quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Christmas Carol

A reaproximação dos EUA a Cuba cheira-me a Christmas Carol.  Só será uma boa notícia no dia em que terminar o embargo, sem imposições do Tio Sam. Até lá, o povo cubano continuará a ser  vítima da prepotência americana.
Palpita-me que Obama estava  com inveja de Merkel por ela ter  encontrado em Portugal   uma colónia de férias para os alemães e quer oferecer uma aos americanos como presente de Natal. 
Terminado o embargo a Cuba, a ilha ficará irreconhecível. Hordas de turistas e investidores encarregar-se-ão de a transformar, de acordo com os ditames do turismo de massas ao gosto dos americanos. 
Entretanto, muitas empresas americanas esfregam as mãos. Obama ofereceu-lhes um novo mercado, para escoarem os seus produtos.

5 comentários:

  1. Não estou assim tão céptico. Obama, a meu ver, deu um passo no sentido certo. Oxalá se avance no caminho agora iniciado, pondo termo ao embargo. Eventualmente, na altura em que foi decidido, pode ter tido alguma justificação. Continua a mantê-lo em vigor, nesta altura não faz nenhum sentido. O mundo já deu tanta volta que mantê-lo agora é pura estupidez.

    ResponderEliminar
  2. Foi mais do que isso, creio eu: foi já um (grande) passo!

    E por Christmas carol, Bom Natal para si!

    ResponderEliminar
  3. Os americanos não perdoam o desastre da Baía dos Porcos, nem os luxuosos casinos que exploravam, assim como a prostituição de luxo. A América Central e a do Sul serão sempre mais umas vítimas dos EUA. Nem o México escapa. Hoje, até os democratas estavam revoltados. Aos poucos vão destruindo tudo, desde a floresta amazónica, bem como todos os terrenos de pequenos proprietários na Colômbia que eram férteis só por causa da exploração da coca. Os grandes cartéis não perdoam e a Monsanto, sabe muito bem com destruir tudo, para plantarem só o que é deles. Há imensos vídeos sobre o assunto, que até nos deixa arrepiados. http://pt.wikipedia.org/wiki/Monsanto_(empresa)

    ResponderEliminar
  4. Tal como a Graça, acho que já foi um grande passo.
    Que seja só o primeiro e que a caminhada não seja longa

    ResponderEliminar