sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Notícias do novo ciclo

É hoje notícia em todos os jornais: salários aumentam nos cargos de topo, mas diminuem na classe operária.
Muita gente ficou indignada, mas palpita-me que não faltará muito para se indignar ainda mais. Seguindo a prática dos republicanos nos EUA, não me espantará que em matéria de IRS baixe a contribuição dos mais ricos e aumente a dos trabalhadores intermédios. Para os republicanos americanos, esta prática é socialmente mais justa. Admito que  o passismo/ portismo pense de igual modo.

5 comentários:

  1. Espero que se confirme que This is not America, Carlos.
    Deixe-me ser o primeiro a felicitar o autor do blogue no dia do sétimo aniversário do Rochedo
    Aquele abraço, votos de bfds

    ResponderEliminar
  2. E isto até quando? :(
    Seguindo o exemplo do nosso amigo do Oriente muitos parabéns e que continue a animar a blogosfera!

    Abraço

    Rosa dos Ventos

    ResponderEliminar
  3. Sempre assim foi e cada vez pior. A maior subida de escalão e, o que abrangem mais gente, é no de 37%, fora as alcavalas e a eliminação de deduções. Não contando com com todos os outros descontos, S.S., etc., Acha que quem ganha pouco mais de 1400 € ilíquidos, por mês por mês pode aguentar mais de 5O% de impostos, só sobre o vencimento, não falado em todo o resto? Veja os escalões:
    Rendimento Colectável Taxa
    até 7000 euros 14.50%
    + 7000€ a 20 000€ 28.50%
    + 20 000€ a 40 000€ 37%
    + 40 000€ a 80 000€ 45%
    + 80 000€ 48%

    ResponderEliminar
  4. Aqui só as chefias é que tem ordenados próximos dos europeus, os trabalhadores intermédios ou dos escalões baixos, tem ordenados próximos dos chineses.
    Depois todos ficam muito admirados por não termos uma produtividade à alemã. Com estes ingredientes, obviamente que só podíamos ter uma produtividade à marroquina.

    ResponderEliminar