segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Quando a coerência vence a hipocrisia

São muitos os que criticam Costa, por não ter dito qualquer palavra sobre Seguro.
Não percebo a critica. Costa foi coerente com o que sempre afirmou na campanha: o seu adversário é Pedro Passos Coelho e não António José Seguro.E foi claro ao dizer que conta com todos os socialistas para levar a nau a bom porto.
Se bem me lembro, o novo candidato do PS a pm não é muito de dar a outra face. Muito menos, quando os adversários usam uma linguagem trauliteira e o ataque pessoal para o denegrir. 
Portanto, não há surpresa. Há coerência. E isso é de saudar.
Lamento é que, depois de tudo o que se passou durante a campanha, ainda haja quem defenda que António Costa devia ter sido  hipócrita. São, certamente, os mesmos que exigem clareza e verdade na vida política.
E só para terminar. Por acaso não é costume o vencido telefonar ao vencedor a dar-lhe os parabéns? Que me conste, Seguro não telefonou a Costa, mas disso ninguém fala.

3 comentários:

  1. O que é que António Costa quer dizer com nova maioria?
    Isso é que eu gostava de lhe perguntar.
    O PS conseguir uma maioria por si próprio, acho complicado.
    Aliar-se aos partidos à esquerda, idem, aspas (não são partidos de governo).
    Criar um novo centrão, muito menos.
    O que é que ele quer dizer com nova maioria?

    ResponderEliminar
  2. Uma boa critica - analise. Espero que agora o sr PPcoelho comece a ter mais respeito pelos portugueses e também pela juventude sem sonhos nem futuro a quem mandou emigrar...

    ResponderEliminar
  3. Desde quando quem ganha tem que referir o nome do derrotado?
    É verdade e politicamente correcto que o perdedor ligue ao ganhador para lhe dar os parabéns, nem que seje em modo cínico.
    A malta é assim, troca tudo. Ninguém fala disso porque ou não repararam (a sério?) ou não dá jeito.

    ResponderEliminar