quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Uma chamada de atenção à malta do pote!

Na última segunda-feira, logo após o anúncio de Carlos Costa, os portugueses correram para os balcões do Espírito Santo Novo Banco a fim de resgatarem as suas poupanças. 
Nesse dia, a Caixa Geral de Depósitos recebeu 200 milhões de euros de depósitos provenientes do Espírito Santo. (Admito que outro tanto tenha ido parar a colchões)
Não sei se a escumalha governativa, dividida entre a ida a banhos e a ida ao pote, terá percebido o que se passou. Eu explico:
 Nos momentos de aperto, o tuga confia nas instituições do Estado, não nos poderes mágicos da iniciativa privada.
Foi assim na segunda-feira com a CGD.  Mas é também com a RTP quando querem ouvir informação que consideram isenta sobre factos relevantes ( como o ataque às Torres Gémeas, por exemplo) , ou com a TAP que aparece sistematicamente como a sua companhia de confiança, ou com os CTT já privatizados por este grupo de vendilhões da Pátria. 
As baratas deslumbradas que enchem os bolsos em gabinetes ministeriais, enganando diariamente os tugas e roubando-lhes as poupanças, os salários e a dignidade, não perceberam isso. Gananciosos, querem vender tudo o que nos pertence para receberem, depois de serem corridos do pote, a comissão que lhes cabe. Pelos bons serviços prestados ao grande capital, terão direito a um lugar numa qualquer instituição internacional onde se acoitam vigaristas e políticos que traíram os seus povos. Seja na União Europeia, no FMI, ou na Goldman Sachs.

4 comentários:

  1. Para quem não sabe, que fique claro, que estes senhores, além de nos mentirem descaradamente, são uns traidores que deviam estar na prisão.
    Toda esta encenação da comunicação e do Decreto-Lei, aprovado à pressa, no domingo dia 3/8/2014 e com assinatura electrónica é uma farsa. Este decreto foi publicado na segunda-feira dia 4.08.2014, com o número 114 -B/2014. O que prova que foi a continuação doutro (mas a que não fizeram referência) que tratou do mesmo assunto, que já vinha sendo estudado e foi aprovado na reunião de quinta-feira do conselho de ministros, dia 31.07.2014. Este decreto-lei nº. 114 -A/2014, foi levado em mão, à noite, para ser promulgado promulgado pelo PR mas só conseguiu ser publicado, em suplemento. no DR nº. 147 do dia 1/8/2014. Tudo isto prova que tanto o governador do BdP, como o presidente da CMVM estão a mentir sem vergonha, ao dizer que não tinham conhecimento do assunto, e deixaram as acções a ser transaccionadas por mais dois dias, quando todos já sabiam o que se passava, e assim permitiram que o banco ficasse com o valor zero, porque os interessados limparam o resto e o povo vai ficar a ver navios, assim com os pequenos accionistas que acreditaram na palavra do governador e jogaram fora mais de mil milhões de euros, quando do último aumento de capital, em maio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa, Anfitrite! Confesso que essa me tinha escapado...

      Eliminar
  2. Grande "pote"...quando rebenta de vez ?!...
    M.A.A.

    ResponderEliminar
  3. Há sempre alguém que diz não, não é, Carlos?
    Neste caso, há sempre alguém atento.
    Grande malha, Anfitrite!!

    ResponderEliminar