sexta-feira, 20 de junho de 2014

Uma frase que é todo um programa

" (...)o Governo manifestou sempre disponibilidade para cumprir todas as decisões do TC", - afirmou hoje Passos Coelho durante o debate na AR.
Eu pensava que as decisões dos tribunais eram para ser escrupulosamente cumpridas e, quem não as acatasse, sofreria consequências mas, ao que parece, para o pm não é bem assim. É preciso haver disponibilidade do governo! 
Já estou a imaginar um criminoso, condenado a prisão, a responder ao juiz que acabou de ler a sentença:
" Muito bem, senhor doutor juiz. Eu compreendo e aceito as suas razões para me aplicar uma sentença de 15 anos de prisão, mas fique o Meritíssimo a saber  que, neste momento, não tenho disponibilidade para cumprir a pena. Vou ali tratar de uns assuntos e quando tiver disponibilidade eu volto, está bem?"
Num debate em que contestou diversas vezes as decisões do TC, Passos Coelho mostrou ainda outra visão vanguardista em relação aos juízes. Embora sejam 13, o pm escudou-se sempre na declaração de voto da juíza Lucília Amaral, para defender que o TC  está a invadir a esfera legislativa do governo. 
Finalmente, apesar da declarada  disponibilidade para cumprir as decisões do TC, PPC  foi avisando que não pagará os subsídios de Natal por inteiro.Ou seja. O governo só cumpre as decisões do TC quando lhe apetece.


2 comentários: