sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Dia do Animal


As espécies protegidas deveriam ser alvo de maior atenção por parte do ministério do ambiente
Comemora-se, amanhã, o  Dia do Animal.
Um dia excelente para lembrar que  há mais animais  para além  de cães, gatos, o periquito na gaiola e o coelho  no arroz. 
Não sei se o governo prevê o anúncio de alguma medida alusiva à data ( para além da já anunciada entrada em vigor da Lei  que pune os maus tratos sobre animais).
Sei, outrossim, que cães e gatos são os privilegiados do reino animal e por isso sobre eles recairá, amanhã, a maioria das atenções. 
Não se comemorndo amanhã o Dia do Animal Doméstico, mas sim de todos os animais, penso que seria o dia ideal para lembrar as espécies de animais que  estão ameaçadas de extinção.
Todos os dias desaparecem dezenas de espécies, vítimas do efeito predador do bicho homem, mas isso não faz perder um segundo de tempo a ninguém. 
Gostaria de ver, amanhã, alertas sérios e medidas rigorosas que punam quem  transporta animais em condições degradantes, violando a legislação em vigor.
Fosse eu ingénuo e acreditaria que, de uma vez por todas, seriam proibidos os testes de laboratório com animais para produção de cosméticos e as marcas prevaricadoras seriam banidas do mercado. 
Em vez disso, vou ver cães e gatos ridiculamente vestidos e associações, à porta dos supermercados,  a pedir  comida para animais. Os supermercados agradecem, mas não me parece uma boa ideia.
Eu adoro bichos-e não só os domésticos- mas acho que num país em crise, pedir comida para animais é um insulto a quem vai a um supermercado com o dinheiro contado para comprar um pacote de leite e meia dúzia de carcaças!


7 comentários:

  1. Eu adoro animais mas tenho de concordar contigo. O dinheiro é tão pouco para as necessidades quanto mais...

    ResponderEliminar
  2. concordo plenamente...ando a contar trocos para garantir que chego ao fim do mês e quando há uma campanha destas sou olhada com desdém pelo que me abordam. Apesar de todas as dificuldades do dia-a-dia faço voluntariado com pessoas, não compreendo os que se mobilizam efusivamente pelos direitos dos animais mas, são incapazes de reparar num vizinho só e com fome...

    ResponderEliminar
  3. Estou de acordo totalmente contigo, Urban Cat e Tétisq!!

    Tudo de bom, amigo

    ResponderEliminar
  4. Parafraseando a Mafaldinha,na passagem dos seus cinquenta aninhos,digo: "Parem o mundo,quero saltar!"

    Um dia destes,estamos todos a tomar três doses de heroína diariamente.

    Abraço para o Carlos de Oliveira.

    ResponderEliminar
  5. Não posso negar que adoro ver animais na natureza. Ao invés,animais domésticos não é comigo.

    ResponderEliminar
  6. Portanto, é deixa-los morrer à fome. É isso?
    MCarmoMarcos

    ResponderEliminar
  7. Sim, pelos vistos é melhor deixá-los morrer à fome..e de doença.... Tanta insensibilidade..... vou banir este blogue dos meus favoritos. Pedro Santos.

    ResponderEliminar