quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Late night wander (102)

Ser ingénuo é pensar que  a política deste governo pode fazer emergir um líder populista de extrema-direita em Portugal. Acordem, por favor! Esta gajada que se apoderou do poder já é de extrema-direita! 

Xutos e Pontapés

Uma pessoa está  três ou quatro dias alheado das notícias, começa a sentir-se descompensado, decide investir uns minutos na Net e arregala os olhos de espanto.  É o minorca , grande noia Mentes, acusado de ludibriar o fisco, são as trapaças do Branquinho denunciadas pelo Cerejo ( tivéssemos uma centena de jornalistas com a coragem e profissionalismo dele e a comunicação social seria mais respeitada) e, cereja no topo do bolo, a notícia de que Marcelo levou tampa do Pedro Passos Coelho, que prefere ter Durão Thomaz Barroso como candidato a Belém em 2016.
Se em relação às duas primeiras notícias encolho os ombros, (apesar de me dar um gozo particular pensar no que Isaltino estará a pensar das palavras do Mendes quando era lider do PSD e  há muito tempo   Branquinho ter mostrado a sua estirpe, ainda estou à espera de encontrar o primeiro gajo do PSD que apoie este governo e seja honesto),  já  quanto ao desaguisado entre Passos e Marcelo a coisa fia mais fino.... 
Ou o Pedro teve outra crise e voltou a perder a noção da realidade, ao ponto de acreditar que os portugueses caem no embuste de colocar em Belém uma réplica do Thomaz Cavaco, com PHD em trafulhice obtido em Bruxelas,  ou os tugas ensandeceram de vez e enveredaram pela via masoquista do "quanto mais me bates mais gosto de ti".
Sinceramente, não acredito que Passos tenha descartado o professor. Seria demasiado estúpido. Mais...acredito que se trata apenas de uma manobra de diversão- possivelmente até arquitectada entre os dois - para distrair o pagode dos verdadeiros problemas que preocupam os portugueses.  Daqui a um ano, vamos voltar a ver Pedro e Marcelo, lado a lado, sorridentes, jurando ambos que aquela moção foi um mal entendido e a garantir que estão umbilicalmente ligados pelo desejo de salvar Portugal. Até Portas engolirá a vichyssoise e voltará às feiras de braço dado com o professor, para o fazer eleger.
Mas se Marcelo não vier a ser o candidato da coligação, a alternativa será Rui Rio e não Durão Barroso. PPC é um artista, mas não é burro!