domingo, 12 de outubro de 2014

Ensaio sobre a mentira

Depois de se confirmar que vamos pagar os prejuízos do BES, parece-me oportuno reproduzir aqui,   ( com um acrescento sobre Crato) o que escrevi no início de Agosto:

A Marilu bem tenta convencer-nos do contrário, mas são cada vez mais as vozes a avisar  que a loira do regime nos anda a aldrabar e devemos estar preparados para pagar os vícios dos Espírito Santo. 
Basta estar atento  às intervenções de Marilú na AR, para perceber que a mulher (ainda) tem pouco jeito para mentir em público. (Ainda) não consegue evitar uma série de tiques típicos dos mentirosos não compulsivos. ( N.E. Tem feito imensos progressos. Está com uma técnica cada vez mais apurada)
Nesse aspecto, Pedro Passos Coelho está muito mais rodado. Sendo um mentiroso compulsivo, já incorporou a mentira no seu modelo comportamental. As palavras saem-lhe com naturalidade e o discurso com fluidez e convicção. 
 Vítor Gaspar adoptou um método pouco usual para enganar os portugueses. Aquele discurso pausado  foi meticulosamente ensaiado, para desviar as atenções do conteúdo.
 Paulo Portas, a "coisa", já não engana ninguém. Sendo uma pessoa genuína, nunca se preocupou em dissimular a mentira, por uma razão muito simples: ele próprio acredita que as suas mentiras são verdades, os outros é que não conseguem interpretar bem as suas palavras. Daí perder-se constantemente em explicações para justificar as mentiras e contradições. Um caso de psicopatia diferente de Passos Coelho, mas igualmente interessante. Revela a dificuldade que o líder do CDS tem em assumir-se.
Crato mente descarada e deliberadamente. Goza com professores e deputados, jogando com as palavras e os tempos dos verbos. Parece-me que ali anda mão do advogado de Passos Coelho.Deve ter sido contratado como  especialista num qualquer gabinete, para assessorar todos os membros do governo

4 comentários:

  1. Como em tudo na vida, há os especialistas e os aprendizes de feiticeiro, Carlos :)))
    Aquele abraço e votos de boa semana

    ResponderEliminar
  2. A falta de respeito pelos compromissos e a honradez das palavras sumiram-se.
    É triste verificar que as nossas figuras de Estado entrem neste comboio fantasma.
    Parece mentia...

    ResponderEliminar
  3. Quando não se tem qualidade, tudo serve para 'enganar o Zé'.

    ResponderEliminar