quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Roubo por esticão



Quando, poucas semanas depois de tomar posse, o governo começou a dizer que vivíamos acima das nossas possibilidades e tínhamos de recuperar hábitos de poupança, torci o nariz. Não só manifestei aqui o meu desagrado pela ingerência do governo na gestão das minhas finanças, como alvitrei a hipótese de o apelo à poupança ser uma estratégia do governo para depois se apropriar de parte das economias dos portugueses, aumentando os impostos.
Três anos depois, confirmou-se a minha suspeita: o governo decidiu agravar os impostos sobre os PPR., apropriando-se de mais uam parte substancial das poupanças dos portugueses.
Como adivinhei que isto iria acontecer?- perguntarão alguns leitores.
É simples. No início da minha actividade profissional, na área da psicologia, exerci na cadeia de Paços de Ferreira. Aí contactei com inúmeros criminosos e aprendi a compreender o seu raciocínio e modus operandi. Impressionou-me, particularmente, o modelo comportamental de um recluso especialista em se insinuar junto de velhinhas, para ganhar a sua confiança e depois as roubar. 
Foi só aplicar o que aprendi com eles a esta gente que nos governa e rouba com o despudor de um qualquer assaltante de velhinhos indefesos, para prever o que iria acontecer. 

4 comentários:

  1. ~ ~ Eles não param, não se saciam, nem com eleições à porta!!
    ~ ~ Vão embora, mas vingam-se espremendo-nos ao máximo!!

    ResponderEliminar
  2. Não recuam perante a miséria em que vive o país!
    Eles e as respectivas famílias estão a salvo!

    ResponderEliminar
  3. Já não consigo encontrar palavras para definir esta corja de gatunos. Gente que mete nojo, sem princípios, sem ética, como se estivessemos (parece que estamos) na terra do vale tudo.
    Do que eles precisam sei eu. Só que não posso dizer para não prejudicar o efeito surpresa.

    ResponderEliminar
  4. Não consigo pensar numa medida mais estúpida e mais injusta que a caça à taxa nas poupanças das pessoas.
    O que é que se pretende com isto?
    Obter receita fiscal às cegas?
    Estupidez pura!

    ResponderEliminar