quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Quim Barreiros em S. Bento



Palpita-me que quando Pedro Passos Coelho disse que  já não podia  comer bacalhau estava a pensar nesta canção do Quim Barreiros...
É bom lembrar que foi  próprio Coelho a dizer que é "pouco abonado"...

O menino que (não) sonhava ser bombeiro

Quando era miúdo a mãe só conseguia dar-lhe banho em sossego, depois de encher a banheira de barquinhos.
Já adolescente ficava horas mergulhado na água, a engendrar guerras com os barcos, aviões e helicópteros com que transformava a banheira num palco em três dimensões da Batalha Naval. Todos diziam que ia acabar marinheiro.
Aos 18 anos, tentou alistar-se na Marinha, mas foi chumbado. Só sublimou a frustração quando foi para ministro da defesa e pôde comprar uns submarinos.
 O vício pelos jogos de estratégia de guerra manteve-se. Arranjaram-lhe um gabinete ao pé do Jardim Zoológico para ver se ele se distraía com os animais. Deram-lhe um lugar de ministro de estado, porque pensaram ser o mais adequado ao seu perfil. Não exige muito trabalho. Basta saber intrigalhar e fazer show off, coisas em que ele também sempre foi bom desde pequenino, quando brincava com um primo aos teatrinhos e  fazia sempre de enfermeira. 
Nada feito. 
Já há muito ultrapassou os 50, mas continua com a fixação que se apoderou dele ainda menino. Adora fardas e brinquedos de guerra. Está sempre a ver-se na banheira  rodeado de belos exemplares de submarinos e contratorpedeiros, manobrados por pilotos loiros, altos e espadaúdos, mas ainda não decidiu se quer ser marinheiro ou piloto de aviões.
Em tempo: o porta aviões foi ao fundo?

Um dia em grande ( para mais tarde recordar)

Ontem foi um dia em grande para o PS!
De manhã Seguro foi a Cascais dizer aos mercados para  não se preocuparem com o que ele diz cá dentro e  estarem descansados, porque a sua discordância com Passos não é mais do que um arrufo de namorados.
À tarde assistimos a um amplexo fraternal entre António Vitorino e Vítor Gaspar, depois de o primeiro ter tecido eloquentes elogios ao ministro das finanças mais fascista desde Salazar. Este PS promete!

Traumatism(u)craniano

Já escrevi aqui o que penso sobre a luta do povo ucraniano e sobre a forma como a comunicação social tem tratado o assunto.
Por isso, hoje, apenas faço uma pergunta: os dirigentes europeus, que têm as mãos sujas de sangue, já terão percebido que cometeram (mais) um erro que pode custar muito caro a toda a Europa?
A Ucrânia está à beira de uma guerra civil mas, não tarda nada, aposto que a senhora Merkel virá lamentar os acontecimentos, apelar à calma e sugerir que se imponham sanções a Kiev
 Se as galinhas tiverem dentes, aquilo até é capaz de acabar numa democracia... mas o melhor é esperar que os Jogos Olímpcos de Sochi terminem para ver o caldinho que arranjaram.