quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Depois da Legionella, há um novo vírus à solta




O vírus a que me refiro (ACTV-1)  foi descoberto recentemente por cientistas da Universidade de Nebraska. Embora não seja mortal, ataca a inteligência das pessoas.
Não são ainda conhecidos casos em Portugal, mas há suspeitas que tenha sido o responsável pela intervenção de Pires de Lima na AR. Pior ainda, pode ser contagioso. A avaliar pelas declarações de membros do governo e sociedades em comandita, sobre as taxas de dormida e entrada em Lisboa decididas por António Costa, o perigoso vírus pode afectar a memória, tornando-a selectiva.
Com efeito, quando Paulo Portas e a sua trupe afirma que uma taxa de 1€ por dormida, mais uma taxa de aeroporto ou portuária de mais 1€ pode afastar o turismo de Lisboa, deve estar em delírio.
Esclareço desde já Paulo Portas que, apesar de pagar uma taxa superior a 3€ por noite em Veneza, não foi por isso que deixei de lá ir este Verão. E só não estive mais tempo em Itália, porque o governo onde Vocelência ocupa o cargo honorífico de Bobo da Corte vice-primeiro ministro, me assaltou a conta bancária, com uma sobretaxa de 3,5% sobre o IRS. 
Admito que o governo aprecie mais sobretaxas do que taxas e seja esse o motivo das preocupações de Portas. De qualquer modo, espanta-me como é que um tipo que viaja tanto ainda não percebeu que essa taxa é aplicada em  muitos países. Às tantas a Martinha tem razão. Quando lhe coloquei esta dúvida, ela respondeu-me de pronto:
- Como é que ele havia conhecer a existência dessas taxas se somos nós que pagamos as viagens dele?
Confesso que, por momentos, admiti também ter sido atacado por este novo vírus, por não ter percebido uma coisa tão óbvia, mas logo me recompus ao perceber quais são na realidade as grandes preocupações de Portas. Desde que sejam os portugueses a pagar ( como no caso das pontes Vasco da Gama ou 25 de Abril) não há problema. Mas obrigar os turistas a pagar um euro quando entram em Lisboa, é inadmissível!
Se me permite, senhor Bobo da Corte, vice-primeiro ministro dou-lhe um conselho:
- Marque urgentemente uma consulta para ver se lhe extirpam esse perigoso vírus. E, de caminho, leve o governo todo consigo, mais  o coiso de Belém. Quando estiver na sala de espera, aproveite para perguntar ao secretário de estado do turismo - que até é do seu partido- qual é a opinião dele sobre as taxas. Quem sabe se não terá uma surpresa?
 Sendo ou não contagioso, este vírus está a afectar perigosamente o governo, desde que acedeu ao pote, com efeitos perniciosos no discernimento e na capacidade de memória. Só assim se explica que, de forma tão expedita, tenham esquecido todas as promessas eleitorais. 

10 comentários:

  1. Extraordinário poder de diagnóstico!
    Estes senhores ainda não conseguem ver o mais óbvio: estão todos contaminados por vírus tão letal. Será melhor prepararem-se para uma fuga estratégica e um internamento que lhes dê a noção da realidade...UM

    ResponderEliminar
  2. Falam, ou com aquela voz de falsete , ou com voz de embriagado para um país de analfabetos...o que vamos ter de aturar por um ano. ´E de loucos.
    M.A.A.

    ResponderEliminar
  3. Subscrevo!
    Lisboa é uma cidade linda e a vida é baratíssima para os turistas, por isso fazer desta taxa um drama não cabe na cabeça de ninguém...só mesmo na de quem foi atingido pelo vírus da cretinice!

    ResponderEliminar
  4. O tal vírus virou epidemia. Transmissor: o pote.

    ResponderEliminar
  5. Luta política e luta na lama a confundirem-se perigosamente

    ResponderEliminar
  6. E não se mostra arrependido, antes pelo contrário...

    ResponderEliminar
  7. são muito importantes estes comentários com ironia

    ResponderEliminar