terça-feira, 3 de junho de 2014

Seguro e a Lei da Concorrência

Seguro foi vária vezes humilhado pelo amigo Passos Coelho. Reagiu sempre com indignação, mas nunca o vi apresentar propostas alternativas consistente. Os portugueses expressaram nas urnas o seu descontentamento com a passividade do lider do PS, que parecia cada vez mais conformado ( quiçá agradado) com a necessidade de governar em coligação com o PSD.
Eis senão quando um camarada decide ir à luta e Seguro eriça-se. Remoça-se. Reage com violência, como se de uma afronta se tratasse. E- pasme-se!- apresenta finalmente propostas. Estapafúrdias, mas propostas. Não para governar o país. Apenas para não ser apeado do partido por um camarada. 
Seguro confundiu a Lei da Concorrência. Ela fomenta a competitividade entre entre empresas concorrentes, não a concorrência dentro da própria empresa. Essa tem outro nome. 
Quando é que Seguro revê a matéria dada, para perceber o erro que está a cometer, não convocando o Congresso?

5 comentários:

  1. Ruge para dentro e mia para fora... O cobardolas... Xô... que se faz tarde.

    ResponderEliminar
  2. Um dia destes, o lobo velho do PS diz para o António José Seguro como no passado disse para um polícia:

    "Desaparece, Seguro, desaparece!"

    Então, aparece o santo antoninho de lisboa a tentar ganhar as legislativas, só que a maioria absoluta não vai conseguir. Quer apostar, Carlos?!

    ResponderEliminar
  3. Seguro ainda estrebucha, mas o sonho dele já acabou. Felizmente.

    ResponderEliminar
  4. Curiosamente, repetindo o que escrevi, Seguro só acordou, e mostrou as garras, quando Costa o picou.

    ResponderEliminar