um deles é Putin. É certo que Putin, ao dissuadir os americanos de atacarem a Síria e envolverem-se num conflito de consequências imprevisíveis, já fez mais pela paz do que Obama tinha feito quando recebeu o Nobel, mas não deixa de ser curioso que a candidatura de Putin seja anunciada num momento em que o próprio admite atacar a Ucrânia…
Bolsas de apostas à parte, é também admissível que esta indigitação  tenha outros objectivos, tais como o de acalmar os ímpetos de Putin, seduzindo-o com a possibilidade de receber um Nobel igual ao de Obama. O presidente russo já mostrou que é bastante cerebral e ponderado, pelo que é pouco provável que se deixe seduzir. 
Convém no entanto lembrar que o desprestígio atingido pelo Nobel ( como é possível Durão Barroso, o anfitrião da guerra do Iraque, ter sido proposto  para o receber?) já é tanto, que  deixou de ter qualquer relação com o espírito pacifista  do seu vencedor, pelo que o mais improvável pode sempre acontecer...
Não me venham é outra vez com a Malala, por favor! Se a miúda aos 16 anos já tiver recebido todos os  principais galardões relacionados com a paz e os direitos humanos, o que vai fazer a seguir?