terça-feira, 20 de maio de 2014

"A Europa é um comboio prestes a explodir"

Este tem sido o aviso constantemente martelado por Marine Le Pen durante a campanha eleitoral para as europeias, que tem encontrado eco nos cidadãos europeus, cada vez mais martirizados por esta saga austeritária, cujo único objectivo é torná-los escravos do poder financeiro.
Sondagens recentes revelam que 49% dos franceses estão fartos da União Europeia, elevando-se a percentagem para cerca de 60%, entre os cidadãos da zona euro.
Não espanta, por isso, que a Front National  continue a liderar as sondagens em França, devendo ser o partido mais votado nas eleições do dia 25, com uma vantagem de cerca de 4 pontos percentuais sobre a direita (UMP). 
 A avaliar pelas sondagens, o discurso anti europeu colhe cada vez mais adeptos.
Puro engano.  Acabo de ler no Público uma sondagem divulgada pelo jornal Le Parisien, com resultados que me deixam perplexo:
79% dos franceses não querem sair do euro e 81% dizem mesmo que se trata de uma proposta sem credibilidade;
Dois em cada três franceses tem uma opinião negativa de Marine Le Pen e três em cada quatro não confiam nela para governar;
 77% dos eleitores franceses identificam a  FN como  um partido de extrema-direita e 60% acusam Marine Le Pen de ser racista.
Face aos resultados desta sondagem, como se justifica que a FN  seja o  partido mais votado e recolha entre 24 a 25 por cento dos votos no próximo domingo?
Será porque o desespero nunca foi bom conselheiro e coarcta o discernimento das pessoas, na hora de decidir?

7 comentários:

  1. Nem dá para comentar.

    Seria bom que quem está à frente dos nosso destinos soubesse um pouco mais de História e se deixasse dessa parvoíce de que ela não se repete!!

    Que não tenhas tão mau tempo como eu tenho, amigo

    ResponderEliminar
  2. «Face aos resultados desta sondagem, como se justifica que a FN seja o partido mais votado e recolha entre 24 a 25 por cento dos votos no próximo domingo?»

    Eu dou uma ajuda.
    Trata-se de um violento voto de protesto, o que os eleitores querem dizer aos partidos tradicionais (esquerda democrática e centro-direita) é o seguinte: «Ou abrem a pestana e começam a governar a sério, pensando genuinamente nos anseios e necessidades das pessoas, ou votamos neles (FN) para vos chatear e espicaçar». Simples!

    Também me parece que a FN fala uma linguagem mais directa e focada nos problemas das pessoas que os partidos tradicionais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Também me parece que a FN fala uma linguagem mais directa e focada nos problemas das pessoas que os partidos tradicionais."
      Estou de acordo consigo, Paulo, mas duvido é que o método seja o adequado, porque "eles" não abrem a pestana. Quando o fizerem, já a extrema direita se disseminou pela sociedade como um cancro.

      Eliminar
  3. «duvido é que o método seja o adequado, porque "eles" não abrem a pestana. Quando o fizerem, já a extrema direita se disseminou pela sociedade como um cancro».

    Há de facto esse risco. E aí, adeus democracia.

    ResponderEliminar