segunda-feira, 26 de maio de 2014

A figura nacional : um conservador de esquerda

A figura que, em Portugal,  emerge  destas europeias é Marinho e Pinto. Sem uma máquina partidária a apoiá-lo, quase sem cobertura jornalística e aparecendo apenas a espaços nos canais de televisão, o ex-bastonário da ordem dos advogados conseguiu a proeza de convencer mais de  230 mil pessoas ( 7,2%) a votar nele. 
Se compararmos os votos do MPT em 2009 (23 mil) com os de 2014, é fácil concluir que foi Marinho e Pinto o responsável por esse  crescimento.  É muito cedo para se saber  o que representarão o MPT e  Marinho e Pinto no futuro. Em 2015 haverá um teste importante. Se Marinho e Pinto se candidatar às legislativas - o próprio ontem admitiu essa hipótese- quanto valerá o MPT na AR? 
A pergunta é pertinente, porque em campanhas legislativas, Marinho e Pinto não pode esconder dos eleitores de esquerda que nele votaram, a sua posição anti casamentos gay e  coadopção.   
Daí que seja pertinente a pergunta que muitas pessoas me fizeram nas últimas horas: qual a possibilidade de o MPT vir a ser parceiro governativo do PS em 2015?
Sinceramente, não acredito muito nessa possibilidade. Marinho e Pinto é uma pessoa de esquerda e poderia ponderar a hipótese de uma aliança com o PS, mas nunca com o actual líder socialista. Por outro lado, ao aliar-se com o PS perderia parte da sua base eleitoral, angariada entre os que aplaudiram o Palito e outros justiceiros de ocasião, empolgados com o seu discurso justicialista.
Apenas uma breve nota sobre o LIVRE. O partido de Rui Tavares teve 2% dos votos. Não foi um grande resultado, mas permite ao LIVRE sonhar com algo mais nas legislativas: a possibilidade de eleger deputados e até formar um grupo parlamentar.

3 comentários:

  1. Marinho Pinto utilizou as europeias para tentar chegar ao seu grande objectivo que são as legislativas de 2015. Não me convence!
    E ainda por cima tem a mesma cara e o mesmo corpo do socialista alemão: o Siggi.

    A vitória do PS é insignificante!!!
    O partido ainda não compreendeu que os portugueses não querem o Tó ZERO nem o PS no poder.


    João Ferreira é promissor!!!

    ResponderEliminar
  2. A ideia que tenho é que o MPT vai desaparecer do mapa nas próximas legislativas. E o Marinho não se pode estar a candidatar às europeias agora, para daqui um ano voltar para se candidatar às legislativas, sob pena de perder a credibilidade.

    Quanto a Rui Tavares, tenho ideia que é um grande oportunista, com excesso de ego. O que não quer dizer que não concorde com ele em várias temáticas...

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Marinho Pinto é, sem sombra de dúvida, o grande vencedor destas eleições.
    O único, até.
    Atenção aos números do PCP - em percentagem, são excelentes; na realidade, não significam alteração nenhuma ao eleitorado fidelizado e facilmente mobilizável que o PCP tem.

    ResponderEliminar