sábado, 31 de maio de 2014

Quando é que o Aníbal volta a violar a Constituição?

Cavaco já violou a Constituição da República tantas vezes como o governo. Foi cúmplice. Só que, nesta caso, o cúmplice tem mais agravantes do que o autor (do crime), porque é a ele que compete garantir o cumprimento da CRP.
A dupla está, porém, imparável. Segundo o Expreso, o governo já prepara um novo orçamento rectificativo. O objectivo é  roubar novamente aos funcionários públicos, aquilo que o TC mandou repor a partir de Junho. Cavaco, obviamente, assinará de cruz, voltando a ignorar o  juramento que fez de defender a Constituição.
Já sabíamos que há juízes muito complacentes. E a decisão do TC fez-me lembrar um caso ocorrido há tempos,  numa comarca do norte.
Um indivíduo conhecido por adorar roubar motos compareceu perante o juiz, depois de mais um roubo.  O juiz pregou-lhe um sermão e  mandou-o  para casa. Advertiu-o, porém, que deveria comparecer a julgamento. 
Assim que se apanhou na rua, o que fez o larápio?  Roubou a primeira moto que encontrou, parada em frente ao tribunal, e nunca mais apareceu.
Eu sabia que havia juízes ingénuos e complacentes. Não imaginava é que chegassem ao TC!

9 comentários:

  1. Não sei ao certo a quantidade de vezes, mas por este andar ele ultrapassa o violador de Telheiras. Desculpem se faço humor com um assunto medonho, mas quase parece a metáfora daquilo a que nos estão a sujeitar.

    ResponderEliminar
  2. Há juízes complacentes; há juízes ignorantes; há juízes feitos com o poder; há juízes mal formados; Há-os para todos os gostos e sabores... E o pessoal cada vez mais desprotegido!

    ResponderEliminar
  3. Haverá um dia em que não haverá nada para cortar. Não haverá pensões nem reformados, não haverá trabalhadores do estado nem estado que desgraçadamente se corrompeu e vendeu tudo o que era produtivo e dava lucro ao nosso país.
    Nesse tempo seremos lixo e os dias estão perto...

    ResponderEliminar
  4. Meu amigo estamos cercados de incompetentes e ladrões por todos os lados.
    Não sei se alguma vez sairemos deste cenário.

    Beijinho



    ResponderEliminar
  5. ~ Verificamos nos resultados que existem opiniões muito divergentes no TC, mas creio que sejam urdidas por convicção e não por vilania.
    ~ Albuquerque não brinca em serviço, miss Swap é espertalhona, experimenta o TC, mas tem sempre, outra artimanha na manga.
    ~ Eles estão ensandecidos, não param de cortar!

    ResponderEliminar
  6. Carlosamigo

    Presunção e água benta cada um toma a que quer. É um pouco como os bois: há os que se exportam, há os que se importam e há os que não se importam. Honny soi...

    Valha-nos e valas-lhes o Santo Ivo É o santo padroeiro dos advogados,, dos juízes , oficiais de justiça e escrivães. Viveu de 1253 a 1303. É chamado "O advogado dos pobres" . Alem de ser considerado um juiz que não aceitava nenhum presente, era considerado o melhor mediador da França, e sempre tentava conseguir acordos fora das cortes para minimizar os custos legais para ambas as partes..

    Disto já não há, quebrou-se a forma utilizada...

    Qjs

    ResponderEliminar
  7. Que pena eu não acreditar na reincarnação. Se assim não fosse eu jurava que quando cá voltasse retiraria todos os retratos e o nome desse medíocre onde quer que ele se encontrasse.
    Não esqueçamos que a presidente da AR aprovou a lei para a reforma dos juízes, com 10 anos de serviço, e depois pediu logo a reforma com 40 e tal anos.

    ResponderEliminar
  8. Morgado De Bastodomingo, 01 junho, 2014

    Qualquer um de nós,seres vivos e pensantes,cidadãos e contribuintes neste pedacinho de terra à beira mar semeado,teria,No Mínimo,que nascer três vezes para se comparar com o esbirro nascido em terras de Boliqueime,(NESTE MOMENTO EM FUNÇÕES DE CHEFE DE ESTADO)em matérias como ;Seriedade Intelectual e Política,Ética Relacional Com Entidades Financeiras e Afins,Solidariedade Com Todos os Outros Cidadãos Portugueses e Cumprimento da Constituição Portuguesa.
    Recentemente,Isabel Moreira,referindo-se ao tipo em apreço,tratou-o como "UM NADA".Definição,que no contexto em que foi utilizada eu subscrevo.Mas,há sempre um mas com personalidades ínvias,eu não posso deixar de reconhecer que Carlos do Carmo foi mais feliz e objetivo quando se referindo ao "Um Nada",disse isto:"Esse homem,é a maior desgraça que aconteceu a este País".

    Abraço e Bom Domingo

    ResponderEliminar
  9. Subscrevo totalmente o comentário anterior.
    M.A.A.

    ResponderEliminar