quarta-feira, 18 de junho de 2014

Hoje acordei assim

Para quê  aumentar os impostos sobre produtos nocivos à saúde, cortarem-nos o sal e o açúcar para nos prolongarem a vida,  se depois tratam os velhos como  despesismo e estorvo ao crescimento?



5 comentários:

  1. Ora aí está uma questão bem pertinente!

    ResponderEliminar
  2. Além dessa , ponho outra questão: se forem coerentes, baixarão os impostos sobre oa alimentos saudáveis, não?

    Amigo, Cavaco não deve estar já mesmo bem e se fizer o que Passos quer , então é porque perdeu a pouca decência que tinha!

    Tudo de bom

    ResponderEliminar
  3. Ora aí está uma boa questão, que contêm já por si a resposta para o problema do governo em relação aos reformados...

    ResponderEliminar
  4. Pior... Porque motivo vamos viver até longa data se não vai haver reforma para nos sustentar...

    Bjxxx

    ResponderEliminar
  5. Esta gajada,não só não elege o direito ao prazer,poque não vive(serve, rastejante, os "senhores do mundo")como (dissimuladamente)nos tenta vender a ideia de que se preocupa com a qualidade da nossa longevidade,quando nos trata como rafeiros,que vivem a custas do orçamento de estado,a quem,todos os dias,cortam nas reformas,na qualidade das prestações dos cuidados de saúde,aumentam os impostos e,ainda por cima,acusam de viver acima das suas possibilidades."Coerentemente",não tocam nas pensões milionárias dos fundos privados,(Banca em geral,Banco de Portugal em particular)na chularia (ou roubo consentido?)das rendas elétricas,das "avenças"milionárias ditas de consultadoria e outras,nos empregos (?) em roda livre arranjados a compadres e comadres no aparelho de estado e todo um vasto tecido de gente alimentada(sabe-se lá porquê) a custas de quem se levanta todos os dias para ir labutar na economia produtiva.P... q.. o. p....!!!

    ResponderEliminar