quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Um consenso preocupante

O PR tanto pediu consenso, que  foi ouvido. E por todos os partidos, o que é obra!
Pena foi que esse consenso se tivesse estabelecido para levar Eusébio para o Panteão Nacional. Tenho o máximo respeito e imensa admiração pelo Pantera Negra, mas constatar que num país a caminho da calamidade social, onde aumenta exponencialmente o risco de pobreza, os partidos se tenham posto de acordo sobre Eusébio por mera táctica eleitoral e nenhum tenha tido a coragem de levantar a voz para dizer que o rei vai nu, é algo que me preocupa. Muito!

Mudemos então de Povo

Reflecti um pouco sobre o post anterior e acabei por dar razão ao Lomba: precisamos mesmo de mudar de povo, mas talvez  valha a pena mudar outras coisas.
Sabem mesmo do que eu gostaria?
Gostaria de ter um governo de gente honesta que defendesse os portugueses dos agiotas que nos condenaram ao empobrecimento e governam o país a seu bel-prazer.
Gostaria de ter um governo que não fosse constituído por gente cobarde e traidora, que está vendida aos interesses alemães. É, no entanto, mais fácil acreditar que me vai sair o Euromilhões, do que na possibilidade de os portugueses acordarem e votarem em gente honesta apostada em defender os interesses do país.
Gostaria de ver o povo português reagir, denodadamente, contra a invasão estrangeira, mas isso é tão lírico como acreditar no Capuchinho Vermelho
Gostaria que os portugueses fossem civilizados e conscientes, defendessem os seus direitos e lutassem contra a degradação da sua qualidade de vida, mas isso é tão idiota como pedir a Alexandre Soares dos Santos que volte a pagar impostos em Portugal, ou a Cavaco Silva para ser Presidente da República e cumprir o juramento de respeitar a Constituição.
Por isso, o único desejo que formulo vai de encontro ao do Lomba, mas parte de outros parâmetros. Eu gostaria que o Criador desse um Povo a Portugal, com consciência cívica, capaz de lutar e de perceber que a leitura do Correio da Manha faz mal à saúde.Um povo que compreenda que mudar o país depende dele e não de um grupo de aldrabões a quem deu permissão para se apropriar do pote e distribuir o conteúdo por um grupo de rapazolas amigos.