sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Diário das coisas inúteis ( ou talvez não...)


O governo começou hoje a publicar os preços de referência para os combustíveis.
A partir de hoje poderemos obter diariamente essa informação, no site da Entidade Nacional para o Mercado dos Combustíveis.
Resta saber se essa informação tem alguma utilidade para quem tem de abastecer o automóvel. 
Se tivermos em consideração os preços de referência  para gasóleo e gasolina, no período entre 1 e 10 de Novembro (informação disponibilizada pelo regulador a título exemplificativo)  constatamos que era de 1,12€ /litro para o gasóleo e 1,32€/  litro para a gasolina.
Ora, na realidade, em Lisboa esses preços foram, em média, 19 a 20 cêntimos superiores e, no resto do país, a diferença foi sempre superior a 14 cêntimos. 
Mas, se esta informação é irrelevante para os consumidores, será importante para o governo. Como é sabido, a ANAREC estima que a Fiscalidade Verde vá aumentar,em média, 6 a 8 cts o litro da gasolina. 
Verificando-se uma discrepância tão acentuada entre os preços de referência ( que incorporam os custos de importação, gastos com transporte, custos de armazenamento e impostos) e os preços de venda ao público, o governo poderá sempre argumentar que a Fiscalidade Verde não é responsável pelo agravamento do preço dos combustíveis e que a margem de lucro dos combustíveis é demasiado elevada ( o que já todos sabemos). Mas, claro, o goveno nada pode fazer, porque é o mercado a funcionar. 

1 comentário:

  1. Pelo que tenho lido, os preços de referência, atendendo à forma como são calculados, para o consumidor são de pouca ou nenhuma utilidade.

    ResponderEliminar