terça-feira, 1 de julho de 2014

Mais uma razão para escolher António Costa. Mas não só...

Durante muitos anos tive o privilégio de viajar pelo país em trabalho. Conheci excelentes autarcas com projectos de apoio às populações, apostados em atenuar as dificuldades que o governo central lhes coloca.
Não percebi ainda muito bem, porque é que grande parte destes bons autarcas não chega ao governo e, os que chegam, acabam por desiludir. Alguns  renunciam ao lugar ou são convidados a sair ao fim de pouco tempo. Outros aguentam-se, para demonstrar que um bom autarca de uma pequena localidade do interior não é, necessariamente, um bom membro do governo.
Não me parece, porém, que o problema esteja nos autarcas. Creio é que não conseguem  combater a lógica trituradora do centralismo governamental, que se comporta como um eucalipto, destruindo tudo à sua volta.
Gostaria de ver um autarca a tomar as rédeas do país e essa é mais uma das razões que me levam a ter esperança em António Costa. Ao contrário de Seguro -  nunca desempenhou um cargo político e nunca foi eleito para coisa nenhuma pelo povo - António Costa tem experiência autárquica e ministerial. Não é um mero produto das fábricas de jotinhas, escolas de vícios e de ignomínia onde crescem, como ervas daninhas. políticos profissionais sem qualquer experiência de vida que os credibilize.
O coelhismo roubou-me o prazer de trabalhar junto das populações. Resta-me, por isso, ir seguindo à distância, via televisão, os poucos programas que se dedicam ao poder local. Sempre que posso, não perco a oportunidade de ver o "Portugal Português". Aos domingos à tarde na TVI 24, com a apresentação de  Paula Magalhães.

2 comentários:

  1. O «coelhismo» tem-nos roubado tudo!! E nunca mais acaba!!

    ResponderEliminar
  2. Se o coelhismo
    lhe roubou o prazer de trabalhar junto das populações
    e o colocou em frente às televisões
    é mesmo eficiente
    pois é mesmo isso
    que ele pretende da gente

    ResponderEliminar