quinta-feira, 21 de agosto de 2014

No tempo em que os animais falavam

No tempo em que os animais Cavaco falava, sempre que alguma coisa corria mal vinha logo para as televisões dizer "eu tinha avisado!".
Neste ano escavacado de 2014, o suposto PR de todos os portugueses decidiu mandar avisos antes de tempo.
Desde o dia em que garantiu aos portugueses que o BES era um banco sólido em que os portugueses podiam confiar, Cavaco não voltou a abrir a boca. Apenas  mandou um aviso, por escrito, aos juízes do TC, correspondendo a um pedido do governo: 
" Vejam lá se têm juizinho. Aprovem os cortes propostos pelo governo, deixem-se  dessas picuinhices da Constituição e lembrem-se que o país tem compromissos a cumprir."
Os juizes chumbaram o corte nas pensões, avisaram que os salários dos funcionários públicos devem ser repostos na totalidade em 2016, Coelho reagiu como se sabe, mas Cavaco continuou calado. No entanto, continua a agir. Pela calada ( assinando à socapa uma lei feita à medida para o BES, ou enviando para S. Bento a uma velocidade superior à da luz, o acórdão do TC) e sempre contra os portugueses, cujos interesses jurou defender.
 Há mais de um mês que não se lhe ouve uma palavra. Cavaco, realmente, não é deste tempo. É do tempo em que os animais falavam.

2 comentários:

  1. Incrível! onde há um banco, sujo, está Cavaco.

    ResponderEliminar
  2. Está de férias, Carlos.
    Aprendeu com o Bush.
    Um ia para o rancho, o outro vai para o Algarve

    ResponderEliminar