segunda-feira, 26 de maio de 2014

A quem interessa antecipar as legislativas?

Os resultados eleitorais de domingo poderão ter sido determinantes para antecipar as legislativas de 2015. O mais surpreendente é que, em vez de ser a oposição a pedir eleições antecipadas, talvez sejam os partidos do governo a fazê-lo. 
É o que acontecerá se a liderança de Seguro começar a ser contestada ( de estranhar é que não seja) e aparecerem candidatos credíveis para lhe suceder. Se surgir um candidato forte com propostas verdadeiramente alternativas e mobilizadoras do eleitorado, que destrone Seguro e vença a inércia do aparelho socialista, pondo em causa uma vitória da coligação que, face aos resultados das europeias, parece perfeitamente possível, então os partidos do governo terão todo o interesse em pedir a Cavaco a antecipação das eleições para Maio ou Junho. 
Apesar do péssimo resultado da coligação, será do interesse de Passos e Portas reduzir o espaço de manobra de um novo líder do PS, que precisará de tempo para ganhar a confiança dos eleitores socialistas desiludidos. 
Antecipando as eleições, os partidos da coligação poderão, também,  tomar algumas medidas  que dêem a sensação de haver uma real recuperação da economia e uma melhoria da qualidade de vida dos portugueses.
Não será difícil a Passos Coelho convencer Cavaco. Mais difícil será convencer Portas de que os dois partidos devem concorrer separadamente. 
Este cenário parece-me hoje perfeitamente admissível. Pode, porém, surgir uma pedra na engrenagem que atrapalhe a estratégia do governo: o Tribunal Constitucional. Se algumas das medidas do OE 2014 forem chumbadas ( ex:o corte dos salários dos funcionários públicos e a redução das pensões), o espaço de manobra do governo para fazer alguns números de ilusionismo ficará reduzido e Coelho e Portas, terão de ponderar se a antecipação de eleições lhes será favorável nesse cenário.

9 comentários:

  1. Concordo com a reflexão e a análise. <curioso, que ainda ontem, aqui em casa, foi feita uma análise semelhante! Vamos ver como evoluem as coisas...

    ResponderEliminar
  2. Bem visto!
    Seja como for o PS está obrigado a renovar-se!

    ResponderEliminar
  3. Que tudo isto sirva para haver uma séria renovação no PS.

    beijinho e boa semana amigo Carlos

    ResponderEliminar
  4. Concordo.
    Se as pessoas tivessem capacidade de reflectir sobre este assunto , seria o fim da democracia ...colocar os interesses pessoais à frente de quem os elege , dói.
    M.A.A.

    ResponderEliminar
  5. Engenhoso de mais para estes fulanos.... Mas que o PS precisa de um abanão, ai lá isso precisa!! Não sei é quem lho poderá dar!

    ResponderEliminar
  6. Faz sentido a sua análise! E fará todo o sentido tirar Seguro para dar segurança aos socialistas.

    ResponderEliminar
  7. Outro pequeno grão de areia na engrenagem - esse líder, que o PS tanto anseia, não quer ser líder.
    E está a pensar mais no seu futuro político do que no próprio partido.

    ResponderEliminar
  8. António Costa , finalmente, parece decidido a disputar a chefia do PS!!

    Veremos o que acontece, pois a actual Direcção deveria ter feito o que o chefe do PSOE dez : demitir-se .

    Fica bem, amigo

    ResponderEliminar
  9. Concordo consigo em quase tudo, à excepção do seguinte:

    «Não será difícil a Passos Coelho convencer Cavaco. Mais difícil será convencer Portas de que os dois partidos devem concorrer separadamente».

    Parece-me difícil convencer Cavaco a antecipar as eleições, pela simples razão que ele é apologista de que as legislaturas são para ir até ao fim.

    Também me parece que o que vai ser difícil, é convencer Paulo Portas a ir em coligação às eleições. Penso que ele prefere ir a votos separadamente, porque pensa que assim terá um melhor resultado do que indo em coligação. Nestas europeias acho que isso até ficou mais ou menos evidenciado, falou-se que ele até nem queria ir coligado.
    Também me parece que o CDS indo a votos sozinho, terá sempre uma maior liberdade e margem de manobra para fazer o quiser depois de conhecidos os resultados eleitorais e Paulo Portas vai querer ter essa opção em aberto, ou seja, coligar-se ao PS ou ao PSD.

    ResponderEliminar