quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

A meia noite é uma passagem...

À meia noite "passa-se" para um Novo Ano.
 Desejo a todos os meus leitores uma passagem feliz  e que aproveitem o Ano de 2015 da melhor forma, colhendo dele os seus melhores frutos. Nunca se esqueçam que o Ano Novo é a única coisa  que nos dão à borla por isso, não o estraguem.
Já agora, deixo-vos várias hipóteses para "passarem de ano" com sucesso. A escolha é vossa...

Espírito de Aljubarrota

Já nos levaram o Ronaldo, ocuparam o Alqueva e a faixa litoral a norte do Porto. Agora querem-nos levar os jazigos de gás natural e umas ilhotas onde o Cavaco gosta de brincar com as cagarras.
Já agora podiam levar também o Cavaco, o láparo de duas patas, mais os submarinos, os corruptos e a cangalhada governativa que nos anda a azucrinar a vida há três anos. 
Isso sim, seria uma prova de amizade de nuestros hermanos.

A realidade é uma merda. Estraga os contos de fadas

O programa de ajustamento foi um sucesso, blá, blá, blá. Foram os mais ricos que mais pagaram, blá, blá, blá. Os mais desfavorecidos foram os menos atingidos pela crise, blá, blá, blá. 
O láparo de duas patas vai debitando estas mentiras e dizendo umas javardices para enganar papalvos, mas depois a gente vê os números oficiais que retratam a realidade  e percebe que afinal foram os salários dos trabalhadores que engordaram os bolsos de quem mais tem e fica a pensar oxalá te engasgues logo à noite com a fava do bolo rei e...

Um homem discreto

Jean Claude Juncker já tomou partido nas eleições gregas. Disse que não gostaria que forças extremistas chegassem ao poder e preferia ver caras conhecidas. Estaria a referir-se aos donos das empresas a quem concedeu benefícios fiscais, quando liderava os destinos do Luxemburgo?

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Paulo Portas no Conselho de Administração da Benfica SAD

Num comunicado enviado à CMVM, o Conselho de Administração da Benfica SAD informa que recebeu uma proposta irrevogável do Valência para  a transferência  de Enzo Perez.

E se o Syriza perder?

Esta é a pergunta que ninguém à esquerda quer colocar mas, enterrar a cabeça na areia  como a avestruz, fingindo que essa é uma hipótese inverosímil, não ajuda nada. Além disso, a resposta a esta pergunta é bem mais fácil do que  na hipótese de o Syriza ganhar.
Na verdade, se depois de estar à beira de conquistar uma vitória histórica, a esquerda grega perder as eleições de 25 de Janeiro, a resposta para o fracasso é simples: não conseguiu convencer os eleitores da viabilidade das suas propostas, tendo permitido que a chantagem e o medo  agitados pela Nova Democracia concitassem muitos votos. 
Se depois de tudo o que se passou na Grécia, a direita conseguir formar governo, isso significa que o medo venceu a Democracia. O que não é uma boa notícia para a esquerda, mas fará abrir garafas de champagne não só em Berlim e em Bruxelas, mas também nas sedes da Front National, do UKIP e de todos os partidos de extrema direita que vão cativando cada vez mais seguidores um pouco por toda a Europa. Eles sabem que uma democracia assente no medo, mais cedo ou mais tarde redunda numa ditadura. 

E se o Syriza ganhar?

Uma vitória do Syriza  com maioria absoluta, nas eleições de 25 de Janeiro na Grécia ( ou, no mínimo, a possibilidade de formar um governo estável) seria extremamente vantajosa para clarificar muitas questões que se colocam em torno do futuro europeu e, muito particularmente, para Portugal e Espanha que terão eleições legislativas em 2015.
Um governo do Syriza permitiria saber se os programas da extrema esquerda são viáveis neste modelo europeu. No caso de os primeiros meses correrem bem, Atenas conseguir inverter o desvario austeritário de Merkel e seus pares, impondo uma renegociação/ reestruturação da dívida, a discussão da sustentabilidade das dívidas soberanas, o alívio das medidas de austeridade (mais equitativas e racionais) e, principalmente, um investimento centrado em políticas de crescimento, os eleitores portugueses serão tentados a votar mais à esquerda e António Costa, vencendo as eleições, terá mais argumentos para impor uma coligação à esquerda.
Se o Syriza falhar -seja por força de um recuo nas suas linhas programáticas,aliás já visível, seja porque Merkel e Bruxelas se mostrem inflexíveis para fazer cedências - concluir-se-á, então, que os programas de esquerda são inviáveis no panorama europeu actual. Isso significaria o fim da extrema-esquerda europeia? Nem por isso. Mas seria um forte abalo...
Não tenho quaisquer dúvidas que Merkel tentará fazer vergar um governo do Syriza mas, se  chegar ao limite, isolando a Grécia e deixando-a cair, a Europa irá pagar um preço muito elevado e colocará em risco o seu futuro.
O ano de 2015 poderá ser de clarificação, mas também o fim da esperança sobre o futuro da Europa. Janeiro  será um mês de grande importância, pois o que se passar na Grécia não deixará de ter implicações ao longo do ano em toda a Europa. 

A Entrevista

Como era de esperar o filme "Uma Entrevista de Loucos" é considerado, por quem já o viu, uma grande merda. Não fora o  acto de sabotagem à Sony, de que é alegadamente responsável o líder norte coreano, o filme passaria sem grande destaque pelas salas de cinema. A própria Sony terá percebido isso e este alegado ataque veio mesmo a calhar para promover o filme e .
Posto isto, quero dizer que acho tão plausível que o ataque seja da responsabilidade de Kim Jong Un, como alguém dizer que em tempos eu fui para a cama com a Marilu. 
Um apontamento final: pelo que tenho lido, o filme ridiculariza de forma demasiado aviltante o líder de um país. Independentemente de Kim Jong Un ser um ditador execrável, pergunto como reagiriam os líderes ocidentais se um cineasta russo ou chinês,  por exemplo, fizesse um filme em que enxovalhasse Juncker, Merkel ou Obama? 
Pergunta ainda mais difícil: se o filme até fosse bom e pusesse o dedo na ferida, ridicularizando lados obscuros  da personalidade desse líder a sua exibição seria permitida ou, alegando a necessidade de respeitar a dignidade do visado, seria simplesmente catalogado como um insulto, justificando assim a sua proibição?

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Submarinos ao fundo? Não! Ainda flutuam...

O ministério público não conseguiu provar como se fez a corrupção no caso dos submarinos, por isso arquivou o processo. Dias depois do arquivamento, um dos corruptores alemães veio explicar, direitinho, como é que os membros do governo recebem o seu quinhão nestes negócios de guerra. Afinal era tão fácil, senhores do MP! Bastava seguir o rasto do guito…

A prova dos nove

À terceira tentativa, o parlamento grego voltou a rejeitar a eleição de Stavros Dimas para presidente.  Samaras arriscou mas perdeu e a Grécia vai a eleições no dia 25 de Janeiro. Se os gregos confirmarem nas urnas as intenções manifestadas nas sondagens, o Syriza vencerá as eleições e será convidado a formar governo.
O Syriza não terá maioria absoluta e, a  partir daqui, é um mundo de interrogações:
1- Conseguirá o Syriza encontrar um parceiro para formar governo?
2- Terá força para impor o seu programa, ou será obrigado a fazer tantas cedências para formar governo que  o descaracterizará?
3- Se o Syriza não conseguir formar governo, que tipo de aliança irá governar a Grécia? Sujeitarr-se-á a outro governo nomeado pela senhora Merkel?
4- Se o Syriza conseguir formar governo e aplicar algumas das suas medidas mais emblemáticas, como irá reagir a União Europeia? E os mercados? 
5- Se não houver nenhuma possibilidade de formar governo em 25 de Janeiro haverá novas eleições que poderão reforçar o Syriza, ou dar uma nova oportunidade à Nova Democracia?
6- Como resistirá a economia grega a um período prolongado sem governo?
7- O fundamentalismo neo liberal de Bruxelas arriscará deixar cair a Grécia?
8- Se isso acontecer poderá haver um efeito dominó na Europa, afectando países como Portugal, Espanha e até Itália e França?
9- Se o Syriza conseguir formar governo e tiver sucesso nos primeiros meses, isso terá implicações nas eleições do Outono em Portugal e Espanha?
Muitas outras questões se colocam para além destas, obviamente, mas por agora optei por esta nove que me parecem  pertinentes. 
Entretanto, o FMI já começou com ameaças aos gregos, remetendo-lhes um MMS com uma nova versão da canção dos Trabalhadores do Comércio: Ou têm juizinho, ou lebam no fucinho 

É p´ró menino e pr'á menina!


Em setembro, no dia de aniversário da mulher, manifestou-se de forma exuberante contra as câmaras de vigilância nas ruas, por serem uma intromissão na privacidade das pessoas. 
Ontem, o filho de 12 anos  estava eufórico com a prenda de Natal que recebeu dos pais: o Nanocoptero Spy Cam.
Para quem não saiba, trata-se de um drone para crianças  que faz videos e tira fotografias, permitindo a qualquer criancinha filmar tudo o que se passa na vizinhança, sem sair do seu quarto.
Reclamei a coerência do pai,  lembrei a inocência dos tempos em que os meninos recebiam carrinhos e bolas de futebol e as meninas bonecas e máquinas de costura e estive quase a jurar que tomaria esta atitude se o visse a espiolhar a vida dos outros mas contive-me, para não perder um amigo.

Da inutilidade da justiça

Em Dezembro de 2011 realizaram-se eleições para a Ordem dos Enfermeiros. A candidata de uma das listas impugnou-as de imediato. Acusou o vencedor de chapelada eleitoral,  invocando um vasto rol de ilegalidades.
Três anos depois  o Tribunal Administrativo do círculo de Lisboa deu como provadas as ilegalidades e considerou nulas as eleições realizadas em 2011. Condenou ainda a Ordem a pagar uma coima de 30 mil euros.
O actual titular do cargo já anunciou que irá recorrer  da decisão para o Supremo Tribunal Administrativo. Quer isto dizer que, quando o caso estiver resolvido - e se o STA confirmar a decisão- já o actual presidente terá sido substituído no cargo por via de novas eleições, pelo que a decisão não terá qualquer efeito prático. A não ser, obviamente, aliviar os cofres da Ordem dos Enfermeiros em 30 mi euros.

domingo, 28 de dezembro de 2014

Tento na língua, puto!



O clube dos viscondes anda em reboliço, desde que um plebeu ascendeu à presidência. Bruno Carvalho é talentoso e tem pinta de ministro. 
Aquele ar de feirante da Feira do Relógio, o apoio a um trafulha como Mário Figueiredo para presidir à Liga e, principalmente, os repetidos processos disciplinares levantados a atletas, na tentativa de arranjar um pretexto para os despedir sem ter de lhes pagar as indemnizações a que têm direito, são características que o qualificam como ministeriável. 
É certo que a tentativa de despedir Marco Silva, numa altura em que o Sporting é a única equipa portuguesa a lutar em quatro frentes não lhe saiu a preceito, porque os sócios do clube  reagiram negativamente a essa possibilidade.
Bruno, porém, não desiste e pediu a ajuda de José Eduardo, um viscoso lambedor de botas que, no dia seguinte a defender a continuidade de Marco Silva como treinador, escreveu um abjecto artigo no jornal "A Bola" que define bem a sua sabujice. Será um forte candidato a secretário de estado do ministeriável Bruno. Para já, de um processo crime não se livra, o que em certa medida enriquece o seu curriculo.
Embora uma grande parte dos sócios e simpatizantes leoninos tenha manifestado  na comunicação social a sua discordância com Bruno de Carvalho e condene a sua excessiva verborreia, há quem goste. Como é o caso de Carlos Mané, um jovem formado em Alcochete, que disse com profunda convicção estar disposto a dar a vida pelo seu presidente.
Ninguém de bom senso estaria disposto a dar a vida por um presidente, seja ele qual for, mas Mané é jogador de futebol. Um puto certamente bem intencionado, a quem ninguém disse que só se deve dar a vida por algum familiar próximo.Nunca pelo patrão.
Ajudem o Carlos Mané a perceber isso, antes que o puto se perca e acabe a assinar pelo Benfica.

Leituras de domingo

Todos perdemos- António Guterres

A hora para Paulo Portas sair de cena- Manuel Carvalho

Os pecados de um governo- José Mendes
Goldman saque-se- Pedro Santos Guerreiro

Le premier bonheur du jour


Neste último domingo de 2014 deixo-vos com um flashmob de prodígios.
Tenham um domingo prodigioso.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Hoje é 1 de Abril?

Quando acordei, pensava que o Natal tinha sido ontem, mas afinal devo ter hibernado durante uns meses e já estamos no Dia das Mentiras. Depois de ouvir  ( em replay)um tipo qualquer que ontem decidiu disfarçar-se de primeiro ministro a debitar uma série de mentirolas sobre o futuro risonho que nos espera em 2015, leio esta alarvidade:
Trabalhadores portugueses  têm poder a mais e prejudicam empresas

Quando os lobos se vestem de cordeiros, quem se lixa é o mexilhão

As posições extremaram-se, o governo decidiu avançar para a requisição civil  (considerada ilegal, inclusivamente pelo Tribunal Arbitral), os sindicatos pareciam ter a situação controlada mas à última hora, depois de umas conversa com o governo, nove dos 12 sindicatos cancelaram a greve  em troca de uma mão cheia de nada.
Parece que terá sido a decisão do sindicato dos pilotos a contagiar oito sindicatos. Como previra, os sindicatos ficaram mal na fotografia e ajudaram o governo a dar mais uma machadada no sindicalismo.Um excelente presente  de Natal (para o governo) como fez questão de salientar Pires de Lima.
Confirmou-se o efeito boomerang.
Como já aqui escrevi há alguns anos, as greves promovidas pelos privilegiados, acabam sempre em prejuízo para os trabalhadores

Como um dia de domingo



Eu a pensar que hoje era dia de trabalho e afinal - a avaliar pelo trânsito  - deve ser outra vez domingo. Vou aproveitar para dar uma passeata pelo paredão, comprar o jornal em Cascais e regressar a S. Pedro para tomar café.  Com jeitinho ainda dou um mergulho!

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

O Galo



Um  velho fazendeiro  vai ao cinema e o bilheteiro pergunta:

- O que é isso no seu ombro?

- É meu galo de estimação, raça legorn.

- Lamento, senhor, mas não permitimos animais no cinema.

O fazendeiro aparentemente concorda… Vai ao toalete e enfia o bicho na calça .
Volta, compra o ingresso, entra e senta-se ao lado de duas idosas.

Quando o filme começa, o fazendeiro abre a braguilha  para o galo respirar e o bicho deita o pescoço pra fora, todo feliz.

Uma das idosas cochicha para a outra:

- Acho que o cara ao meu lado é um tarado.

- Por quê? - indagou a outra.

- É que o cara botou o negócio pra fora!

- Ah, não te preocupa, na nossa idade nós já vimos de tudo.

- Eu também pensava a mesma coisa, mas o negócio tá comendo as minhas pipocas!

( Cortesia do HenriquAmigo)

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

A (very) short Christmas Tale

Avô! Contas-me uma história antes de adormecer?
Deixa-me cá pensar... Ah, já sei!
- Era uma vez um ladrão muito mentiroso que...

- Ó avô! Não venhas outra vez com a história do coelho que se disfarçava de Pai Natal para enganar o povo da Tugalândia e tinha como maior amigo e protector uma alcagoita que residia num palácio pago pelo povo escravo.  Essa eu já sei de cor. Daqui a bocadinho vem aí o Pai Natal, quero que me contes uma história alegre com um final feliz, para eu o receber com o maior sorriso do Mundo

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Feliz Natal







Terminados os almoços e jantares pré-natalícios em que esta época é fértil, chegou a hora de aqui deixar  a  todos os vizinhos, leitores e passantes, os votos de Festas Felizes e um excelente 2015. 
Cuidado com o colesterol e que o Pai Natal vos deixe os sapatinhos bem recheados de saúde, amor e... algumas prendas, porque essa desculpa da crise não cola, o homem vem de um país rico!
Agradeço a todos que me visitaram ao longo do ano e incentivaram com os seus comentários. 
A todos um Bom Natal.

O interesse público segundo a cambada

O abominável papa hóstias da Vespa despediu 700 funcionários da segurança social, alegando que pretendia requalificá-los.
É sabido que apenas 10% dos funcionários públicos enviados por  este governo para a requalificação, com a mesma ligeireza com que Hitler mandava judeus para as câmaras de gás , frequentou programas de requalificação.
Sabendo que a requalificação é apenas um pretexto para despedimento, os trabalhadores apresentaram uma providência cautelar.O tribunal aceitou.
O energúmeno Pedro Mota Soares, democrata cristão da lambreta e canalha por convicção recorreu, alegando interesse público. Ou seja, o interesse público do governo é despedir funcionários públicos. E, segundo consta, substituí-los por trabalhadores a recibo verde. 
Esta canalha democrata cristã que diariamente despreza os seres humanos, para favorecer os Jacinto Leite Capelo Rego que lhes alimentam os vícios, alivia-se das suas canalhices na Igreja aos domingos. Com a bênção de uma alcagoita estacionada em Belém. 

Deixa lá, Lima! Dizem que só doi a primeira vez...

Ao decretar os serviços mínimos para o período de greve da TAP e considerar a requisição civil despropositada, o Tribunal arbitral mandou Pires de Lima e restantes membros do governo, enfiar a requisição civil no terminal do intestino grosso

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Espírito (pouco) natalício.

Quero lá saber que os tugas sejam muito generosos e solidários, sempre dispostos a contribuir em peditórios que enchem os bolsos dos merceeiros do Continente e do Pingo Doce.
Quero lá saber que os tugas adorem aliviar a consciência, brincando à caridadezinha. 
Qual é a importância desse gesto se depois reagem violentamente contra aqueles que fazem greves para defender o seu ganha pão ( e às vezes os interesses  do país) e não terem de viver do subsídio de desemprego ( quando há...) nem da caridade dos outros?

A Política do Natal




1. A conversa de taxista sobre política e políticos generalizou-se. Faz deles os responsáveis por todos os males. Está decretado que são e serão todos iguais.
Pela ausência de pensamento crítico, esta atitude é preguiçosa e perigosa. Certeiro é o aforismo: as mãos mais puras são as de quem as não tem. Não querer nada com a política é esquecer que ela, desde que nascemos até ao cemitério, nunca nos larga.
Descobri há 60 anos, com algum espanto, a apologia da política, precisamente ao começar o estudo da obra filosófica de S. Tomás de Aquino. No proémio do seu comentário à Política de Aristóteles observa: se a ciência mais importante é aquela que estuda o que há de mais nobre e mais perfeito, é necessário que seja a política a principal das ciências práticas e a matriz arquitectónica de todas as outras.
S. Tomás distinguia a política da religião, mas não a separava da ética, da “vida boa”, fruto da virtude e que exige instituições justas. Ele coordenava a ética e a política mediante a noção de justiça geral orientada para o bem comum, de todos e cada um. Ela exige a virtude da prudência no governante - virtude do recto agir nas decisões concretas – a qual também não dispensa nenhum cidadão.
Tudo isto exige mais do que os princípios comuns da chamada “lei da natureza”, pois eles não podem ser aplicados do mesmo modo a todos, devido à grande variedade das realidades humanas. A diversidade da lei positiva é exigida pela diversidade dos povos[1].
 Em geral, com um misto de medo e desprezo, os cristãos - de modo especial os católicos - inclinam-se para a passividade política.
O Papa Francisco, no seu programa pastoral, ”A Alegria do Evangelho” (n. 205), assume uma posição completamente diferente. Depois de avisar que não podemos confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado, pede a Deus “que cresça o número de políticos capazes de entrar num autêntico diálogo, que vise efectivamente sanar as raízes profundas e não a aparência dos males do nosso mundo. A política, tão denegrida, é uma sublime vocação, é uma das formas mais preciosas da caridade, porque busca o bem comum. Temos de nos convencer que a caridade é o princípio, não só das micro-relações estabelecidas entre amigos, na família, no pequeno grupo, mas também das macro-relações, como relacionamentos sociais, económicos, políticos”.
Depois desta referência teológica, aponta, na mesma passagem, indicações para uma espiritualidade da militância política.      
2. A fraqueza, a insignificância, a esterilidade actual da Europa resulta, em parte, de ter esquecido o sobressalto da sua alma, antiga e moderna, depois da vergonha de duas guerras loucas.         
Desaparecidas as grandes figuras inspiradoras do projecto europeu, entramos numa época de vazio, de imaginações adormecidas. Não se trata de propor qualquer “partido católico”, mas de perguntar, como Bergoglio fez perante os membros do Conselho da Europa: “Onde está o teu vigor? Onde está aquela tensão ideal que animou e fez grande a tua história? Onde está o teu espírito de curiosidade e empreendimento? Onde está a tua sede de verdade, que comunicaste, com paixão, até agora?”
É da resposta a estas perguntas, segundo o Papa, que dependerá o futuro do continente.
Para renovar a sua fisionomia é preciso retomar a nossa história política e espiritual, curada das suas patologias, em diálogo activo com todos os povos e culturas, presentes entre nós e atirados para a clamorosa injustiça dos “guetos”.
Hoje, a promoção dos direitos humanos ocupa um papel central no empenho da União Europeia. Visa promover a dignidade da pessoa, tanto no âmbito interno como nas relações com os outros países. Trata-se de um compromisso importante e admirável, porque persistem ainda muitas situações onde os seres humanos são tratados como objectos, dos quais se pode programar a concepção, a configuração e a utilidade, podendo depois ser dispensados, quando já não servem por se terem tornado frágeis, doentes ou velhos[2].
3. Durante muito tempo, as questões mais fracturantes da moral familiar foram silenciadas. Depois da Humanae Vitae, reduziam-se às questões dos anti-conceptivos. Antes, durante e depois da III Assembleia do Sínodo dos Bispos[3], os desafios pastorais exigiram o fim dos tabus, mas inflacionaram tanto o discurso que já não se aguenta. O Papa, na mensagem aos participantes no Festival da Família (05.12.2014), optou por mudar de registo. É a própria família que se deve tornar, no plano social, cultural e político, protagonista dos seus interesses que são os do futuro da humanidade.
A família, tendo como centro o bem de cada uma das pessoas, não é um apêndice da política, nem apenas o seu objecto. As famílias têm de se tornar protagonistas das políticas desejáveis para todos.
Não temos de resolver os problemas da Sagrada Família, de há dois mil anos. Mas hoje, que desafios representa o Natal para a família humana?

A POLÍTICA DO NATAL
Frei Bento Domingues, O.P
( Público 14/12/ 2014

A justiça é como o Camões

Costuma dizer-se que a justiça é cega, mas não é verdade. A justiça- pelo menos em Portugal- é como o Camões. Só vê de um olho.

domingo, 21 de dezembro de 2014

E se Jesus tivesse nascido em Portugal, como seria?


Que grande galo!




Joana Vasconcelos foi convidada a apresentar uma peça  que marque as comemorações dos 450 anos da fundação do Rio de Janeiro.
A artista teve uma das suas ideias auspiciosas e construiu um galo de Barcelos com sete metros de altura, revestido a azulejos e com muitas luzinhas LED para ser visto durante a noite. Baptizou-o de Pop Galo.
 Começará a cantar A obra será inaugurada no dia 10 de Junho e ficará em exposição na Praia do Leme, em Copacabana. 

Le premier bonheur du jour


Esta semana deixo-vos aqui momentos fantásticos e  faço votos que  este último domingo antes do Natal seja  ainda mais fantástico.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Bibó Porto (30)


Concluídas as obras de reabilitação já pode visitar a Igreja dos Clérigos


E a Torre com o mesmo nome, ou as duas...


Antes ou depois da visita sugiro-lhe uma volta pela movida da zona, actualmente a mais frequentada por portuenses, galegos e turistas de todo o mundo. Um must indispensável para quem visite o Porto.

Esperem pela volta...

Não  tenho qualquer simpatia por Putin, mas estou bastante preocupado com a crise que ameaça fazer colapsar a economia russa. Não só pelo perigo que  pode constituir para o mundo ocidental, mas também pelos estilhaços que poderá provocar na nossa débil economia.
 Putin é uma espécie de Ricardo Salgado e não vai cair sozinho, sem oferecer resistência e armadilhar o caminho.
O efeito boomerang das sanções aplicadas pela Europa e EUA a Moscovo, pode causar graves danos na economia europeia ( e mundial) nos próximos tempos.

Não digam que não avisei (5)

Quando chegar o dia em que os reclusos em prisão preventiva tenham de fazer um requerimento ao juiz para fazer xixi e assinar um compromisso de honra em que garantam que as sua abluções não prejudicarão o inquérito. 

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Mensagem de Natal do casal Silva: descubra as diferenças

Em 2010 o casal da Rua do Possolo fez esta mensagem de Natal em ritmo RAP




Agora a versão 2014. Desta vez, o casal Silva optou pelo teatro de marionetas. Prestem bem atenção aos movimentos estilo bonecos articulados do casal

Passos Coelho tem razão...

Na verdade não foi o mexilhão que se lixou. Esse já está lixado há muito tempo e não pode aspirar a ser berbigão.
O brilharete de Passos Coelho foi conseguir, com a sua política austeritária cega, a despromoção do berbigão e de muita ameijoa mediana à categoria de mexilhão, aumentando o número de exemplares desse bivalve.
No fundo- há que reconhecê-lo- cumpriu a sua única promessa eleitoral: empobreceu os portugueses.

E o burro sou eu?

Gastaram-se milhões para pagar a bancos que contribuíram para o empobrecimento dos portugueses. Cortaram-se reformas e salários que  condenaram milhares à pobreza.
Agora, o governo vai gastar mais de 200 milhões para combater a pobreza e chama a isso investimento!


A justiça alemã puniu inocentes?

Se o processo dos submarinos foi arquivado, isso significa que os tipos condenados pela justiça alemã por corrupção, estão presos injustamente. 

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Vão meter-se numa alhada

O governo optou pela requisição civil na TAP. O argumento de que está em causa o interesse público é, no mínimo, risível. Então a TAP é de interesse público e o governo vai privatizá-la?
A decisão já era arriscada mas o governo decidiu apostar ainda mais forte, abrangendo 70% dos trabalhadores.
Se a ideia vingasse, significaria que se teria acabado o direito à greve. Não vingará e o governo vai sair mal desta situação. Mesmo que muitos aviões levantem voo... será a TAP a mais prejudicada.

Para a próxima é melhor mandar um postal...

O advogado de Sócrates enviou um e-mail para o DCIAP às 15h09m do dia 21 de Novembro, informando o MP que o ex- pm queria ser ouvido.  Falou com o director do DCIAP comunicando-lhe essa intenção. Álvaro Guerra enviou um SMS ao procurador Rosário Teixeira, informando-o sobre a pretensão de Sócrates. O e-mail só chegou ao destino no dia 25.
Não me interessa saber quais foram as intenções de Sócrates ao pedir para ser ouvido. Só ele e o seu advogado saberão. Importante é realçar que os problemas da Justiça com as novas tecnologias parecem insanáveis. Depois do colapso do CITIUS,  os computadores ficaram lerdos?

Christmas Carol

A reaproximação dos EUA a Cuba cheira-me a Christmas Carol.  Só será uma boa notícia no dia em que terminar o embargo, sem imposições do Tio Sam. Até lá, o povo cubano continuará a ser  vítima da prepotência americana.
Palpita-me que Obama estava  com inveja de Merkel por ela ter  encontrado em Portugal   uma colónia de férias para os alemães e quer oferecer uma aos americanos como presente de Natal. 
Terminado o embargo a Cuba, a ilha ficará irreconhecível. Hordas de turistas e investidores encarregar-se-ão de a transformar, de acordo com os ditames do turismo de massas ao gosto dos americanos. 
Entretanto, muitas empresas americanas esfregam as mãos. Obama ofereceu-lhes um novo mercado, para escoarem os seus produtos.

E por falar em greves...

Ontem houve greve do Metro. Hoje, greve da REFER. Dia 22 nova greve do Metro. Dias 24, 25, 31 e 1 de Janeiro, greves de várias empresas de transportes suburbanos ( camionetas). Dias 27 a 30 greve da TAP. Anuncia-se uma greve da CP
Os transportes estão em rebelião. Os trabalhadores querem actualização de salários, reclamam  contra a perda de direitos e criticam a privatização acéfala dos transportes. Basta ver como está a ser contestada pelos autarcas ( incluindo os do PSD) a concessão dos STCP, para se perceber que a razão está do lado dos trabalhadores.
A forma atabalhoada  como procedeu na subconcessão do Metro do Porto, atrasando o concurso um ano e vendo-se obrigado a pedir à empresa ViaPorto o prolongamento da concessão até Março é revelador da incompetência e irresponsabilidade. Incompetência por não ter concluído o concurso a tempo, irresponsabilidade porque o contrato de manutenção do material circulante com a Bombardier e a EMEF termina a 31 de dezembro e as propostas para novo concurso terminam precisamente nesse dia. Ou seja: de que serve prolongar o contrato de concessão da empresa que explora os metros, se a manutenção dos equipamentos não está garantida?  
A rejeição da proposta dos municípios de Lisboa para que a gestão dos transportes urbanos seja assegurada  pela Câmara, é bem reveladora dos propósitos do governo. Apesar de ser mais  vantajosa do que as apresentadas pelos privados e a única  que garante a articulação entre os  serviços de transportes urbanos, o governo prefere as propostas dos privados.
Muita gente critica as greves dos transporte, talvez por não ter percebido esta fúria privatizadora dos transportes protagonizada pelo governo, que inviabiliza propostas mais favoráveis aos utentes e à eficácia dos transportes urbanos de Lisboa e Porto.
No dia em que os preços do passes dispararem, vão protestar e culpar o governo por não defender os utentes.Tarde demais. Lamento...  

Complete a seguinte frase...

Se o poder inebria e o poder político corrompe, o poder judicial......
Depois de o todo poderoso juiz Carlos Alexandre ter proibido Sócrates de dar uma entrevista ao Expresso e uma juiza ter sentido a necessidade de escrever um artigo no  Expresso, sob anonimato, torna-se mais fácil encontrar a resposta.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Se Portas tivesse um pingo de dignidade...

... depois de  ouvir Passos Coelho dizer  que não precisava  do CDS para ganhar as eleições, mandava-o coligar-se com a sogra e concorria sozinho. Mesmo que o CDS passasse a ser o partido da lambreta, pelo menos mostrava alguma dignidade. 
O problema é que Portas não tem dignidade, nem vergonha!

Notícias sobre o mexilhão


Escolas abrem cantinas a pais que passam fome
Se o urso pm  pensa que são casos isolados, recomendo-lhe faça o percurso entre a Trindade e a Av dos Aliados no Porto, ou passe pelo Saldanha e Almirante Reis em Lisboa, para ver as filas de pessoas que estão à espera dos voluntários que lhes vão dar comida. 
E se não se quiser dar ao trabalho de perguntar aos voluntários se aumentou muito nos últimos anos o número de pessoas apoiadas pelas instituições, peça à sua assessora Eva Cabral para lhe mostrar fotos de 2010 e compare com as actuais, para descobrir a difderença.

Ai é tão bom!

Na segunda feira o preço da gasolina baixou mais quatro cêntimos, consequência da descida continuada do preço do petróleo. Alguns distribuiudores admitem que , ainda esta semana, haja nova descida de preços.
Os consumidores andam satisfeitos, porque já não se lembram de os combustíveis estarem a preços tão baixos.
Um dia destes vão descobrir o reverso da medalha mas, para não estragar tanta felicidade em época natalícia, não escreverei por agora sobre isso.
Limito-me a sugerir que gozem esta baixa de preços até ao final do mês. A partir de 1 de Janeiro o governo - que detesta ver os portugueses felizes- roubar-lhes-á o sorriso com a introdução da Fiscalidade Verde  que irá fazer reverter para os cofres do Estado, boa parte do dinheiro que deveria ir directamente para o bolso dos portugueses. 
Dizem eles que é em nome do ambiente mas, depois de ouvir as declarações de Pedro Queiroz Pereira (PQP) na comissão de inquérito comecei a acreditar que fazem tudo em nome destas três letrinhas, com que também se escreve a palavra mãe.



Explica-me lá isto, ó Maduro!

Se a transmissão dos jogos da Liga dos Campeões é um negócio ruinoso, por que razão a TVI queria ficar com os direitos? 

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Não digam que não avisei (4)

Quando chegar o dia em que os juízes apliquem as penas de acordo com o "sentimento popular". O qual, obviamente, será condicionado por fugas de informação para imprensa selecionada, que ilibará ou condenará o réu na praça pública, de acordo com as convições transmitidas pelos juízes.

Xurdamos, irmãos!

Banco, basqueiro, cibervadiagem, corrupção, ébola, gamificação, jihadismo, legionela, selfie e xurdir  são as 10 palavras candidatas a palavra do ano 2014, na votação promovida pela Porto Editora.
Sócrates vai ter que xurdir para dar a volta ao texto, mas não foi por isso que votei em “Xurdir". Foi  por estas cinco razões.

Coitado do professor Marcelo!

Mas, com sorte, ainda pode ir brincar aos pobrezinhos para a Comporta...
Entretanto, Passos aproveitou a desdita de Marcelo para provar que tinha razão quando disse que não foi o mexilhão a lixar-se com a crise...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Peru pouco auspicioso


Foto JN/ Enrique Castro Mendivil/ Reuters


É verdade  que na cimeira do clima realizada no Peru se alcançaram consensos. Mas do consenso à tomada de medidas vitais para refrear o aquecimento global, vai uma enorme distância.  O que aconteceu foi, apenas, adiar por mais um ano decisões concretas, nomeadamente no corte de emissões de CO 2, ou na aprovação de um documento que substitua o Protocolo de Quioto.
Apenas se conseguiu  um rol de intenções que se arrasta há mais de duas décadas e, invariavelmente, redundam em fracasso.
Mal, também, andou a Greenpeace. Os seus protestos foram longe demais, provocando danos irreparáveis numa região que é Património Cultural da Humanidade. 
Pedir desculpas - ainda por cima de forma mais ou menos leviana - não os exime às responsabilidades por um atentado que deveria ter sido evitado e não se pode repetir, sob pena de apenas contribuir para o crescente descrédito da organização.

O aborto

Os ataques a Miguel Poiares Maduro vieram do seio da própria maioria. Marques Mendes e Morais Sarmento  dizem que o CGI está morto e enterrado e a solução de Maduro é um aborto.
Só que, neste caso, não se trata de aborto espontâneo. Os responsáveis são um ministro feito à pressa e o seu adjunto Lomba, que ainda não conseguiram, desde o início do seu mandato, tomar uma medida consensual. Lembram-se do desastre dos briefings, apontados como exemplo de inovação e transparência, que desapareceram mergulhados em contestação externa e no próprio seio do governo?  

O ópio do povo

No culminar de uma semana em que o futebol exaltou muito fervor clubístico e ocupou o centro das discussões, sobrepondo-se ao debate político,  pareceu-me oportuno recuperar este cartoon de  Rodrigo de Matos, publicado há tempos no Expresso.
Vencedor do Press Cartoon Europe, retrata a forma como o apuramento de Portugal para o Mundial de futebol do Brasil distraiu as pessoas da grave situação económica e social que o país atravessa(va).
Agora que o Benfica já pode encomendar as faixas de campeão, é tempo de as pessoas se concentrarem no que é realmente importante para o país.

domingo, 14 de dezembro de 2014

António Costa contra os 40 ladrões

Ontem, foi um dia em grande para António Costa. Teve a coragem de dar uma entrevista ao Pasquim da Manha TV e demonstrou, com números, factos e não balelas que a privatização da TAP é mais um roubo que este governo vai fazer aos portugueses.
Desmontou, de forma assertiva e irrefutável, que a privatização da TAP, tal como está a ser programada pelo grupo de bandidos que  nos governam, não estava contemplada no Memorandum com a troika, e que o governo ultrapassou largamente as verbas previstas com as privatizações, pelo que a venda da TAP a um grupo de amigos não passa de mais uma infame  negociata de Passos Coelho,  Paulo Portas  e Pires de Lima. Chapeau!

Um retrato do triste estado do País

Desde ontem, a maioria dos boletins informativos abre com notícias sobre o FC do Porto- Benfica que se realiza daqui a algumas horas. É um triste retrato da indigência a que chegou este país. Como se o nosso futuro dependesse do resultado de um jogo de futebol!

Le premier bonheur du jour


As pessoas já entraram em modo Natal. É irrefutável e eu rendo-me a essa evidência.
Assim, hoje desejo-vos um belo domingo com o Natal no horizonte.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Porque é que o Espírito Santo não está preso?

Porque se o juíz o  prendesse antes do Natal, não  havia Menino Jesus para distribuir as prendas.

Bibó Porto (29) : Uma torre que não é dos Clérigos

Esta Torre Medieval foi descoberta em 1940, perto do Largo da Sé...


... e depois reconstruída


 A sua localização não é, porém, a original...


Se quiserem saber o nome desta torre e vê-la melhor de outros ângulos, visitem a Elisa, que generosamente me ofereceu  estas magníficas fotos.
Mesmo que não queiram saber mais sobre a Torre, vão lá à mesma e deliciem-se com as maravilhosas fotos que ela nos oferece no seu blog.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

SMS ao Pai Natal

Querido Pai Natal
Obrigado pela gasolina low cost, mas o que eu queria mesmo era um Presidente da República. De preferência, low cost. É que este, além de só ver de um olho e ter amigos suspeitos, fica-nos muito caro.
Agradecido

Hoje é dia dos Beija- cús (e do jornalismo acéfalo)

Os deputados da AR chumbaram hoje uma proposta de reconhecimento do Estado da Palestina, apresentada pelo PCP e BE.
A maioria e o PS votaram contra tendo, em alternativa, sido aprovada uma proposta apresentada em conjunto por PSD, CDS e PS que propõe que o reconhecimento do Estado da Palestina seja feito em articulação com Bruxelas.
A intervenção do deputado do PS Sérgio Sousa Pinto, no sentido de instar o governo a reconhecer o Estado da Palestina foi um esforço meritório mas, na prática, inconsequente.  O próprio governo, através de Rui Machete, atirou o assunto para as calendas gregas: 
" O governo procurará escolher o momento mais adequado para reconhecer o Estado da Palestina"- disse Rui Machete após a aprovação da recomendação.
Traduzindo: quando ( e se ) Bruxelas decidir reconhecer  o Estado da Palestina, Portugal abanará a cabeça em sinal de concordância. Até lá, fiquem com a satisfação de terem aprovado uma recomendação para a qual o governo se está cagando.
Eu sei que é tempo de a UE ter uma política externa comum, mas o argumento da necessidade de obter o agreement de Bruxelas caiu por terra, no dia em que a Suécia reconheceu o Estado da Palestina. França, Espanha e Inglaterra estão em vias de fazer o mesmo e outros se seguirão, marimbando-se para as decisões que Merkel pretende impor via Bruxelas.
Ficar à espera da luz verde de Berlim Bruxelas é, por isso, apenas um acto de vassalagem perante quem nos trata constantemente abaixo de cão.
Ainda mais descoroçoante do que a aprovação da recomendação, é ler a notícia do DN, instantes depois da votação: Parlamento reconhece Palestina e pressiona governo
Mas que raio de jornalistas são estes que estão no Parlamento? Como é possível noticiar uma coisa exactamente ao contrário do que aconteceu? Se isto acontece quando os jornalistas estão no local a assistir, imagino como será quando escrevem notícias que lhes são ditadas pelas "fontes" via telefone.
Isto pode não ter importância nenhuma, mas é bem revelador do jornalismo que se vai fazendo na  sucursal da S. Caetano à Lapa Av. da Liberdade ( e noutras filiais adjacentes).

Sindicalismo boomerang

Não pertenço ao grupo dos que  são a favor das greves, desde que não os afecte. Nem a essoutro grupo para quem as greves só são compreensíveis se não prejudicarem os interesses de terceiros. Isso não existe.
Esclareço, ainda, que a greve da TAP não me afecta,pois só viajarei a 4 de Janeiro e para um destino a que a TAP (infelizmente) não chega.
Finalmente, no caso de algum leiotr mais desatento ainda não ter reparado, considero a privatização da TAP um crime contra o País e defendo que tudo deve ser feito para a evitar. Incluindo a greve acordada entre todos os sindicatos e que visa,também, defender os interesses de todos os portugueses que não sejam néscios, nem tenham interesses ocultos na privatização da TAP.
Dito isto,devo dizer que considero a greve dos pilotos da TAP, marcada para os dias 27 a 30 de dezembro um acto de profunda irresponsabilidade ( para não dizer estupidez) que só favorece os interesses do governo.
Marcar uma greve para um período em que um grande número de emigrantes e imigrantes viajam para passar as festas com a família, significa angariar simpatias em defesa da privatização da empresa e fortalecer a posição do governo.
Se os sindicalistas não percebem isso, o melhor é demitirem-se das suas funções, porque com esta decisão estão a prejudicar milhares de portugueses e o país.
Coelho deve estar a rezar a todos os santinhos, para que a greve não seja desconvocada.

A alternativa do CDS

Por sugestão de Portas, o vereador do CDS na CML vai propor que  a chave da cidade, seja atribuída ao militante benemérito do CDS Jacinto Leite Capelo Rego.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Com papas e bolos...




Pedro Queiroz Pereira (PQP)  fez diversas declarações, na Comissão de Inquérito ao BES, que  podem ter tido efeitos muito popularuchos. mastresandaram a vingança, como  facilmente terá percebido quem assitiu à audição.
A determinada altura PQP  deu mesmo um tiro no pé,  ultrapassando os limites da razoabilidade. Ao divulgar que as oirmãs de Ricardo Salgado faziam bolos para restaurantes, sem que o DDT se preocupasse com isso, não terá produzido o desejado efeito na opinião pública. Em vez de denegrir Ricardo Salgado, denunciou-se. Não foi à CI para esclarecer a verdade, mas para se vingar de um homem que terá tentado traí-lo. 
Resumindo: uma zanga de comadres, que PQP pretendeu transformar num momento de vingança. 
Com papas e bolos se enganam os tolos mas o que PQP fez, foi tentar iludir a verdade, não tendo encontrado explicação mais razoável para o seu silêncio ( quando devia ter denunciado as irregularidades) do que "o medo de sofrer represálias da banca".

Nem sempre o que parece é...


A leitura da notícia desmente o título, chamariz de capa para leitores de primeiras páginas. O grave é que muita gente  se fica pela leitura do título e logo à noite em casa, ou amanhã à mesa do café, vai usar como arma de arremesso um título que não corresponde ao que se lê na notícia.
De qualquer modo, há uma pergunta que não posso deixar de colocar, já que a explicação dada pelo PCP não me convence: Por que razão o PCP  optou  pelo BES, em vez de contratar os serviços da CGD, que é o banco público?

.

O que nos separa do Brasil não é o Atlântico...

Estes só se diferenciam pela gravata


... é a mentalidade dos povos e o conhecimento da sua História.
O que nos separa do Brasil é a diferença entre a decência e a falta de vergonha.
Hoje, à hora do almoço, vi a presidente Dilma chorar quando recebia o relatório sobre a ditadura brasileira, de que ela foi uma das vítimas.
Por cá, temos um PR que além de ter declarado ( por escrito) que convivia bem com o Estado Novo, ainda teve o descaramento de conceder pensões a PIDES, enquanto as negava a Salgueiro Maia, um dos maiores símbolos da revolução de Abril, que nos devolveu a Liberdade.
No Brasil nenhum filho da puta tomaria esta atitude. Por cá, chegam a líderes de partidos do governo e cospem na mão de quem lhe deu de comer. Não fosse Mário Soares,  Paulo Portas, esse escroque abjecto, talvez estivesse neste momento a bater com os costados numa cela, ou com um tiro nos cornos. E não apenas por razões políticas...

Diz-me com quem andas...

Já sabíamos que  alguns dos maiores vigaristas deste país são amigos de Cavaco e foram por ele promovidos a membros do governo;
Já sabíamos que  pelo menos alguns desses amigos revelaram a sua gratidão, oferecendo a Cavaco umas acções, cujo valor disparou em tempo recorde;
Já sabíamos que Ricardo Salgado tinha financiado a campanha eleitoral de Cavaco em 2011;
Também já suspeitávamos, mas só agora se confirmou, que outros banqueiros- nomeadamente ligados ao grupo BES/GES - tinham  contribuído com generosos donativos para a campanha de Cavaco.
O que ainda não se sabia, é que José Guilherme- o homem que ofereceu uma prenda de 14 milhões de euros a Ricardo Slagado e está a ser investigado pela polícia- também foi generoso com Cavaco. Mas não só ele... também a mulher, o filho e outra familiar
Dirão alguns, perante as notícias sobre as  relações de amizade do PR, que vão sempre entrecruzar-se com  crimes financeiros, que Cavaco é como o algodão: não engana!
Dirá o povo na sua imensa sabedoria: diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és

O CR errou



Ontem escrevi  que Dilma e Cristina não tinham ido a Vera Cruz para não terem de  aturar a Maria, mas tenho de pedir desculpa aos leitores, porque lhes dei uma informação falsa.
Segundo fonte próxima da Casa Rosada, a ausência das presidentes da Argentina e do Brasil na cimeira ibero-americana teve outro motivo. Tiveram medo que Cavaco Silva, depois de ter falhado a tentativa de comer a mão de Letízia,  não falhasse na tentativa de comer as mãos delas.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Que inveja!

Terminou mais uma cimeira ibero-americana. No final, os representantes da maioria dos países despediram-se de Cavaco Silva com um suspiro de alívio: nunca mais vão ter de o aturar.
Dilma e Cristina nem sequer foram a Vera Cruz, para não terem de gramar as conversas da Maria.
Quanto a nós, pobres tugas,temos de continuar a pagar com o nosso trabalho as folias do casal Silva mais 15 meses! 

Animal Farm


Um alapardado coelho, co-proprietário da Quinta Tuga, avacalhou a Comissão de Inquérito ao BES, avisando os cãezinhos amestrados de que não deveriam contrariar as conclusões que ele próprio já tirara.
O mamute, nomeado feitor, foi o primeiro a entrar na Quinta para prometer velar pelo cumprimento das regras mas, de imediato, foi acusado pela cabrinha com cio, de ter relaxado na aplicação das regras e concedido umas baldas a um abutre. Os animais domésticos - e os outros -assistiam com enfado ao cortejo de ratazanas que iam desfilando  pela quinta, contando versões contraditórias dos acontecimentos e culpabilizando o mamute por não ter evitado o desfalque.
Na véspera da chegada do abutre, a galinha louca e as ratazanas - por razões ainda não apuradas- desculpabilizaram o mamute, mas assim que o abutre entrou na quinta apontou o dedo em riste ao mamute, considerando-o o único culpado da catástrofe. 
Indignado, o mamute foi ao cofre e revelou as cartas de amor que tinha trocado com o abutre, esquecendo-se que dias antes justificara a sua não divulgação na Comissão de Inquérito da Quinta, invocando o segredo.
Veio depois um esquilo traquina, amigo do coelho, co-proprietário da Quinta. De dente afiado, trazia como missão perturbar a paz da Quinta, com o ruído característico dos serradores de madeira.  
Entretanto o outro co-proprietário da Quinta, um capão que acredita ser galo, anunciou aos papagaios que iria fazer uma conferência de imprensa para esclarecer a população da Quinta sobre as suas relações com o abutre.
Apesar de estar em viagem de recreio pelo México, o capão que se alimenta de alcagoitas na esperança de um dia vir a  ser galo, não quis deixar de invocar a sua inocência na defesa do abutre, financiador da sua campanha eleitoral para Presidente da Quinta.
O capão, como o mamute, também se recusou a revelar as palavras de amor que trocou com o abutre,por serem confidenciais. Todos esperam que alguém faça disparar o trava línguas do capão porque, apesar de entre animais não haver encornanços, este amor a três em que a figura central é o abutre tem, certamente, muitas cenas picantes.
Muitos dos animais da Quinta sentiram-se tratados como bestas.
Quem anda feliz são os papagaios.Todos os dias têm material aliciante para manchetes escabrosas nos jornais da Quinta.  Fosse devido à diferença horária, ou a outra causa ainda não descortinada, o capão foi mais ou menos ignorado nas primeiras páginas dos jornais, mas será certamente notícia nos próximos dias.
Entretanto, alguns animais fiéis aguardam com ansiedade a missa de domingo, para ouvirem a homilia em que a raposa dê a sua versão dos factos. Sendo perceptível que as homilias dominicais da raposa se tornaram sucessivas tentativas  de assalto ao galinheiro de Belém, fica-se na expectativa de saber se a raposa conseguirá ser suficientemente persuasiva para convencer o coelho,que já manifestou preferir a galinha Santana para guardar o galinheiro de Belém e,eventualmente,derrubar os roseirais que possam florir em S. Bento.
 Entretanto, durante os próximos meses prosseguirá o desfile  com um grupo de  ratos apostados em marcar território.
No final, as conclusões serão as que os animais domésticos quiserem.
E os burros? Continuam a aquecer as palhinhas do presépio?- perguntará algum leitor mais perspicaz.
Os burros? Esses somos nós que, apesar de conhecermos de gingeira o final da história,continuamos a permitir que os porcos tomem conta disto tudo.

Dead line

Dando cumprimento a uma decisão do Tribunal, o governo de Hong Kong comunicou aos manifestantes que devem abandonar Admiralty ( onde estão situados os principais edifícios governamentais) e Causeway Bay (pulmão comercial do Território) até quinta-feira.
Adivinham-se horas difíceis para os estudantes que há mais de dois meses ocupam os centros nevrálgicos de HK. 

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

A montra

Afastado o Benfica da Europa, Jorge Jesus optou por  substituir a quase totalidade dos jogadores da equipa principal, a pensar já no jogo do Dragão do próximo fim de semana.
Um benfiquista amigo mostrava o seu desconforto com a decisão do treinador encarnado.  Não só temia a humilhação de uma goleada que abalaria o prestígio da equipa da Luz, como lamentava a perda de 1 milhão de dólares.
Estava  enganado o meu amigo. Os jogadores de segunda linha puxaram dos galões e, apesar de a maioria ainda não ter um único minuto de jogo esta época, o Benfica fez - em minha opinião- a melhor exibição da época na Liga dos Campeões.
No final do jogo disse ao meu amigo que Jesus foi inteligente. Não só poupou jogadores para o jogo de domingo com o FC do Porto, como poderá ter contribuído para que em Janeiro, os cofres da Luz recebam um reforço muito substancial. É que, meus amigos, o estádio da Luz foi hoje uma montra de jogadores "escondidos" que terá deixado  muitos olheiros que se deslocaram à segunda circular, com água na boca. As transferências e empréstimos em Janeiro serão bem mais compensadoras do que o meio milhão de euros que o Benfica poderia ter embolsado hoje se vencesse. Com a vantagem suplementar de os jogadores que venham a ser emprestados poderem rodar noutras equipas, o que é bem melhor do que passarem o resto da época a jogar a Taça da Liga, ou no banco de suplentes.
Apesar de concordar comigo, o meu amigo benfiquista regressou a casa a lamentar-se pela má prestação da equipa na Liga dos Campeões. É que , ao contrário do que eu mesmo aqui escrevi logo após o sorteio, o  Benfica tinha todas as possibilidades de seguir em frente. O Bayer Leverkussen que hoje vi na Luz é uma equipa fraquinha e, perder os dois jogos com o Zenit, só se explica com o fantasma de Villas Boas, que atormenta Jesus desde os 5-0 sofridos no Dragão.

The Bodyguard

Poiares Maduro conseguiu os seus intentos. Despediu Alberto da Ponte, com quem entrara em rota de colisão desde que tomou posse. O processo de despedimento revela a cobardia de Poiares Maduro, mas também a hipocrisia -  característica comum aos membros deste goveno.
Escudando-se no chumbo  de um Conselho Geral Independente, que é um pau mandado do governo, Maduro comportou-se como um puto que foge às suas responsabilidades às responsabilidades, mas tentou "dar a volta ao texto" dizendo que se limitou a cumprir os estatutos.
Um ministro que não  assume os seus actos é um cobarde. Um ministro que  invoca a democracia para camuflar a cobardia é um canalha.
Nunca considerei Alberto da Ponte uma boa escolha para a RTP. Defendi, mesmo, que devia ter-se demitido quando o governo  alterou os estatutos da empresa e criou o CGI, cuja principal função é servir de guarda-costas às decisões do governo. O meu pouco apreço por Alberto da Ponte não me impede, porém, de colocar algumas  questões:
1-Ao comprar os direitos de transmissão da Liga dos Campeões, a RTP cumpriu, ou não, o seu dever de defender o interesse público? 
O próprio governo reconheceu que sim, ao incluir a Liga dos Campeões nos eventos de interesse público de âmbito desportivo.

2- A ERC (Entidade Reguladora) emitiu um parecer dando razão à administração da RTP, onde acusa o CGI de usurpar as suas funções. Qual a validade deste parecer para o governo?
Nenhum. A ERC só serve ao governo quando está de acordo com as suas regras e opiniões. Se lhe colocar  entraves, ignora-o e recorre ao Bodyguard CGI, simples mandante das orientações do governo  

3-O director da ERC deveria colocar o lugar à disposição?
Pelo menos deveria esclarecer a opinião pública, denunciando a ingerência do governo nas opções editorias da RTP, escudado em decisões e pareceres do CGI.

4- Por que razão o governo não destituiu a actual administração, quando nomeou o CGI?
Porque isso obrigaria o governo a pagar indemnizações.


5- A demissão de Alberto da Ponte foi apenas motivada pela embirração de Poiares Maduro?
Não. Faz parte de uma estratégia do governo para desmantelar e descredibilizar a empresa junto da opinião pública e, em simultâneo, conceder aos operadores privados, os negócios mais apetecíveis, em detrimento do interesse público. Alcançados esses objectivos, será mais fácil desmantelar a RTP e vendê-la a pataco a uns amigalhaços. Com a prestimosa colaboração do Bodyguard CGI, obviamente.